Termo de Uso Política de Privacidade Política de Cookies Conheça O POVO Trabalhe Conosco Fale com a gente Assine Ombudsman
Participamos do

Secretaria da Saúde confirma mais dois casos da variante Delta no Ceará e recomenda autoquarentena

Dois passageiros cearenses, oriundos do Rio de Janeiro, testaram positivo para a nova variante delta. No total, seis casos já foram confirmados no Estado por meio do Centro de Testagem montado no Aeroporto Internacional de Fortaleza
16:21 | Ago. 03, 2021
Autor - Marília Serpa
Foto do autor
- Marília Serpa Autor
Tipo Noticia

Atualizada às 18 horas

O Centro de Testagem de Viajantes, montado pela Secretaria da Saúde do Ceará (Sesa) no Aeroporto Internacional de Fortaleza – Pinto Martins para reforçar a barreira sanitária do Estado, detectou a variante Delta em mais dois cearenses que desembarcaram recentemente vindos do Rio de Janeiro. Os dois passageiros vieram da capital fluminense em diferentes voos do dia 23 de julho, um deles com escala em Guarulhos. Dessa forma, contabilizam-se seis casos (todos oriundos do Rio de Janeiro) da cepa que tem gerado maior preocupação neste momento de pandemia. 

A Rede Genômica da Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz) Ceará, em parceria com o Centro de Hematologia e Hemoterapia do Ceará (Hemoce) e o Laboratório Central de Saúde Pública (Lacen), divulgaram nesta segunda-feira, 2, que os novos casos foram detectados em uma viajante de 22 anos, moradora de Jaguaretama, e em um residente de Ipueiras, de 20 anos. Eles tiveram amostras positivas para Covid-19 após teste rápido realizado no desembarque na Capital cearense, pelo Centro de Testagem do Aeroporto, onde foram recomendados a cumprir isolamento de 10 a 14 dias.

A Sesa convida passageiros e tripulantes dos voos listados abaixo a entrarem imediatamente em contato com o Centro de Informações Estratégicas em Vigilância em Saúde (Cievs/CE) pelos números (85) 98724-0455 / 98438-0480, das 9 às 17 horas, ou comparecer, portando o cartão de embarque e documento com foto, para realização do exame RT-PCR no Laboratório Central de Saúde Pública do Ceará (Lacen), que está de posse da listas dos viajantes.

– Voo GOL 2021 de 23/07/2021 – Rio de Janeiro Fortaleza;
– Voo LATAM 3013 de 23/07/2021 – Rio de Janeiro Guarulhos Fortaleza;

Outros quatro casos da variante Delta já haviam sido confirmados no Estado, também no Aeroporto Internacional de Fortaleza, sendo três mulheres e um homem, com idades entre 22 e 26 anos, moradores de Fortaleza (dois), Caucaia e Itapipoca. Os passageiros vieram do Rio de Janeiro em voos diferentes entre os dias 19 e 21 de julho.

Medidas e recomendações

Os passageiros confirmados com a variante delta e outras variantes foram notificados e seguem sendo monitorados ativamente pela Vigilância Epidemiológica da Sesa e respectivas Secretarias Municipais de Saúde. Novas coletas para medição de carga viral, potencial de transmissão e estudo de anticorpos, além do isolamento social adotado.

Ainda, o Centro de Testagem no Aeroporto ampliou as coletas por amostragem de 5% para 20% dos viajantes que desembarcam de voos oriundos dos estados do Rio de Janeiro, São Paulo, Paraná e Rio Grande do Sul. A Sesa recomenda que todos os passageiros e tripulantes que chegam nos voos com confirmação de casos de Covid-19 realizem autoquarentena de 14 dias, mesmo após exames negativos.

Dúvidas, Críticas e Sugestões? Fale com a gente

Tags

Vacinômetro: Ceará tem 17,78% da população vacinada contra Covid-19

CORONAVÍRUS
17:49 | Ago. 03, 2021
Autor Mirla Nobre
Foto do autor
Mirla Nobre Autor
Ver perfil do autor
Tipo Notícia

O Ceará tem um total de 1.633.778 pessoas que completaram a imunização contra a Covid-19 (duas doses de AstraZeneca, CoronaVac, Pfizer ou dose única da Janssen). A quantidade equivale a 17,78%* da população, de um total de 9,1 milhões de pessoas que residem no Estado. Em relação à primeira dose (D1), 3,8 milhões de pessoas receberam a vacina, contabilizando 42,22% da população do Estado. Ceará aplicou mais de 5,5 milhões de doses da vacina contra a doença em seis meses da campanha de vacinação contra a doença.

