PUBLICIDADE
Coronavírus
NOTÍCIA

Colegiado da Uece alerta para necessidade de exercícios físicos na pandemia; veja dicas

Órgão defende o isolamento social mas destaca que a medida deve ser acompanhada de iniciativas para que impactos provocados pelo sedentarismo sejam evitados

Gabriela Almeida
17:12 | 13/04/2021
Docentes que compõe o colegiado do curso de Educação Física da instituição divulgaram uma carta contendo recomendações a populares (Foto: Barbara Moira)
Docentes que compõe o colegiado do curso de Educação Física da instituição divulgaram uma carta contendo recomendações a populares (Foto: Barbara Moira)

Professores que compõe o colegiado do curso de Educação Física da Universidade Estadual do Ceará (Uece) lançaram, nesta terça-feira, 13, uma carta alertando para a importância das atividades físicas na "promoção de saúde, prevenção e tratamento de doenças" durante a pandemia. O documento, publicado no site da instituição de ensino, defende o isolamento social mas destaca que a medida deve ser acompanhada de iniciativas para que impactos provocados pelo sedentarismo sejam evitados. 

"Vivemos hoje o paradoxo da relação entre atividade física e saúde. Paradoxo porque a vida necessita do movimento, mas o “movimento” auxilia na propagação do vírus (...) Mesmo em distanciamento social, os indivíduos de todas as idades e com doenças já diagnosticadas devem ser estimulados a se exercitar", diz trecho da carta.

Os docentes pontuam no documento que as medidas de isolamento, considerados por eles como necessárias para o controle da pandemia, têm estimulado o sedentarismo nas pessoas. Entre as doenças que a inatividade física pode provocar, segundo apontou professores, estão: depressão, demência, doenças cardiovasculares, diabetes tipo 2, alguns tipos de câncer, problemas ósseo, entre outros.

| LEIA MAIS |

Mais da metade do Senado já assinou pedido para ampliar CPI da Covid; veja os nomes

Quatro servidores são afastados por suspeitas de irregularidades em Hospital do PV

Salões de beleza, padarias e transporte intermunicipal: 16 dúvidas sobre reabertura no Ceará

"A inatividade física tem sido apontada também como uma outra pandemia, despontando como a quarta principal causa de morte em todo o mundo (...) A imposição à sociedade de um isolamento social para conter a crise sanitária deve ser acompanhada de iniciativas para minimizar outros impactos que esse isolamento ocasiona", destaca ainda o órgão.

Dessa forma, a entidade considera como necessário que estados brasileiros articulem ações para que a realização das atividades físicas sejam estimuladas de forma segura durante a pandemia. Carta também aponta que, caso isso não ocorra, os "efeitos do confinamento" podem gerar problemas de saúde cada vez mais percebidos pela sociedade.

No Ceará, que dá inicio a uma abertura gradual das atividades logo após um período de isolamento rígido, o funcionamento de academias e de equipamentos onde atividades físicas são realizadas segue proibido. O conselho listou dicas de como a população pode sair do sedentarismo com segurança, obedecendo a protocolos estaduais e garantindo a proteção contra a doença.

Confira dicas dadas pelo órgão:

1: Os exercícios físicos devem ser orientados por profissionais de Educação Física, com registro profissional nos Conselhos Regionais de Educação Física (Resolução CONFEF 46/2002);

2: Preferencialmente, neste momento de pandemia, para pessoas com boa capacidade funcional e que busquem saúde, os exercícios devem ser orientados de maneira virtual, sem contato pessoal;

3: Caso haja necessidade de acompanhamento presencial profissional, recomendamos que a prática seja individualizada, respeitando a legislação vigente, adotando todos os protocolos sanitários importantes para evitar o contágio, como: uso de máscaras apropriadamente, aferição prévia da temperatura corporal, uso de álcool 70% (de preferência em gel) para limpeza das mãos e higienização dos aparelhos, distanciamento físico de pelo menos 1,5 metro, testagem rotineira;

4: Em caso de práticas corporais em locais com maior fluxo de pessoas, aconselhamos redobrar os cuidados descritos no item 3.

5: Além desses cuidados formulados, é particularmente importante, durante este período, evitar a automedicação, evitar estímulos que possam viciar (álcool, cigarros, outros), ter bom plano alimentar, seguir todas as regras sanitárias adequadas para evitar o contágio, não repassar informações falsas em qualquer hipótese, buscar sempre o bem-estar e o contato virtual com amigos e familiares para conversar coisas positivas sempre que possível.