PUBLICIDADE
Ceará Sporting Club
NOTÍCIA

Wendson, do Ceará, fala sobre salto na carreira em 2021 e dedica primeiro gol no time ao avô

Atacante falou ainda sobre a briga por espaço no time titular e disse ser importante descer para jogar na equipe de aspirantes algumas vezes

Brenno Rebouças
17:28 | 20/07/2021
Atacante Wendson com a bola no jogo Santos x Ceará, na Vila Belmiro, pelo Campeonato Brasileiro Série A (Foto: Fausto Filho / Ceará SC)
Atacante Wendson com a bola no jogo Santos x Ceará, na Vila Belmiro, pelo Campeonato Brasileiro Série A (Foto: Fausto Filho / Ceará SC)

Exatos cinco meses após disputar o último jogo da primeira fase (seletiva) do Campeonato Carioca pelo desconhecido Sampaio Corrêa do Rio de Janeiro, o jovem atacante Wedson, de 23 anos, marcou seu primeiro gol na Série A do Brasileiro pelo time do Ceará. O salto é gigantesco e surpreende até o próprio jogador.

"É algo fantástico, inexplicável. Está acontecendo tudo muito rápido, confesso, mas acho que é fruto do meu trabalho também. Isso é algo muito importante para mim, para toda minha família, para a minha carreira. Está sendo muito especial", disse o novo amuleto do Vovô, que quando entra em campo costuma atrair o gol da vitória, quase sempre no final da partida. Da última vez que isso aconteceu, foi ele mesmo que marcou.

E por falar no tento anotado, Wendson revelou, em coletiva concedida na tarde desta terça-feira, 20, que a primeira ligação que recebeu após marcar o primeiro gol pelo Ceará foi do avô, a quem o atacante fez questão de dedicar o feito.

“Não descartando meus pais, mas meu avô está ‘na batida’ comigo há muito tempo, apoia desde quando eu não tinha nada decretado ainda, sempre me apoiou. O primeiro a ligar foi ele e quero dedicar esse gol a ele, para toda minha família, mas ele é especial mesmo. É um cara sensacional na minha vida", dedicou.

O gol foi importante para aumentar a confiança de Wendson, que tem mais chances de ganhar novas oportunidades com as recentes saídas de Vizeu e Saulo Mineiro e a impossibilidade de Jael e Mendoza jogarem. Dedicação para que o treinador sinta firmeza em colocá-lo em campo não vai faltar.

“Estou aqui de coração aberto para trabalhar, para dar o meu melhor no clube. Tem grandes nomes na equipe, mas estou brigando pelo meu espaço, com os pés no chão, com muita humildade e quando receber oportunidades, como vem acontecendo, dar o meu melhor pela equipe", garante. Em doze rodadas de Série A, o jovem atacante entrou cinco vezes. Wendson também foi utilizado no time de aspirantes duas vezes e acredita que esse tipo de chance contribui para que espaços sejam abertos no time profissional.

"Nós descemos para pegar o ritmo, para jogar, porque é bem necessário. Como o jogo no profissional é bastante físico, no aspirante também é, são partidas duras e quando descemos é para dar o melhor, pra trabalhar firme e quando chegar no profissional estar bem ativo", disse.