As informações são da plataforma Vacinômetro, da Secretaria da Saúde do Ceará (Sesa), consolidadas às 17 horas dessa segunda-feira, 2. Já as estimativas da quantidade populacional são do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). A plataforma ainda mostra que, nas últimas 24 horas, 23 mil pessoas receberam a D1, 13 mil a D2 e nenhuma pessoa recebeu a vacina de dose única.

LEIA MAIS | Xepa de vacina contra Covid-19 existe em Fortaleza? Saiba como o processo funciona

+ Covid: Variante Delta é identificada em viajantes que chegaram a Fortaleza

No levantamento dos imunizantes que chegaram ao Ceará, por meio do Plano Nacional de Imunização (PNI), coordenado pelo Ministério da Saúde, mais de seis milhões de vacinas foram entregues ao Estado e foram distribuídas aos 184 municípios. A população vem sendo contemplada com doses das vacinas CoronaVac/Instituto Butantan, AstraZeneca/Oxford, Pfizer/BioNTech e Janssen/Johnson&Johnson — esta última utiliza apenas uma dose de aplicação para imunização contra o vírus.  

No fim de semana, o Ceará recebeu um total de 316.360 doses de vacinas contra a Covid-19, sendo 143.200 da CoronaVac e 173.160 da Pfizer. No entanto, o lote recebido é menor do que o previsto pelo Ministério da Saúde, cuja previsão era de entregar 319.960 doses. Segundo informações do governador Camilo Santana (PT), a pasta federal deve compensar quantitativo nas próximas remessas. 

Confira os números da vacinação no Ceará

Total de doses aplicadas: 5.478.013
Total de D1 aplicadas: 3.855.400
Total de D2 aplicadas: 1.474.118
Total de doses únicas aplicadas: 148.495

LEIA TAMBÉM | Fortaleza retoma aplicação de primeira dose na quarta-feira, 4

Campanha de vacinação

Na campanha de vacinação contra a Covid-19 no Estado, todos os municípios cearenses já começaram a vacinar a população em geral. A nova etapa da campanha acontece de forma escalonada por ordem decrescente de idade, a partir dos 59 anos. Para receber a vacina, as pessoas devem estar devidamente cadastradas na plataforma Saúde Digital, da Sesa.

LEIA MAIS | Perdeu data da segunda dose da vacina contra Covid? Saiba onde ser imunizado

+ Passo a passo: como se cadastrar para a vacinação contra a Covid-19 no Ceará

Além do público em geral, as pessoas incluídas nos grupos prioritários das fases 1, 2, 3 e 4, do PNI, estão recebendo os imunizantes contra o coronavírus em paralelo. Dentre as categorias, estão: trabalhadores da saúde, idosos, indígenas, quilombolas, pessoas com comorbidades, grávidas, puérperas, pessoas portadoras de deficiência, moradores de rua, trabalhadores da educação, profissionais do transporte coletivo rodoviário, metroviário, aéreo, aquaviário, portuários entre outros.

Em Fortaleza, pessoas com 40 anos ou mais e que ainda não receberam a primeira dose da vacina contra a Covid-19 poderão buscar qualquer centro de vacinação na Capital a partir da quarta-feira, 4. Não há necessidade de agendamento prévio, mas as pessoas devem estar cadastradas no site Saúde Digital. Também a partir desta quarta, Fortaleza volta a vacinar pessoas com a primeira dose (D1) do imunizante contra o novo coronavírus. A aplicação da D1 tinha paralisado no último fim de semana, por falta de imunizantes.

Veja os números de vacinados por grupo prioritário no Estado**

- Profissionais de Saúde (fase 1)

Dose 1 (D1): 259.355 (102%)
Dose 2 (D2): 210.594 (81%)
Dose Única (DU): 94

- Idosos institucionalizados (fase 1)

Dose 1 (D1): 2.207 (109%)
Dose 2 (D2): 2.169 (107%)
Dose Única: 0

- Indígenas (fase 1)

Dose 1 (D1): 19.469 (95%)
Dose 2 (D2): 19.191 (94%)

- Idosos > 75 anos (fase 1)

Dose 1 (D1): 375.286 (108,86%)
Dose 2 (D2): 359.402 (104,24%)
Dose Única: 96

- Deficientes institucionalizados (fase 1)

Dose 1 (D1): 559 (148,28%)
Dose 2 (D2): 534 (138%)
Dose Única: 0

- Idosos entre 70 e 74 anos (fase 2)

