PUBLICIDADE
Coronavírus
Noticia

Grupos realizam atos em Fortaleza em alusão às mortes por Covid-19 no País

Grupos de três ou quatro pessoas apresentam faixas e cartazes solicitando celeridade da ampla vacinação contra a Covid-19, auxílio emergencial de pelo menos R$ 600 e outras medidas de combate à pandemia. A divisão com três ou quatro manifestantes organizada de modo a promover o distanciamento social

09:50 | 29/05/2021
Os atos desta manhã dão início a manifestações marcadas para hoje (Foto: Divulgação)
Os atos desta manhã dão início a manifestações marcadas para hoje (Foto: Divulgação)

Integrantes do Coletivo Rebento e do projeto Ser Ponte realizam atos públicos em diversos pontos de Fortaleza desde as 7 horas deste sábado, 29. Grupos de três ou quatro pessoas apresentam faixas e cartazes solicitando celeridade e ampla vacinação contra a Covid-19, auxílio emergencial de pelo menos R$ 600 e outras medidas de combate à pandemia e suas consequências na população.

Até as 9 horas, foram instalados quatro pontos de manifestação no Aterro da Praia de Iracema, somando 11 pessoas, e outros nas avenidas Washington Soares, Borges de Melo e Santos Dumont, e na Praça Luíza Távora. Segundo a médica obstetra Liduína Rocha, integrante do Rebento, 14 pontos ao todo estão programados para acontecerem ao longo do dia.

Clique na imagem para abrir a galeria

A divisão com três ou quatro manifestantes em cada localização foi organizada de modo a promover o distanciamento social, uma das medidas de prevenção do coronavírus. Outros cuidados também estão sendo tomados, como a distribuição de álcool em gel e de máscaras do modelo PFF2, que têm melhor desempenho de filtragem do Sars-Cov-2.

“Hoje é 29 de maio, dia que a gente se aproxima das 460 mil mortes no Brasil. Elas não acontecem somente pela presença de uma pandemia, mas pelas escolhas de políticas públicas feitas para seu enfrentamento”, argumenta Liduína. “Infelizmente o governo federal escolheu medicamentos que não são efetivos no tratamento da infecção viral e fizeram deliberadamente a não escolha das vacinas como política pública”.

LEIA MAIS | Ofertas de vacinas rejeitadas por Bolsonaro teriam salvo 95 mil vidas

País acumulou 16.391.930 diagnósticos positivos e 459.045 pessoas vitimizadas pelo coronavírus nessa sexta-feira, 28. “Por essas mortes e por todos nós que sofremos com o aumento da desigualdade social, entendemos que é importante, da forma que cada um puder, participar desse dia de hoje dizendo que precisamos dar uma resposta política a essas escolhas feitas e mudar nossa realidade. Que esse dia 29 seja marcado pela luta, mas também pela esperança de dias melhores”, acrescenta Liduína.

Os atos desta manhã dão início a manifestações marcadas para hoje. Às 15 horas, deve acontecer uma carreata contra Jair Bolsonaro (sem partido) nas proximidades da Arena Castelão. Ato de nome “Fora Bolsonaro, Vacina no Braço e Comida no Prato” está organizado para as 15h30 na Praça da Gentilândia, no bairro Benfica. Em evento criado no Facebook, os organizadores realizam a convocação lembrando das mais de 400 mil vidas perdidas "pelo descaso do governo Bolsonaro".