PUBLICIDADE
Ceará
NOTÍCIA

Com atividade presenciais suspensas pela pandemia, alunos denunciam suposto descaso da Uece

Uece afirma que medidas estão sendo analisadas e discutidas, e que todas as decisões serão "amplamente divulgadas", assim que concluídas

Gabriela Almeida
20:17 | 18/08/2020
Fachada da Uece (Foto: Tatiana Fortes em 04/04/2019)
Fachada da Uece (Foto: Tatiana Fortes em 04/04/2019)

Alunos da Universidade Estadual do Ceará (Uece) afirmaram que a instituição tem agido com "descaso" quanto à situação da comunidade acadêmica frente à pandemia do novo coronavírus. Segundo denunciantes afirmaram para O POVO, desde que serviços foram suspensos, em março deste ano, a entidade não apresenta propostas de retorno e nem permite matrícula dos aprovados no último vestibular, que ocorreu ainda em 2019. Em nota, a Uece afirma que medidas estão sendo analisadas e discutidas, e que todas as decisões serão "amplamente divulgadas", assim que concluídas (confira mais sobre a nota ao final do texto).

O último informativo publicado no site da instituição sobre a situação das aulas mediante pandemia ocorreu há quase cinco meses e se refere a suspensão das atividades presenciais. A medida foi tomada após o governador do Ceará, Camilo Santana, prorrogar medidas do decreto Estadual, que havia sido estabelecido recentemente na época.

| LEIA MAIS |

Apesar de melhora, aprendizagem de estudantes do 9º ano ainda é desafio para a educação pública no Ceará

Uece se destaca em 1° lugar entre as universidades estaduais do Brasil no indicador "redução da desigualdade"

A crise sanitária acabou se estendendo no Estado e as aulas presenciais permaneceram sendo suspensas por muito mais tempo do que o inicialmente previsto. Algumas instituições, como a Universidade Federal do Ceará (UFC), chegaram a adotar o modelo de ensino a distância (EAD) para prosseguir com o calendário acadêmico.

Na Uece, contudo, o método foi aplicado apenas para a finalização do semestre 2019.2. Segundo relatos dos alunos, a entidade não demonstrou “esforços” para ajudar a comunidade acadêmica e não estabeleceu um canal de comunicação transparente com ela, o que denunciantes consideraram como “descaso”.

Da felicidade à aflição

Outro ponto levantado por estudantes é quanto ao último vestibular realizado pela instituição em novembro de 2019. A lista com o nome dos aprovados foi divulgada em fevereiro deste ano, mas o processo de matrícula foi suspenso devido à pandemia.

Esse é o caso de Thiciano Aragão, que prestou o último vestibular e foi aprovado na XIX turma de Medicina da instituição. Sem conseguir se matricular até o momento, o jovem trocou a felicidade em ter passado pela aflição de não saber quando irá conseguir realizar sua matrícula.

“Eu sei que é uma situação difícil, mas isso não é justificativa. Tem universidades que adotaram o EAD, porque a Uece não segue o exemplo?”, questiona o aprovado quanto ao início das aulas. Thiciano ainda defende que a entidade deveria mobilizar setores para pensar em formas de realizar a matrícula, obedecendo o decreto Estadual e auxiliando os aprovados.

O jovem também destaca que a ausência de uma conversa clara por parte da instituição tem aumentado a aflição dos estudantes. "Estamos muito tristes e aflitos, pois todos os pedidos de satisfação e de medidas concretas têm sido silenciados e ignorados nas redes sociais", desabafa. 

Após a suspensão das aulas, a Universidade também suspendeu o Vestibular 2020.2, que ocorreria em maio. Até julho deste ano, a entidade não havia apresentado o novo cronograma ou aberto o processo de inscrição.

Retorno está sendo discutido

Em nota divulgada ao O POVO, a Uece reforçou que as aulas presenciais do semestre 2019.2 foram suspensas e alegou que diversos cursos tiveram disciplinas concluídas por meio remoto. Para as situações em que não foi possível adotar o modelo, a entidade ainda afirmou que estabeleceu um novo prazo, "por meio de Adendo ao Calendário Acadêmico, aprovado pelo Conselho de Ensino, Pesquisa e Extensão (CEPE)".

Dessa maneira, todos os cursos que ainda não haviam conseguido encerrar o semestre 2019.2 devem ser concluídos até o dia 4 de setembro, fazendo uso do método remoto de ensino. Em relação a matrícula dos aprovados, entidade garante que a elaboração do Calendário 2020.1, que inclui a inscrição, está sendo discutido no Grupo de Trabalho para Enfrentamento à Pandemia, criado pela instituição e composto, entre outros, por epidemiólogos e infectologistas.

O grupo atua analisando medidas que podem ser utilizadas para a retomada das aulas em meio à pandemia, assim como a forma em que elas devem ser executadas. Segunda instituição, a equipe ainda não estabeleceu uma data especifica para que o semestre 2020.1 possa ser seguido.

Segue em discussão também as novas datas de inscrição e realização do vestibular que iria acontecer no meio deste ano. Por fim, entidade de ensino garante que todas as decisões serão "amplamente divulgadas", assim que concluídas.