PUBLICIDADE
Cearenses
Noticia

"Luz vermelha que eu conheço é de um cabaré", dispara técnico do Ferroviário após vitória

Após fim de jejum de três jogos sem vencer, Francisco Diá elogia atuação coral no triunfo por 2 a 0 sobre o Paysandu e solta pérola para rechaçar crise

21:28 | 11/07/2021
Técnico Francisco Diá no banco de reservas no jogo Paysandu x Ferroviário, na Curuzu, pela Série C 2021 (Foto: Lenilson Santos/Ferroviário)
Técnico Francisco Diá no banco de reservas no jogo Paysandu x Ferroviário, na Curuzu, pela Série C 2021 (Foto: Lenilson Santos/Ferroviário)

A entrevista de Francisco Diá após a vitória do Ferroviário por 2 a 0 sobre o Paysandu, neste domingo, 11, no estádio da Curuzu, em Belém/PA, pela sétima rodada da Série C, rendeu nova pérola: o treinador elogiou a postura e a atuação dos jogadores no primeiro triunfo como visitante e rechaçou qualquer indício de crise pelos três jogos anteriores sem vitória, fazendo referência a um cabaré de Natal/RN.

Questionado se as derrotas para Tombense-MG e Jacuipense-BA e o empate com o Volta Redonda-RJ em sequência, que deixaram o Tubarão na sétima posição, à beira da zona de rebaixamento do Grupo A, tinham ligado a "luz vermelha" na Barra do Ceará, o comandante disparou:

"A luz vermelha que é conheço é de um cabaré que tem lá em Natal, a luz de Maria Boa, porque aqui não existe luz vermelha. Existe um time brigando em busca de uma classificação", afirmou.

Leia outras pérolas de Diá

+ "Estou achando que pisei em rastro de corno", diz técnico do Ferroviário ao lamentar seca de gols
+ Técnico do Ferroviário surpreende em entrevista: "Vivo futebol 24 horas, não estou fazendo nem sexo"

Satisfeito com o desempenho da equipe coral, Diá revelou que precisou equilibrar a parte física dos atletas ao longo da semana de trabalho, destacou a variação tática no decorrer do triunfo sobre o Papão e deixou claro que a meta é se firmar no G-4 para brigar pelo acesso.

"Parabenizar o grupo pela entrega, dedicação, obediência tática, mudança de posicionamento dentro da partida. Eles assimilaram bem, um grupo jovem. Eu falava para eles naquele momento, em que tínhamos uma semana muito intensa, muito forte, e conversei com meu presidente que o treino não foi bem. Descansei dez jogadores na quinta-feira porque a intensidade foi muito alta. E assim se refletiu nesse primeiro tempo, com o descanso que eles tiveram, alimentação, hotel, e fizemos um grande primeiro tempo. É claro que o desgaste foi muito grande e alguns jogadores sentiram, mas nós temos um elenco que aquele jogador que vem entrando vem fazendo a diferença. Então os (jogadores) que entraram, entraram muito bem, o time fez uma grande partida. E ganhar aqui do Paysandu não é fácil. São três pontos que nos credenciam a ir em busca de uma classificação. É difícil? É, mas não é impossível", avisou.

O treinador ainda falou sobre o retorno do atacante Edson Cariús, emprestado pelo Fortaleza até o final desta temporada. Francisco Diá ponderou que será necessário avaliar a parte física do centroavante para definir se ele será opção diante do Manaus, no próximo domingo, 18, às 18 horas, na Arena Castelão.

"A gente vai ver como é que Cariús chega. Ele não vinha jogando lá, precisa de um ritmo. É um jogador que a gente sabe da característica, do potencial, mas tem também o Thiago, que tem entrado muito bem. Ele ficou uma semana resolvendo problemas particulares, mas a gente vai ver ao longo da semana. É muito cedo ainda para fazer uma análise. Mas é um reforço importante que eu tenho certeza que vai nos ajudar bastante", avaliou.