PUBLICIDADE
Coronavírus
Noticia

Municípios cearenses descartam investigação sobre aplicação de vacinas vencidas contra a Covid-19

Prefeituras ouvidas pelo O POVO reforçam que não houve administração de doses fora do prazo de validade e descartam possibilidade de apurações internas

21:05 | 06/07/2021
Por considerarem que não houve erro na aplicação das vacinas, prefeituras descartam apurações internas (Foto: Barbara Moira)
Por considerarem que não houve erro na aplicação das vacinas, prefeituras descartam apurações internas (Foto: Barbara Moira)

Passados quatro dias desde a denúncia do Jornal Folha de S.Paulo que apontou a aplicação de mais de 700 vacinas vencidas contra a Covid-19 no Ceará, nenhum dos 58 municípios citados na reportagem confirmou administração de doses fora do prazo de validade. Prefeituras ouvidas pelo O POVO reforçam que os imunizantes foram disponibilizados no tempo previsto e descartam a possibilidade de instaurar procedimentos internos para apurar o caso, como vem ocorrendo em outras cidades do País. Na capital paulista (SP) e em Nilópolis (RJ), por exemplo, as secretarias municipais de saúde iniciaram procedimentos internos para verificar se efetivamente houve registros de vacinação com doses vencidas.

Em Fortaleza, onde segundo a reportagem 63 pessoas teriam recebido o imunizante fora do prazo de validade, a pasta da Saúde diz que realizou rastreamento de todas as 1.488.652 doses aplicadas até agora no município, não identificando nenhuma irregularidade no processo. Segundo a Secretaria, todas as doses recebidas pelo Município foram encaminhadas em tempo oportuno aos 113 pontos de vacinação. Por não encontrar indícios de inconsistências, a pasta descarta abertura de investigação interna para apurar a situação.

A posição é a mesma da Secretaria Municipal da Saúde de Potengi, que teria registrado 173 aplicações indevidas - a maior quantidade entre os municípios cearenses. “Descartamos qualquer apuração, pois temos em mãos a nota de recebimento das vacinas constando data de validade para 2022. O Ministério da Saúde informou que houve um erro na embalagem do lote recebido, onde consta vencimento em 31/05/2021. As notas de fornecimento da Rede de Frio Nacional mostram que o prazo correto é 31/5/2022. Portanto, não houve nenhuma aplicação de vacina vencida no povo potengiense, a quem queremos tranquilizar”, diz trecho de nota enviada pela pasta. Confira abaixo o documento citado pela secretaria:

Recibo de lote da AstraZeneca enviado ao município de Potengi com correção na data de validade das vacinas
Recibo de lote da AstraZeneca enviado ao município de Potengi com correção na data de validade das vacinas (Foto: Ascom/Prefeitura de Potengi)

As Secretarias da Saúde de Guaraciaba do Norte e de Tauá também negam aplicação de doses vencidas e descartam apurações internas para investigar supostos erros. Na primeira, onde 60 pessoas teriam sido vacinadas com antígenos fora da validade, a pasta diz que “afasta completamente a possibilidade de aplicação de vacinas vencidas''. Diz ainda que “as doses chegaram no prazo de validade vigente e foram imediatamente aplicadas”. Já na segunda, a Secretaria esclarece que a distribuição das vacinas é realizada pelo Governo do Estado, “que enviou as doses no tempo certo”. A pasta assegura que “todos os lotes distribuídos ao município e aplicados na população estavam dentro da validade”.

A decisão dos municípios de não investigar as supostas aplicações de vacinas vencidas vai de encontro às orientações do Conselho Nacional de Secretários de Saúde (Conass) e o Conselho Nacional de Secretários Municipais de Saúde, que prometeram realizar apuração rigorosa sobre o caso. “O número de casos identificados corresponde a 0,0026% de todas as doses aplicadas no País, sendo necessário ponderação e investigação quanto à aplicação das doses e preenchimento das informações no sistema do Ministério da Saúde”, afirmaram os órgãos em nota conjunta divulgada ainda no último dia 2 de julho.

O POVO procurou a Secretaria da Saúde do Ceará (Sesa) para saber se a pasta vem monitorando e/ou investigando os possíveis casos de aplicação de vacinas vencidas no Estado, mas não obteve resposta até a publicação desta matéria. 

Como identificar?

Segundo a reportagem da Folha de S.Paulo, mais de 26 mil brasileiros teriam recebido a vacina fora da validade em 1.532 municípios do País. No Ceará, houve registros envolvendo 710 pessoas em 58 cidades. Apesar de as prefeituras reiterarem que não houve administração de doses vencidas, o Ministério da Saúde orienta que a população vacinada faça a checagem de informações no cartão de imunização, onde está indicado o número do lote, o tipo da vacina e a data em que foi aplicada.

Lotes que teriam doses aplicadas fora da validade e as suas respectivas datas de vencimento:

4120Z001 vencido em 29/03
4120Z004 vencido em 13/04
4120Z005 vencido em 14/04
CTMAV505 vencido em 30/04
CTMAV506 vencido em 31/05
CTMAV520 vencido em 31/05
4120Z025 vencido em 04/06

Para saber se você recebeu a vacina vencida, basta identificar a numeração do lote, a data de expiração e a data em que o imunizante foi aplicado.

O que fazer?

Quem foi vacinado com imunizante fora do prazo de validade deve procurar algum local de vacinação munido da carteira de vacinação e de documentos de identificação para receber uma nova dose da vacina. Somente após isso, o esquema vacinal estará completo. Conforme o Plano Nacional de Operacionalização da Vacinação contra Covid-19, a nova aplicação deve ocorrer pelo menos 28 dias após a administração da dose vencida.