PUBLICIDADE
Ceará
NOTÍCIA

DJ Ivis: defesa deve pedir relaxamento da prisão e adoção de medidas cautelares nesta sexta, 16

Como não houve audiência de custódia nesta quinta-feira, 15, advogados irão antecipar pedido de relaxamento da prisão

22:12 | 15/07/2021
Advogado de DJ Ivis, André Quesado, na porta da Delegacia de Capturas na tarde desta quinta-feira, 15 (Foto: Luciano Cesário)
Advogado de DJ Ivis, André Quesado, na porta da Delegacia de Capturas na tarde desta quinta-feira, 15 (Foto: Luciano Cesário)

A defesa do DJ Ivis Araújo deve pedir à Justiça do Ceará nesta sexta-feira, 16, a revogação da prisão temporária do músico em troca da adoção de medidas cautelares, como o uso de tornozeleira eletrônica e recolhimento domiciliar. Os advogados esperavam que a audiência de custódia fosse realizada nesta quinta-feira, 15, na Delegacia de Capturas (Decap), onde o músico está preso desde quarta-feira, 14. Na audiência, o juiz avalia a soltura ou manutenção da prisão. Segundo entendimento do Supremo Tribunal Federal (STF) aprovado em 2020, o procedimento deve ocorrer em até 24h após a detenção.

LEIA MAIS | Motorista diz que DJ Ivis só foi preso devido a repercussão do caso

Como o Tribunal de Justiça do Ceará (TJCE) ainda não estipulou prazo para a realização da audiência, a defesa deve antecipar o pedido de relaxamento da prisão. Um dos advogados do DJ, André Quesado, afirma que “não há motivos para a restrição da liberdade”. Para ele, a prisão preventiva “é a medida mais grave” e só deve ser aplicada para quem tenha histórico de crimes.

"Essa é a última medida a ser tomada. Geralmente só é aplicada para quem é reincidente, o que não é o caso”, disse o advogado ao O POVO na porta da Delegacia de Capturas, onde passou boa parte do dia aguardando a audiência de custódia. Quesado adianta que, no pedido de revogação da prisão a ser encaminhado à Justiça nas próximas horas, a defesa deve solicitar o uso de tornozeleira eletrônica em substituição à reclusão. “Neste momento, não se faz necessária a manutenção da prisão porque existem outras medidas cautelares diversas. Por exemplo, o monitoramento eletrônico”, acrescenta.

O advogado ainda revela que esteve com DJ Ivis poucas horas depois da prisão e apontou que o músico “tem esperança” de conseguir de volta a liberdade. “Por não ser uma pessoa voltada para o crime e ter se apresentado na delegacia espontaneamente, ele tem a esperança, como leigo, de conseguir ser beneficiado com a liberdade. Ele está na ansiedade, bastante abalado emocionalmente, mas aguardando que venha alguma decisão, alguma coisa”, conta Quesado. “No momento, o maior objetivo da defesa é garantir a ele o direito de ele responder esse processo em liberdade”, completou o advogado, sem estipular prazo para que isso aconteça.

Ivis divide cela com um preso e responde a dois inquéritos

Preso há mais de 24 horas, DJ Ivis divide cela comum com outro detento, segundo informou uma fonte ao O POVO. A defesa teme que um novo prisioneiro com maior potencial agressivo seja encaminhado ao espaço, por isso quer apressar o pedido de relaxamento da prisão.

O músico vai responder a dois inquéritos por lesão corporal no âmbito da violência doméstica e familiar, conforme informou a Polícia Civil do Ceará em coletiva de imprensa realizada nesta quinta, 15. Ivis é investigado por agressão à sua ex-esposa Pamella Holanda.

A prisão decretada na quarta, 14, está relacionada com o primeiro Boletim de Ocorrência registrado pela vítima no dia 3 de julho, cerca de 48 horas após as agressões. Somado a isso, os vídeos em que Pamella aparece sendo agredida pelo DJ deram origem a um segundo procedimento investigativo, pois as imagens foram registradas em dezembro de 2020, e à época não houve denúncia.

“Essas imagens vieram à tona nas redes sociais no domingo, 11, e são de dezembro de 2020. Isso ajudou a Polícia a fundamentar o pedido de prisão preventiva, já que os relatos são de que os fatos se repetiam”, disse o delegado Thársio Facó, titular da delegacia do Eusébio, onde o caso está sendo apurado. As imagens foram captadas por câmeras de monitoramento interno num apartamento de Ivis localizado no bairro Passaré, em Fortaleza.

Os vídeos foram divulgados por Pamella em suas redes sociais no último domingo, 11, causando enorme repercussão e comoção nacional. Nos registros, Ivis a agride com chutes, socos e puxões de cabelo. De acordo com o secretário da Segurança Pública do Ceará, Sandro Caron, as imagens foram decisivas para a decretação da prisão. “Com as imagens e o pedido da prisão preventiva, decidimos acompanhá-lo para que a prisão fosse feita o mais rapidamente e discretamente possível”, disse Caron durante a coletiva.

Segundo a Polícia Civil, até o momento nove testemunhas prestaram depoimento sobre o caso, entre os quais o investigado, a vítima e o motorista de Ivis, que presenciou as agressões. A mãe de Pamella, que também aparece nas filmagens enquanto a filha é agredida, ainda não foi ouvida. (Colaborou Angélica Feitosa)