Participamos do

Imunossuprimidos devem atualizar cadastro no Saúde Digital para 3ª dose contra Covid-19

Fortaleza deve iniciar aplicação da D3 neste público conforme a chegada de novas doses, enviadas pelo Ministério da Saúde
18:28 | Out. 04, 2021
Autor Mirla Nobre
Foto do autor
Mirla Nobre Repórter-trainee
Ver perfil do autor
Tipo Notícia

A Prefeitura de Fortaleza orienta que pessoas imunossuprimidas devem atualizar seus dados na plataforma Saúde Digital, da Secretaria da Saúde do Ceará (Sesa), sistema de cadastro para vacinação contra a Covid-19, para viabilizar a logística de aplicação da dose de reforço ou 3ª dose. A Capital deve iniciar o atendimento deste público conforme a chegada de novas doses, enviadas pelo Ministério da Saúde, específicas para eles.

A plataforma da Sesa foi atualizada e agora disponibiliza de espaço para autodeclaração de pessoas com imunossupressão. Ao acessar o cadastro, a pessoa deve anexar a documentação que comprova as suas condições clínicas de imunossupressão.

Seja assinante O POVO+

Tenha acesso a todos os conteúdos exclusivos, colunistas, acessos ilimitados e descontos em lojas, farmácias e muito mais.

Assine

Quem são os imunossuprimidos?

Com o objetivo de reforçar a necessidade da imunização contra a Covid-19, para evitar mais óbitos pela doença, a terceira dose (D3) ou dose de reforço da vacina contra o vírus começou a ser aplicada no Brasil. Além de idosos acima de 60 anos e profissionais da saúde, outro grupo que tem recebido atenção para aplicação da D3 são os imunossuprimidos.

O grupo é considerado imunossuprimido devido ao sistema imune não funcionar perfeitamente bem, ou seja, são caracterizados por ter baixa imunidade por causa de doenças congênitas, doenças inflamatórias e transplantados por exemplo, o que deixa o paciente mais suscetíveis a infecções, como a da Covid-19. 

Conforme a Nota Técnica do Ministério da Saúde, as pessoas imunossuprimidas estão entre: 

  • Pessoas com imunodeficiência primária grave;
  • Pessoas em quimioterapia para câncer;
  • Transplantados de órgão sólido ou de células tronco hematopoiéticas (TCTH);
  • Pessoas em uso de drogas imunossupressoras;
  • Pessoas vivendo com HIV/Aids com CD4
  • Pessoas que fazem uso de corticóides em doses 20 mg/dia de prednisona, ou equivalente, por 14 dias;
  • Pessoas que fazem uso de drogas modificadoras da resposta imune (vide tabela 1);
  • Pacientes em hemodiálise;
  • Pacientes com doenças imunomediadas inflamatórias crônicas (reumatológicas, auto inflamatórias, doenças intestinais inflamatórias).

Como atualizar cadastro no Saúde Digital:

1- Acesse o site https://vacinacaocovid.saude.ce.gov.br;

2- Selecione a opção “Já tenho cadastro”, digite o login e informe a senha;

3- Em “Auto-declaração de imunossupressor”, selecione a opção “Declaro apresentar alto grau de imunossupressão”, selecione a condição e clique em “Salvar”;

4- Anexe a documentação que comprova a condição clínica.

Documentação

Conforme nota técnica do Ministério da Saúde, pessoas com alto grau de imunossupressao devem receber a terceira dose. A dose adicional ao esquema de vacinação para pessoas com alto grau de imunossupressão deve ser administrada em pelo menos 28 dias após a última dose do esquema básico, com uma (Janssen) ou duas doses (demais imunizantes).

No ato da aplicação, será necessário apresentar documentação comprobatória, conforme descrição abaixo.

  • I - Imunodeficiência primária grave: Atestado/Relatório médico descritivo com dados clínicos e de exames que comprovem essa doença. Não poderá ser apenas o Cid.
  • II - Quimioterapia para câncer: Atestado/Relatório médico descritivo com dados clínicos, exames e tratamento que comprovem essa condição. Não poderá ser apenas o Cid (validade 1 ano).
  • III - Transplantados de órgão sólido ou de células tronco hematopoiéticas (TCTH) uso de drogas imunossupressoras: Relatório médico descritivo com dados clínicos e de exames que comprovem essa condição (não poderá ser apenas o Cid) ou relatório de alta (transplante ou relatório médico descritivo com tipo de transplante).
  • IV - Pessoas vivendo com HIV/AIDS: Relatório médico descritivo com dados clínicos e de exames que comprovem essa doença (não poderá ser apenas o Cid) ou exame que comprove (teste rápido ou outro) ou cadastro Siscel ou Siclom.
  • V - Uso de corticóides em doses 20 mg/dia de prednisona, ou equivalente, por 14 dias: Relatório médico descritivo com dados clínicos e exames que comprovem a condição de uso de corticóide nessas condições: acima de 20mg/dia e tempo maior que 14 dias (no momento da vacina) ou receita médica (que indique tratamento vigente – no momento da vacina).
  • VI - Uso de drogas modificadoras da resposta imune: Relatório médico descritivo com dados clínicos e de exames que comprovem a doença (não poderá ser apenas o Cid) e receita médica que contenha alguma das medicações a seguir. Leflunomida; Micofenolato de mofela; Azaprina; Ciclofosfamida 6-mercaptopurina; Ciclosporina; Tacrolimus; Metotrexato ; Biológicos em geral (infliximabe, etanercept, humira, adalimumabe, tocilizumabe, Canakinumabe, golimumabe, certolizumabe, abatacepte, Secukinumabe, ustekinumabe); Inibidores da JAK (Tofacinibe, baracinibe e upadacinibe).
  • VII - Pacientes em hemodialise: Relatório médico descritivo com dados clínicos e de exames que comprovem essa condição (não poderá ser apenas o cid) ou comprovante de diálise (cartão ou outro documento que comprove a hemodiálise).
  • VIII - Pacientes com doenças auto inflamatórias e doenças intestinais inflamatórias: Relatório médico descritivo com dados clínicos e de exames que comprovem essa doença. Não poderá ser apenas o Cid.

Colunistas sempre disponíveis e acessos ilimitados. Assine O POVO+ clicando aqui

Atualizada às 20 horas

Dúvidas, Críticas e Sugestões? Fale com a gente

Tags