PUBLICIDADE
Coronavírus
Noticia

Primeiro lote da vacina da Janssen chega ao Ceará, com 61 mil doses

Estado também recebeu outra remessa de vacina contra Covid-19, com 116 mil doses da CoronaVac

Mirla Nobre
13:55 | 24/06/2021
Primeiro lote da vacina da Janssen chegou ao Ceará no começo da tarde desta quinta-feira, 24, com 61.100 doses (Foto: Divulgação/Governo do Ceará)
Primeiro lote da vacina da Janssen chegou ao Ceará no começo da tarde desta quinta-feira, 24, com 61.100 doses (Foto: Divulgação/Governo do Ceará)

O primeiro lote da vacina da Janssen chegou ao Ceará no começo da tarde desta quinta-feira, 24, com 61.100 doses. A previsão é que o Estado comece a aplicação do imunizante neste fim de semana, de acordo com o titular da Secretaria da Saúde do Estado (Sesa), Dr. Cabeto. Além da chegada do novo imunizante, o Estado também recebeu outra remessa de vacina contra a Covid-19, com 116 mil doses da CoronaVac/Instituto Butantan.

A chegada dos dois lotes foi anunciada pelo governador do Ceará, Camilo Santana (PT), nas redes sociais. Segundo Camilo, os dois lotes estão na Central de Armazenamento e Distribuição de Imunobiológicos (Cadi), da Sesa. Ainda hoje, estão previstos para desembarcarem no Ceará 93.600 doses da Pfizer, remessa com pouso previsto para as 15h40min no Aeroporto Internacional de Fortaleza.

O primeiro lote das vacinas da Janssen chegou ao Brasil, com 1,5 milhão de doses, na manhã dessa terça-feira, 22, no Aeroporto Internacional de São Paulo, em Guarulhos. Entretanto, a previsão inicial era de que o País recebesse três milhões de doses até 15 de junho, mas não foi confirmada. De acordo com o Ministério da Saúde, o envio foi cancelado pela própria Janssen, que não teria explicado os motivos.

LEIA MAIS | Janssen: saiba mais sobre a vacina esperada para vacinar pessoas entre 30 e 44 anos no Ceará

No Ceará, a vacina da Janssen, produzida pelo laboratório Jhonson & Jhonson, é o quarto imunizante que será utilizado na campanha de imunização contra a Covid-19. O imunizante é o único com apenas uma dosagem, diferente das vacinas da Pfizer/BioNTech, AstraZeneca/Oxford e CoronaVac/Butantan, que requerem duas doses para completar o ciclo de imunização da população.

De acordo com o médico infectologista e professor da Universidade Federal do Ceará (UFC), Ivo Castelo Branco, em entrevista ao O POVO, na quinta-feira, 16, o imunizante da Janssen é semelhante a AstraZeneca e Sputnik V, e a única diferença está apenas na dosagem. “A vantagem é que as pessoas que tomarem essa vacina, em aproximadamente três semanas, na quarta já vai estar imunizada, sem precisar fazer uso da segunda dose, porque a maioria das vacinas passam pela eficácia depois da segunda dose”, comentou o especialista.

LEIA MAIS | Janssen pode imunizar em três a quatro semanas após aplicação, diz infectologista

Prazo de validade da Janssen

A Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) autorizou, no dia 14 de junho, a ampliação do prazo de validade da vacina da Janssen, já orientado pela Agência Norte-americana (Food and Drug Administration - US FDA), que aprovou a referida alteração em 10 de junho de 2021. A validade do imunizante passou de três para quatro meses e meio, o total do prazo para uso. As doses que estão chegando ao Brasil tinham data prevista para vencer no próximo domingo, 27 de junho, mas agora terão prazo de validade até o início de agosto.