PUBLICIDADE
Ceará
NOTÍCIA

Governo do Ceará decreta situação de emergência em três municípios devido à seca

O armazenamento de água nos açudes motivou a medida, que deve se estender por 180 dias. Os municípios afetados são: Monsenhor Tabosa, Pedra Branca e Salitre

Leonardo Maia
13:17 | 04/06/2020
Apesar de chuvas acima da média, armazenamento de água em reservatórios no Ceará preocupa autoridades. Foto tirada em 2013, em açude no município de Caridade, no interior do Estado. (Foto: O POVO)
Apesar de chuvas acima da média, armazenamento de água em reservatórios no Ceará preocupa autoridades. Foto tirada em 2013, em açude no município de Caridade, no interior do Estado. (Foto: O POVO)

Governo do Ceará decretou situação de emergência em três municípios atingidos pela seca. A medida foi publicada através do decreto nº 33.609 na edição do dessa quarta-feira, 3, do Diário Oficial do Estado. As cidades afetadas neste ano são: Monsenhor Tabosa, Pedra Branca e Salitre. As duas primeiras pertencem ao Sertão Central e a última à Chapada do Araripe.

O Ceará acumulou precipitações de 734.3 mm entre fevereiro e maio deste ano, período que compreende a quadra chuvosa, conforme dados parciais da Fundação Cearense de Meteorologia e Recursos Hídricos (Funceme). É a primeira vez nesta década que o Estado tem chuvas acima da média histórica.

Nesse período, todas as macrorregiões registraram índices acima da média histórica. 

Leia Mais Ceará supera em 22% a média de precipitações para a quadra chuvosa

Entenda por que ainda chove em junho em Fortaleza

A situação mais crítica, no entanto, que motivou a decretação da emergência por seca nesses municípios, é o armazenamento dos açudes no Ceará, de acordo com o Executivo Estadual. O reservatório localizado em Monsenhor Tabosa, por exemplo, tem volume de 1,3%, segundo dados do Portal Hidrológico, ferramenta da Secretaria dos Recursos Hídricos (SRH) que monitora o nível dos reservatórios.

As medidas adotadas pelo governador Camilo Santana (PT) ainda levam em conta o parecer técnico do dia 18 de maio deste ano da Coordenadoria Estadual de Defesa Civil. O POVO solicitou acesso ao documento à assessoria do Corpo de Bombeiros e aguarda resposta.

>> Açudes têm melhores aportes no primeiro trimestre de 2020, mas recuperação ainda é lenta

A situação de emergência deve vigorar pelo prazo de 180 dias a partir da data de publicação e contará com mobilização do Sistema Nacional de Proteção e Defesa Civil (Sinpdec) para atuar nas respostas à seca. As ações visam garantir o acesso à água para consumo humano e animal, comprometido devido “à irregularidade das chuvas e as elevadas temperaturas”, segundo o decreto.

O número de municípios estão em situação de emergência é significativamente inferior quando comparado à mesma situação no ano passado. No fim de abril de 2019, o Governo do Estado declarou emergência por seca em 26 municípios. Na oportunidade, a Defesa Civil disse esperar pela continuidade das operações de carro-pipa tanto em âmbito estadual quanto em âmbito federal para que a crise fosse combatida.