Dose 1 (D1): 238.674 (107,28%)
Dose 2 (D2): 217.263 (97,87%)
Dose Única (DU): 95

- Idosos entre 65 e 69 anos (fase 2)

Dose 1 (D1): 270.755 (98,08%)
Dose 2 (D2): 255.887 (92,17%)
Dose Única (DU): 95

- Idosos entre 60 e 64 anos (fase 2)

Dose 1 (D1): 334.085 (99%)
Dose 2 (D2): 259.811253.824 (67%)
Dose Única: 534

- Povos e comunidades quilombolas (fase 2)

Dose 1 (D1): 14.858 (100%)
Dose 2 (D2): 12.664 (81%)
Dose Única: 0

- Trabalhadores da Força de Segurança, Salvamento e Forças Armadas (fase 2)

Dose 1 (D1): 32.619 (111%)
Dose 2 (D2): 8.379 (27%)
Dose Úncia: 49

- Gestantes, Puérperas e Comorbidades (fase 3)

Dose 1 (D1): 52.189 (89%)
Dose 2 (D2): 12.511 (19%)

- PCD e Comorbidades (Fase 3)

Dose 1 (D1): 417.269 (81%)
Dose 2 (D2): 58.693 (9%)
Dose Única: 439

- Trabalhadores da Educação (Fase 4)

Dose 1 (D1): 176.056 (97,76%)
Dose 2 (D2): 2.206 (1%)
Dose Única: 303

- Trabalhadores Portuários (Fase 4)

Dose 1 (D1): 2.975 (132%)
Dose 2 (D2): 22
Dose Única: 1

- Trabalhadores Transporte Aéreo (Fase 4)

Dose 1 (D1): 1.598 (95%)
Dose 2 (D2): 201
Dose Única: 4

*A Sesa destacou que os dados oscilam negativamente em relação aos dias anteriores por consequência de ajustes nas planilhas enviadas pelos municípios.

**As porcentagens da vacinação da população cearense são definidas com base em metas estabelecidas pela Secretaria Estadual da Saúde do Ceará (Sesa) para cada público prioritário. As taxas de aplicação correspondem às doses que já foram distribuídas. Mediante o envio de lotes de vacinas pelo Ministério da Saúde (MS), as doses dos imunizantes são distribuídas aos municípios proporcionais às estimativas populacionais de cada grupo prioritário (meta).259.285

Dúvidas, Críticas e Sugestões? Fale com a gente

Tags

Covid-19: Rio pede que empresas liberem funcionários para vacinar

Saúde
17:16 | Ago. 03, 2021
Autor Agência Brasil
Foto do autor
Agência Brasil Autor
Ver perfil do autor
Tipo Notícia

A prefeitura do Rio de Janeiro lançou hoje (3) uma campanha que pede que empregadores apoiem a vacinação contra a covid-19 facilitando a ida de seus funcionários aos postos no dia marcado pela Secretaria Municipal de Saúde.

A administração municipal pede que as empresas incentivem os trabalhadores a se vacinarem no dia certo e adotem ações que facilitem a imunização. Entre as recomendações para ajudar os trabalhadores a se imunizarem no dia marcado estão ampliar o horário de almoço, postergar a entrada ou antecipar o fim da jornada, e dar preferência ao home office, se for possível.

Em texto divulgado pela Secretaria Municipal de Saúde, o secretário Daniel Soranz explica que a campanha foi lançada porque um dos principais relatos de quem não vai se vacinar no dia certo é a falta de tempo por causa do trabalho.

O secretário acrescenta que cada pessoa que deixa de se vacinar no dia certo impacta a campanha, porque aumentam as filas e a demanda por repescagem. Com isso, a vacinação avança de forma mais lenta.

"Temos mais de 280 postos de vacinação na cidade e é possível ir próximo de casa, antes de trabalhar, ou próximo ao local de trabalho, durante o expediente. O importante é vacinar", diz Soranz.

Os materiais da campanha estão disponíveis no site da prefeitura dedicado ao combate à pandemia.

Dúvidas, Críticas e Sugestões? Fale com a gente

Tags

Trabalho remoto gerou economia de R$ 1,4 bi no Executivo federal

Economia
17:01 | Ago. 03, 2021
Autor Agência Brasil
Foto do autor
Agência Brasil Autor
Ver perfil do autor
Tipo Notícia

O trabalho remoto dos servidores públicos federais durante a pandemia da covid-19 gerou economia de R$ 1,419 bilhão, divulgou hoje (3) a Secretaria Especial de Desburocratização, Gestão e Governo Digital do Ministério da Economia. O levantamento considerou a redução de gastos de custeio (manutenção da máquina pública) de março de 2020 a junho de 2021.

