PUBLICIDADE
Cearenses
NOTÍCIA

Ferroviário empata sem gols contra Jacuipense em jogo fraco tecnicamente

Pela 15ª rodada da Série C, Ferrão esbarrou no calor de 31°C de jogo que iniciou às 15 horas. No segundo tempo, time criou pouco, perdeu chance clara e chegou à quarta partida sem vitória no campeonato

Samuel Pimentel
17:19 | 14/11/2020
Calor de Horizonte às 15 horas atrapalhou o desempenho dos atleta
 (Foto: Lenílson Santos / Ferroviário)
Calor de Horizonte às 15 horas atrapalhou o desempenho dos atleta (Foto: Lenílson Santos / Ferroviário)

O Ferroviário não conseguiu tirar o zero do placar, apesar de chance clara aos 40 minutos do segundo tempo, e empatou em 0 a 0 com a Jacuipense-BA, pela 15º rodada da Série C, em jogo no estádio Domingão, em Horizonte. Chegando à fase decisiva da primeira fase da Série C, o Ferrão jogava pela possibilidade de ganhar nova vida na disputa pelo G-4 caso ganhasse de um adversário direto. Ficou porém a frustração com o futebol apresentado pelo time.

O sol de 15 horas de quando a partida iniciou foi cruel. Dia sem nuvens, calor de 31°C em Horizonte e times sentindo fisicamente. Foi o reflexo da baixa qualidade do futebol apresentado na primeira etapa. Nenhum dos dois times assustou e poucos foram os lances de perigo.

No segundo tempo, o Ferroviário voltou com três mudanças de cara, o que tornou as ações mais ofensivas. Foi assim que o Peixe conseguiu finalizar mais e sufocar o time baiano. As melhores chances porém, só aconteceram no fim da partida.

Aos 40 minutos, em cobrança de falta dentro da área, o zagueiro Jean cabeceou sozinho, mas errou o alvo a poucos metros de distância. O quadro poderia ter ficado pior, pois o zero quase foi tirado do placar pela Jacuipense nos acréscimos, quando Dinei finalizou de fora da área, aos 48 minutos, na única finalização perigosa dos baianos no segundo tempo.

Ferroviário desperdiçou a chance de conquistar mais dois pontos, visto sua falta de criatividade nas jogadas de ataque, além de insistir em jogadas de cruzamentos forçados, o que facilitou para a defesa adversária. O pior dos prejuízos foi na classificação. Se manteve em 5º, com 19 pontos, porém, com um jogo a mais do que o 4º, Paysandu, que tem a mesma pontuação, mas ainda joga nesta rodada contra o lanterna Imperatriz-PA.

Com o 0 a 0, o Ferroviário chegou ao quarto jogo sem vitória na Terceirona. Nos próximos jogos, o Ferrão terá outro duelo direto, contra o Paysandu, fora de casa, depois o já rebaixado Imperatriz-PA, em casa. Na última rodada, o time enfrenta o já classificado Santa Cruz-PE, fora.

<script src="//player.daznservices.com/player.js#ce33c30002ba3d92617cdc380a.bagtsybashew133b68fgepw24$videoid=1lnoulbr5r6rg11iz3hkkc8lxy" async></script>

O JOGO

Nos dez primeiros minutos o ritmo do jogo foi muito cadenciado. O Ferroviário tentava ser mais agressivo, mas não conseguia ser efetivo na troca de passes no campo de ataque. Já o time baiano se portava de forma defensiva, sempre atrás da linha da bola esperando o erro adversário para tentar um revide em velocidade.

O primeiro chute a gol da partida foi aos 18 minutos, quando David roubou a bola na entrada da área e arriscou, mas a finalização nem assustou o goleiro da Jacuipense. A primeira chegada do time baiano também ofereceu perigo, chute no centro do gol aos 21 minutos. Depois disso, pouca coisa produtiva aconteceu.

No primeiro tempo foi muito picado, erros de passes simples e cruzamentos. O pior momento foi quando o jogador da Jacuipense, Railan, errou a cobrança de lateral e o árbitro Thiago Luis Scarascati (SP) teve de marcar reversão.

Depois de 45 minutos decepcionantes no primeiro, o técnico Marcelo Vilar trocou três peças no intervalo. Entraram Vitor Xavier, Caíque e Júnior Batista nas vagas de André Mensalão, Adriano Paulista e Willian Lira, respectivamente. O indicativo era claro: atacar mais.

A primeira chegada do Ferroviário com perigo na segunda etapa foi aos 11 minutos com Júnior Batista, que recebeu passe em profundidade e finalizou com perigo para a defesa do goleiro. O lance porém foi anulado por impedimento.

Ao 17 minutos, a jogada com melhor potencial da partida veio por conta da Jacuipense, com Thiaguinho, que invadiu a grande área pelo lado esquerdo, ficou de cara com o goleiro do Ferrão, mas a finalização foi a pior possível.

Aos 21 minutos, o Ferroviário assustou em cobrança de falta com Caíque, que chutou forte, mas a bola passou ao lado do gol. Passando da metade do segundo tempo, o time Coral acendia o sinal de alerta e pressionava a Jacuipense sem dar chances para que os baianos contra-atacassem, apostando em seguidos cruzamentos na área, porém o acerto no passe não acontecia.

A vitória, fundamental para as pretensões do Ferroviário na Série C, parecia possível, visto que a Jacuipense pouco incomodava. Mas, seja por erros técnico ou mesmo a retranca do adversário, o time não conseguia a chance clara que queria de abrir o marcador.

Aos 40 minutos, o abafa do Ferrão ofereceu a chance que era esperada. Após cruzamento na grande área, sozinho, o zagueiro Jean perdeu a oportunidade da partida para o time cearense.

Nos acréscimos, de oito minutos, foi a Jacuipense que assustou, aos 48 minutos, em chute de fora da área para grande defesa de Nícolas após chute de Dinei, na única finalização perigosa dos baianos no segundo tempo.

FICHA TÉCNICA

FERROVIÁRIO - 4-5-1
Nícolas; Vitão, Jean, Willian Machado e Madson (Neilson); David (Luiz Henrique), Diego Lorenzi, André Mensalão (Vitor Xavier), Adriano Paulista (Caíque), Esquerdinha e Willian Lira (Júnior Batista).

Técnico: Marcelo Vilar

JACUIPENSE - 4-3-3
Jordan; Railan, Kanu, Railon e Vicente; Josa (Luquinhas), Peixoto, Jussimar (Popô) e Eudair; Thiaguinho e Dinei.

Técnico auxiliar: Fábio Frubal

CARTÕES
Cartão Amarelo
Ferroviário: Willian Machado (34min/2º)
Jacuipense: Peixoto (43min/2º)

ÁRBITROS
Thiago Luis Scarascati (SP); Fabrini Bevilaqua Costa (SP), Fabio Rogerio Baesteiro (SP) e Fabio Rogerio Baesteiro (SP)