PUBLICIDADE
Coronavírus
NOTÍCIA

"Já está passando do limite", diz presidente da Unimed sobre capacidade de expansão de leitos

Nessa segunda-feira, o médico Elias Leite disse em suas redes sociais que este "talvez tenha sido o dia mais difícil" da pandemia para a cooperativa; ocupação de leitos de UTI está em 95,4%

Leonardo Maia
20:43 | 15/03/2021
Á expansão de leitos já está atingindo o limite, sem espaço físico para implantação de novos equipamentos. (Foto: Aurelio Alves)
Á expansão de leitos já está atingindo o limite, sem espaço físico para implantação de novos equipamentos. (Foto: Aurelio Alves)

A capacidade de expansão de leitos da Unimed Fortaleza está se esgotando. Além da construção de hospital de campanha pela segunda vez, a cooperativa está criando novos leitos dentro do setor de emergência de seu hospital. “A nossa capacidade de expansão já está chegando ao limite ou até já passando do limite”, disse o presidente da empresa, o médico Elias Leite, em vídeo postado nesta segunda-feira, 15, nas redes sociais.

O Hospital Regional da Unimed, em Fortaleza, possui 164 de 172 leitos de Unidade de Terapia Intensiva (UTI) ocupados, de acordo com dados do IntegraSUS, ferramenta da Secretaria da Saúde do Ceará (Sesa). Antes do início da pandemia, a unidade contava com 43 leitos de UTI e contou com sucessivas expansões ao longo da crise na saúde, de acordo com o presidente da instituição.

| Leia Também |

Internações na Unimed Fortaleza já superam pico da pandemia

Com abertura de novos leitos, Unimed Fortaleza tem falta de médicos nas UTIs

Hospital da Unimed atende maior número de casos de suspeita de Covid-19 desde o início da pandemia

Considerando toda a rede da Unimed Fortaleza, o número de internados em UTIs é de 260 pacientes — nesse domingo, 14, eram 244. O número de pessoas que estão necessitando de ventiladores mecânicos também subiu: nesta segunda-feira são 192 pacientes necessitando do equipamento e ontem eram 175. No domingo, a Unimed Fortaleza atendeu 262 pacientes com suspeita de Covid-19 e seis mortes foram confirmadas em decorrência da doença.

O médico Elias Leite disse que esta segunda-feira “talvez tenha sido o dia mais difícil" para a cooperativa, que “bateu todos os recordes” nos indicadores da pandemia. Há um mês, ele já alertava para o risco “muito grande” de as unidades de saúde da cooperativa entrarem em colapso.