PUBLICIDADE
Coronavírus
NOTÍCIA

Novo decreto de Camilo em Fortaleza e no Ceará: veja o que muda e entenda

Flexibilização avançou nas macrorregiões de Fortaleza e Sobral, anunciou Camilo Santana, governador do Ceará. Veja ponto a ponto e entenda o que muda com novo decreto a partir desta segunda, 17 de maio (17/05)

17:28 | 15/05/2021
Governador Camilo Santana em live do novo decreto que será adotado em Fortaleza e no Ceará (Foto: Reprodução/Facebook)
Governador Camilo Santana em live do novo decreto que será adotado em Fortaleza e no Ceará (Foto: Reprodução/Facebook)

O governador Camilo Santana (PT) informou nessa sexta, 14, por meio de live nas redes sociais, como vai ser o novo decreto em Fortaleza e no CearáO processo de flexibilização avançou nas macrorregiões da capital cearense e Sobral. Nova fase começa nesta segunda-feira, 17 de maio (17/05).

O que muda com novo decreto de Camilo

Novas liberações

Comércio e restaurantes de rua

Funcionamento: das 10h às 19h

Capacidade: 50%

Comércio e restaurantes de shoppings

Funcionamento: das 12h às 21h

Capacidade: 50%

Academias

Funcionamento: até 21h

Estão liberados

Atividades esportivas individuais em clubes, como também escolinhas de esportes em clubes e areninhas;

Aulas práticas do ensino superior e atividades extra-curriculares das escolas, como também os cursos de música, informática, idiomas etc..

Toque de recolher

Todos os dias das 22h às 5h, em todo o Estado.

Entenda as mudanças do novo decreto em Fortaleza e no Ceará
 

As macrorregiões de Fortaleza e Sobral terão mais negócios de volta à atividade a partir desta segunda-feira, 17.

Além de ampliar o horário de funcionamento de restaurantes e comércios de rua e shoppings e academias em 3h durante todos os dias da semana, Camilo afirmou que atividades esportivas individuais em areninhas e clubes, aulas do ensino superior e atividades extracurriculares, cursos técnicos, de línguas, informática e similares estarão liberados a partir da próxima semana.

O aumento no horário e nas permissões atenderam parcialmente as demandas dos setores, que esperavam ampliar o expediente até 22h ou 23h. A velocidade com a qual está se dando esta reabertura dos negócios preocupa a iniciativa privada, que teme não haver força para movimentar a economia a exemplo do que aconteceu em 2020.

Pelas novas regras, os estabelecimentos de alimentação fora do lar, além do novo horário, também poderão ampliar a ocupação para 50%. Os demais setores, como os educacionais, não tiveram a capacidade revelada pelo governador. Já o toque de recolher foi mantido, mas de 22h às 5h.