Participamos do

Escrivão da Polícia Civil é assassinado a tiros dentro do próprio imóvel em Caucaia

Em nota de pesar, corporação manifestou solidariedade aos amigos e familiares do agente e disse que a morte "não passará impune"
13:33 | Jan. 09, 2022
Autor Luciano Cesário
Foto do autor
Luciano Cesário Autor
Ver perfil do autor
Tipo Notícia

Um escrivão da Polícia Civil do Ceará (PC-CE) foi assassinado a tiros na noite desse sábado, 8, dentro de sua própria casa, em Caucaia, na Região Metropolitana de Fortaleza (RMF). O imóvel fica localizado na Rua Canaã, bairro Padre Maria Júlia. O policial, identificado como Edson Silva Macedo, 41, teria trocado tiros com um grupo de criminosos antes de ser atingido na cabeça. 

Segundo a Secretaria da Segurança Pública e Defesa Social (SSPDS), o agente não morava na residência. A casa estava disponível para ser alugada, mas ele decidiu ir ao local após receber informações sobre uma suposta invasão às dependências do imóvel. Logo ao chegar, Edson foi recebido com vários tiros e revidou os disparos. No confronto, ele foi baleado na nuca e morreu na hora. O corpo do escrivão foi encontrado na sala por equipes da Polícia Militar, que foram acionadas por vizinhos para atender a ocorrência. 

Seja assinante O POVO+

Tenha acesso a todos os conteúdos exclusivos, colunistas, acessos ilimitados e descontos em lojas, farmácias e muito mais.

Assine

A Perícia Forense do Ceará (Pefoce) também esteve no local para recolher o corpo e levantar elementos que possam ajudar a descobrir a autoria do crime. Até a manhã a tarde deste domingo, 9, ninguém havia sido preso. A SSPDS informou que as Polícias Militar e Civil continuam em diligências na tentativa de localizar a prender os suspeitos. As investigações sobre o caso são conduzidas pela 11ª Delegacia do Departamento de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP), unidade responsável por apurar crimes contra profissionais de Segurança Pública no Estado.

De acordo com a PC-CE, Edson Silva Macedo ingressou nos quadros da corporação em 2018 e atualmente trabalhava como escrivão no 20º Distrito Policial, em Acaracuzinho, no município de Maracanaú. "Neste momento de dor, a SSPDS se solidariza com todos os familiares e amigos e reconhece os relevantes serviços prestados pelo escrivão à sociedade cearense, que tanto contribuiu no combate à criminalidade no Ceará", lamentou a pasta por meio de nota.

"Não passará impune"

Também por meio de nota, a PC-CE lamentou a morte do policial e prestou solidariedade a amigos e familiares. A corporação disse que várias equipes foram escaladas para atuar nas buscas pelos suspeitos e frisou que a morte do escrivão "não passará impune". 

Confira a nota na íntegra: 

Dúvidas, Críticas e Sugestões? Fale com a gente

Tags