Participamos do

Duplo feminicídio em Acaraú: agressor deixou "mensagens de amor" antes de esfaquear vítimas

A professora Maria de Jesus, de 47 anos, foi morta ao tentar defender a filha, a enfermeira Kelry Veríssimo, de 24 anos
11:17 | Nov. 29, 2021
Autor Jéssika Sisnando
Foto do autor
Jéssika Sisnando Repórter
Ver perfil do autor
Tipo Notícia

 Valdian de Sousa Melgaco, de 28 anos, é suspeito de ter matado a facadas a ex-companheira, Kelry Veríssimo, de 24 anos, a sogra, Maria de Jesus Veríssimo, de 47 anos ,e ainda lesionou o sogro, também de 47 anos, em Acaraú, no Ceará, no domingo, 28. O duplo feminicídio chocou os moradores da Cidade. Duas semanas antes do crime ele deixou mensagens no Facebook da vítima afirmando que a amava e solicitando reatar o relacionamento. 

Nas redes sociais, Kelry publicava fotografias dela e da família, mas Valdian seguia fazendo publicações marcando a ex-esposa e diversas fotografias com ela e a filha do casal. Ele não se conformava com o fim do relacionamento e seguia comentando em todas as publicações da ex-mulher como se ainda estivessem juntos. Em algumas das mensagens chegou a dizer que em breve a família seria reconstruída.

Valdian esfaqueou a ex-companheira, a sogra e o sogro. As duas morreram e o sogro sobreviveu
Valdian esfaqueou a ex-companheira, a sogra e o sogro. As duas morreram e o sogro sobreviveu (Foto: reprodução/redes sociais )

Seja assinante O POVO+

Tenha acesso a todos os conteúdos exclusivos, colunistas, acessos ilimitados e descontos em lojas, farmácias e muito mais.

Assine

Há duas semanas, Valdian comentou em praticamente todas as fotografias de Kelry, inclusive, imagens de 2016. "Vamos ser feliz novamente uma chance pra (SIC) vida que vamos estabelecer pra (siC) nossas filhas", comentou Valdian.  

Feminicídio em Acaraú 

 

A Prefeitura Municipal de Acaraú publicou uma nota lamentando a morte das duas servidoras municipais, a professora Maria de Jesus Veríssimo, de 47 anos; e da filha dela, a enfermeira Kelry Veríssimo, de 24 anos.

A família de Kelry teve a casa invadida no domingo, 28, e ela foi morta a facadas dentro do quarto. A mãe dela tentou socorrer a filha, mas também foi esfaqueada e morreu. O pai da enfermeira tentou defender as duas, mas foi ferido e segue internado.

 

Kelry e a mãe foram mortas a facadas dentro da própria residência
Kelry e a mãe foram mortas a facadas dentro da própria residência (Foto: reprodução/redes sociais )

 


24 mulheres foram mortas vítimas de feminicídio entre janeiro e outubro em 2021

 

Segundo a Secretaria da Segurança Pública e Defesa Social (SSPDS), 24 casos de feminicídio foram registrados no Ceará entre janeiro e outubro de 2021. Em 16 destes casos, houve a prisão dos suspeitos.
Em 2020, também foram registrados 24 casos de feminicídio, no período dos 10 primeiros meses. Nesse intervalo, 13 suspeitos foram detidos.

No Ceará funcionam as Delegacias de Defesa da Mulher (DDMs), existentes nos municípios de Fortaleza, Pacatuba, Caucaia, Maracanaú, Crato, Iguatu, Juazeiro do Norte, Icó, Sobral e Quixadá. As unidades são coordenadas pelo Departamento de Polícia Judiciária de Proteção aos Grupos Vulneráveis (DPJGV) da PC-CE.

LEIA MAIS: 

Ex-companheiro invade local de trabalho e mata mulher a facadas em Crateús

Mulher de 20 anos é morta e suspeito é o ex-companheiro; é o segundo feminicídio em 48h no Interior

Policiais são investigados por duas tentativa de feminicídio no Ceará

"Além disso, a Polícia Militar do Ceará (PMCE), por meio do Batalhão de Policiamento de Prevenção Especializada (BPEsp), atua nos casos com um protocolo específico, que consiste em ações de repressão, acompanhamento e escuta das vítimas, realizadas por agentes de segurança com uma formação diferenciada para o serviço".

 

Dúvidas, Críticas e Sugestões? Fale com a gente