Participamos do

Maioria das internações por Covid-19 é de não vacinados, diz Queiroga

Em meio à alta de casos provocada pela transmissão da variante ômicron, ministro reiterou pedido para que população se imunize contra a Covid-19
04:01 | Jan. 14, 2022
Autor Leticia Borges
Foto do autor
Leticia Borges Autor
Ver perfil do autor
Tipo Notícia

O ministro da Saúde, Marcelo Queiroga, falou hoje em coletiva de imprensa que a maioria dos internados pela Covid-19 hoje em hospitais e UTIs é formada por pessoas que não tomaram a vacina ou não completaram seu esquema vacinal. O ministro reforçou que as pessoas devem tomar a segunda dose e a de reforço, em meio à alta de casos que vem se expandindo nos últimos dias, provocada pela transmissão da variante ômicron.

"Países que estão fortemente vacinados, como o Brasil, têm mais possibilidade de passar pela variante ômicron e outras variantes que, por acaso, surjam desse vírus, que tem grande capacidade de gerar mutações", continuou o ministro.

Seja assinante O POVO+

Tenha acesso a todos os conteúdos exclusivos, colunistas, acessos ilimitados e descontos em lojas, farmácias e muito mais.

Assine


A vacina infantil é segura?

Na coletiva, Queiroga falou sobre segurança da vacinação infantil e chegada das doses no Brasil. Ele pontuou que o Brasil receberá 20 milhões de doses da vacina pediátrica da Pfizer até o final de março, e reiterou que a vacina pediátrica contra Covid-19 tem se mostrado segura nos locais em que já é aplicada - alguns países começaram a imunizar crianças entre 5 e 11 anos em novembro de 2021.

"Apesar de recentes, essas vacinas têm sido aplicadas nos principais sistemas de saúde no mundo. Começou em novembro, sobretudo nos Estados Unidos, onde mais de 8 milhões de doses foram aplicadas em crianças de 5 a 11 anos, e não tem sido notificados eventos adversos maiores", concluiu o ministro.

Mais notícias sobre Covid-19

Dúvidas, Críticas e Sugestões? Fale com a gente

Tags