Participamos do

Terceirizados da UFC enfrentam atrasos salariais, denuncia sindicato

Além dos atrasos no pagamento dos salários, o sindicato também denuncia atrasos no repasse de cestas básicas e vale-alimentação para os terceirizados pela empresa Àgape Construções e Serviços
18:45 | Jan. 14, 2022
Autor Marília Serpa
Foto do autor
Marília Serpa Autor
Ver perfil do autor
Tipo Notícia

Colaboradores terceirizados que prestam serviços à Universidade Federal do Ceará (UFC) pela empresa Ágape Construções e Serviços estão enfrentando atrasos no pagamento dos salários desde o ano passado. A denúncia foi feita pelo Sindicato dos Empregados em Empresas de Asseio e Conservação, Locação e Administração de Imóveis Comerciais, Condomínios de Limpeza Pública do Estado do Ceará (Seeaconce).

De acordo a entidade, o atraso da empresa não é somente referente ao pagamento dos salários, mas também à entrega do vale-alimentação e da cesta básica dos colaboradores. O problema foi recorrente durante 2021, persistindo também neste ano, uma vez que o salário de dezembro, previsto para ser pago no quinto dia útil deste mês, só foi realizado nessa quarta e quinta-feira, 12 e 13, segundo informações do sindicato.

Seja assinante O POVO+

Tenha acesso a todos os conteúdos exclusivos, colunistas, acessos ilimitados e descontos em lojas, farmácias e muito mais.

Assine

Segundo Clauber Deodoro, diretor do Seeaconce, a entidade já fez uma denúncia ao Ministério Público do Trabalho sobre o atraso dos salários. Nessa quarta-feira, 12, a direção do sindicato realizou uma reunião na UFC do campus do Pici. "Para cobrar uma posição dela referente o atraso de salário dos trabalhadores e trabalhadoras da empresa Ágape, que estavam sem receber o salário do mês de dezembro, onde o quinto dia útil foi sexta-feira passada, 8", explica o diretor.

Os funcionários terceirizados são contratados pela empresa para prestar serviços de portaria e recepção nas dependências da UFC. Ainda, de acordo com o sindicato, os salários são passados pela Universidade à empresa Ágape, que repassa aos colaboradores. A instituição informou por meio de nota que "vem mantendo em dia todas as faturas que recebe da empresa Ágape e que não existe pendência financeira".

A UFC também informou que "através da Pró-Reitoria de Planejamento e Administração (PROPLAD), está acompanhando a situação e, desde que recebeu a primeira informação dos servidores reclamando do não repasse do pagamento por parte da empresa, já notificou, advertiu e multou a Ágape, conforme estabelecem as normas contratuais".

Além disso, a Universidade também informou em outro trecho da nota que recomendou à Superintendência de Infraestrutura e Gestão Ambiental (UFC Infra) a iniciação de um novo processo licitatório a fim de substituir a empresa Ágape, o qual também foi informado que está em andamento e seguindo os prazos exigidos por lei.

A empresa, por sua vez, também informou por meio de nota que "enfrentou três episódios de entraves operacionais no envio de remessas bancárias, eventos que acabaram refletindo em atrasos pontuais no pagamento dos salários de seus colaboradores" dentro do período de um ano e meio de relação contratual que mantém com a UFC.

Em outro trecho da nota, a Àgape pontua que o sindicato não realizou uma notificação formal à empresa com relação aos atrasos denunciados, se colocando à disposição para conversar e resolver as questões pontuadas pelo Seeaconce. "Aproveitamos para informar que a folha funcional do mês de janeiro já foi devidamente paga e estamos trabalhando para evitar novos entraves operacionais bancários venham a atrapalhar o regular cronograma de pagamento", completa.

Conteúdo sempre disponível e acessos ilimitados. Assine O POVO+ clicando aqui

Dúvidas, Críticas e Sugestões? Fale com a gente

Tags