Ao todo, foram analisados cinco tipos de despesas: diárias; passagens e locomoção; energia elétrica; água e esgoto; e cópias e reprodução de documentos. De acordo com o Ministério da Economia, cerca de 190 mil servidores públicos federais continuam trabalhando de forma remota, o equivalente a 32% do total.

A digitalização dos serviços públicos contribuiu para a manutenção do trabalho remoto. Atualmente, o Portal Gov.br oferece 4.648 serviços, dos quais 3.284 (70,7%) são completamente digitalizados, dispensando a necessidade de o cidadão sair de casa. Outros 647 serviços (13,9%) são parcialmente digitalizados, requerendo o envio de documentos físicos ou a ida a alguma unidade de atendimento em alguma etapa, e 717 (15,4%) não são digitais, apenas iniciados pelo portal e executados fisicamente.

Segundo o levantamento, o maior volume de economia foi registrado com passagens e despesas com locomoção, com R$ 512,6 milhões que deixaram de ser gastos desde o início da pandemia. Em seguida vêm os gastos com diárias em viagens (R$ 450,2 milhões); energia elétrica (R$ 392,9 milhões); cópias e reproduções de documentos (R$ 57,7 milhões); e serviços de água e esgoto (R$ 5,9 milhões). Todos os valores foram atualizados pela inflação do período considerando o Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA).

Programa permanente

Por meio do Programa de Gestão (PG), o Ministério da Economia pretende transformar o teletrabalho permanente em alguns órgãos, incentivando os órgãos federais a adotar o trabalho remoto em atividades em que a presença física dos servidores não seja essencial. Até o momento, nove órgãos federais completaram o processo de adesão.

Entre os ministérios, as pastas da Economia, da Cidadania, do Desenvolvimento Regional aderiram ao teletrabalho permanente. Completam a lista a Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel); a Agência Nacional de Transportes Aquaviários (Antaq); a Controladoria-Geral da União (CGU); a Advocacia-Geral da União (AGU); o Conselho Administrativo de Defesa Econômica (Cade) e a Escola Nacional de Administração Pública (Enap).

Segundo o Ministério da Economia, o Programa de Gestão representa uma mudança de cultura, ao substituir controle de frequência por controle de produtividade, com metas, prazos e tarefas definidas, o que contribui para aprimorar a qualidade do serviço público. As regras para o teletrabalho no Poder Executivo estão regulamentadas pela Instrução Normativa 65, de julho de 2020.

Dúvidas, Críticas e Sugestões? Fale com a gente

Tags

Ceará, Fortaleza e FCF finalizam protocolo e querem liberação de 40% de público nos estádios

Volta aos estádios
16:38 | Ago. 03, 2021
Autor Afonso Ribeiro
Foto do autor
Afonso Ribeiro Autor
Ver perfil do autor
Tipo Noticia

Em reunião na tarde desta terça-feira, 3, Ceará, Fortaleza e Federação Cearense de Futebol (FCF) ajustaram os últimos detalhes do protocolo para o retorno dos torcedores aos estádios. O Esportes O POVO apurou que o documento, que será enviado ao Governo do Estado na próxima quarta-feira, 4, solicita liberação de 40% da capacidade dos estádios e prevê acesso para torcedores com imunização completa pela vacina ou testagem prévia para Covid-19.

O protocolo estabelece dois critérios principais para o acesso dos torcedores: as duas doses da vacina tomadas - ou dose única, no caso da Janssen - ou realização de teste PCR até 48 horas antes da partida. No caso da Arena Castelão, utilizada pelos dois clubes, a liberação de 40% de público seria equivalente a 24 mil torcedores - a capacidade total atual é de 60 mil pessoas.

O pedido oficial será encaminhado ao Governo na quarta-feira, 4, e deverá entrar em pauta na reunião semanal do Comitê estadual de combate à pandemia, na próxima sexta-feira, 6.

Diante da intenção da Confederação Brasileira de Futebol (CBF) de permitir a presença de público a partir das quartas de final da Copa do Brasil - e, possivelmente, ampliar para outras competições -, os dois clubes cearenses da Série A e a Federação decidiram se antecipar para tentar avançar.

As três partes mantinham conversas há alguns meses e já se movimentavam nos bastidores para dar esse passo. Uma reunião chegou a ser marcada com a Secretaria de Saúde, mas sem sucesso pela ausência do titular da pasta, Carlos Roberto Martins Rodrigues Sobrinho, o Dr. Cabeto.

