PUBLICIDADE
Cearenses
NOTÍCIA

Vilar qualifica duelo entre Ferroviário e Jacuipense como divisor de águas na luta por classificação

A diferença do Ferroviário, que é o 6º colocado, para Manaus e Paysandu, 5º e 4º, respectivamente, é de apenas um ponto, mas em compensação a Jacuipense vem logo atrás do Tubarão, com um ponto a menos, seguido por Treze e Botafogo-PB com diferenças mínimas

Brenno Rebouças
15:55 | 13/11/2020
Técnico do Ferroviário, Marcelo Vilar garante que todo o grupo sabe do duelo decisivo contra a Jacuipense-BA (Foto: Aurélio Alves)
Técnico do Ferroviário, Marcelo Vilar garante que todo o grupo sabe do duelo decisivo contra a Jacuipense-BA (Foto: Aurélio Alves)

Restam quatro jogos para o fim da primeira fase da Série C do Brasileiro. Fora da zona de classificação do Grupo A no momento, o Ferroviário tem pela frente dois confrontos diretos. Um já acontece neste sábado, 14, contra a Jacuipense-BA, no Domingão, em Horizonte. O duelo é considerado pelo próprio técnico coral como um divisor de águas.

“É um jogo que vai dizer se a gente vai continuar brigando pela classificação ou não [...] Essa será mais uma partida tal qual uma decisão. Nós (comissão técnica) e os jogadores estamos sabendo disso e vamos fazer de tudo pra conseguir os três pontos”, prega Marcelo Vilar.

Com o intuito de vencer a primeira partida no Domingão, Ferroviário faz treino de apronto em Horizonte

E ele tem razão. Hoje, a diferença do Ferroviário, que é o 6º colocado, para Manaus e Paysandu, 5º e 4º, respectivamente, é de apenas um ponto, mas em compensação a Jacuipense-BA vem logo atrás do Tubarão, com um ponto a menos, seguido por Treze e Botafogo-PB, com diferenças mínimas. Um tropeço, portanto, pode custar caro.

Além do foco, internamente o elenco coral tem se cobrado bastante quanto a performance dos últimos jogos, segundo Vilar. “A gente já vem debatendo isso há muito tempo. Vejo esforço no grupo de não permitir que aconteça as coisas que infelizmente vêm acontecendo. Me reifor a não ter um aproveitamento melhor nas oportunidades que criamos e uma certa desatenção muitas vezes no sistema defensivo”, disse o treinador.

Questionado sobre uma resposta do grupo quanta as saídas de alguns jogadores e chegada e outros, Marcelo Vilar não quis comentar sobre quem não faz mais parte do grupo e disse estar satisfeito com Esquerdinho, que, segundo o comandante coral, se adaptou muito rápido ao estilo de jogo do time, e Victor Xavier.

O treinador ficou na bronca, no entanto, com o horário da partida, marcada para às 15 horas. “Já nos tiraram do Castelão, e é público e notório que o Ferroviário quando joga num campo de melhores condições desenvolve uma melhor futebol, agora põe o jogo para essa hora. São dificuldades que a gente está enfrentando e tem que transpor, dar nosso jeito”, disse.