Alvinegros e tricolores, inclusive, chegaram a firmar parceria com uma empresa de tecnologia que disponibilizaria um aplicativo para controlar a entrada dos torcedores de acordo com os requisitos.

Dúvidas, Críticas e Sugestões? Fale com a gente

Tags

Covid-19: prefeitura de SP mostra preocupação com variante Delta

Saúde
15:31 | Ago. 03, 2021
Autor Agência Brasil
Foto do autor
Agência Brasil Autor
Ver perfil do autor
Tipo Notícia

O Secretário Municipal de Saúde da capital paulista Edson Aparecido disse hoje (3) que a cidade continua intensificando as ações de prevenção contra a covid-19, principalmente no momento em que há variantes de preocupação em circulação como a variante Delta, identificada inicialmente na Índia. Apesar de destacar a prevalência da variante Gama (anteriormente conhecida como P1) no país, o secretário enfatizou que a Delta já foi identificada em 23 casos de covid-19 no município entre 5 e 27 de julho. 

Segundo Aparecido, apesar de os dados disponíveis sobre a transmissibilidade ou gravidade da variante Delta ainda serem limitados com relação às outras variantes, as modelagens feitas até o momento pela Organização Mundial da Saúde (OMS) sugerem taxa de crescimento maior do que as outras variantes circulantes na Índia, o que automaticamente sugere maior potencial de transmissão. 

"Em função de todo esse quadro, a Secretaria intensificou as ações e continua reforçando as recomendações de uso correto da máscara, distanciamento social, higienização das mãos e evitar aglomerações. Caso apresente algum sintoma de síndrome gripal, procurar uma unidade de saúde e investigar qualquer caso suspeito por meio de exames clínicos e laboratoriais. Além disso, os casos devem ficar em isolamento por dez dias e seus contatos próximos fazer quarentena por 14 dias", disse. 

De acordo com o secretário, todos os que tiverem sinais de contaminação e os que tiveram contato com essas pessoas receberão máscaras N95. Segundo ele, as barreiras sanitárias em terminais rodoviários, de carga e aeroportos continuam. "Vamos distribuir em toda a rede 500 mil máscaras para a contenção da disseminação da variante. Os casos leves e moderados são atendidos e acompanhados pela atenção básica com monitoramento por 14 dias, com avaliação clínica e de oximetria", explicou Aparecido.

Segundo Aparecido, não há evidências de aumento de casos de covid-19 entre crianças e adolescentes, motivo pelo qual não há previsão de implantação de novos leitos pediátricos nas unidades de internação da cidade. "Nós tínhamos 118 leitos pediátricos antes da pandemia e continua esse número, além de outros dez no Hospital de São Miguel e dez de UTI neo-natal em Itaquera. No momento, não temos nenhuma criança ou adolescente com covid internada". 

O secretário ressaltou ainda que a cidade continua registrando queda nas internações e nas mortes, mas ainda há estabilidade no número de casos. "A transmissibilidade, que registra aumento de pouco mais de 1%, pode ser fruto da circulação da variante Delta e do momento sazonal com baixas temperaturas, no qual é comum o avanço de casos de síndrome gripal. Por isso é preciso ficarmos atentos, para termos uma transição segura até o final da vacinação total". 

Adesão à vacinação

Segundo o prefeito de São Paulo, Ricardo Nunes, a cidade registra uma grande adesão à vacina, com a imunização em torno de 83,8% do público alvo com a primeira dose. "Agradeço a grande adesão da população de São Paulo. Por conta disso, podemos anunciar a ampliação dos alunos nas escolas e iniciar uma cautelosa retomada da economia, fundamental para combater a desigualdade social", afirmou.

Nunes anunciou ainda a antecipação da vacinação de pessoas com 25 anos para a próxima sexta-feira (6) . Na quinta-feira (5) será a vez dos munícipes com 26 anos e os de 27 podem se vacinar amanhã (4). No sábado (7), aqueles que precisarem tomar a segunda dose, podem ir aos postos de vacinação. 

Para receber a vacina, é obrigatório apresentar comprovante de residência na capital e um documento de identificação. Pelo Filômetro, é possível acompanhar a situação de espera nos postos de vacinação contra a covid-19 que estão em funcionamento na cidade.

Nunes informou ainda que a capital paulista está com 41% dos leitos de UTI voltados para pacientes com covid-19 ocupados, enquanto 25% dos leitos de enfermaria voltados para pacientes com covid-19 estão ocupados.

Dúvidas, Críticas e Sugestões? Fale com a gente

Tags