PUBLICIDADE
Coronavírus
Noticia

Ceará é o único estado do Brasil com todos os municípios em lockdown

O isolamento rígido no Estado vale a partir de amanhã, 13, e segue até o dia 21 de março. Especialista defende medida como "único jeito de controlar a situação"

Lais Oliveira
14:26 | 12/03/2021
Depois do lockdown em Fortaleza, medida é ampliada para todo o Estado (Foto: FABIO LIMA)
Depois do lockdown em Fortaleza, medida é ampliada para todo o Estado (Foto: FABIO LIMA)

O Ceará é o único estado do Brasil, no momento, a adotar o lockdown em todos os municípios. Para tentar barrar a segunda onda da pandemia de Covid-19, todas as unidades federativas do País adotaram medidas mais restritivas, como toque de recolher e redução no horário de funcionamento de setores comerciais. Porém, nenhuma outra estabeleceu lockdown de forma geral. O isolamento rígido no Estado vale a partir de amanhã, 13, e segue até o dia 21 de março. 

Para a médica epidemiologia Ligia Kerr o momento atual pede medidas contundentes. Ela alerta que "pequenas interferências agora" não surtem efeitos porque a nova cepa do coronavírus originada em Manaus, responsável pelo aumento de casos, é muito mais transmissível, tem maior gravidade e causa mais mortes, segundo estudos recentes.

Nesse cenário, a especialista classifica o lockdown como "absolutamente necessário". "Um lockdown rigoroso é o único jeito para controlar essa situação, além de acelerar a vacinação. Já vemos estados com maiores índices de vacinação mostrando resultados na redução da mortalidade de idosos", acrescenta a também professora na Universidade Federal do Ceará (UFC).

O Ceará chegou a 462.466 casos confirmados de Covid-19 e 12.145 óbitos em decorrência da doença nesta sexta-feira, 12. Os dados foram atualizados às 8h47min de hoje pela plataforma IntegraSUS, da Secretaria Estadual da Saúde (Sesa). Foram contabilizados 2.684 casos e 29 mortes por Covid-19 a mais desde o último boletim.

LEIA MAIS | Engarrafamento de ambulâncias se forma em frente ao Hospital Leonardo Da Vinci

A professora Lígia avalia que a situação epidemiológica no Brasil está "gravíssima". "Cerca de 25 dos estados estão com a UTI com mais de 80% da ocupação, 15 mais com de 90%. Essa epidemia ocorreu de forma quase unificada entre os estados, e os municípios dos estado. Se as pessoas não perceberam ainda, os sistemas de saúde [do Brasil] estão colapsando", considera.

No começo do mês, o Distrito Federal chegou a anunciar um lockdown, mas depois flexibilizou as restrições para várias atividades, como academias de ginástica e cultos religiosos. Na prática, a proibição restou para alguns segmentos, sobretudo bares e restaurantes. Agora um novo decreto (41.874) instituiu toque de recolher entre 22h e 5 horas até 22 de março.

Em São Paulo, nesta quinta-feira, 11, o governador João Dória (PSDB) endureceu ainda mais as restrições que já estavam sendo praticadas anteriormente. Com o anúncio da Fase Emergencial estão suspensas atividades como cultos e jogos de futebol, além da limitação do horário de funcionamento de serviços considerados essenciais. As aulas na rede estadual de educação foram suspensas, com recomendação para que as redes municipal e privada façam o mesmo.

 

Veja quais medidas estão sendo adotadas para combater a pandemia de Covid-19 nos estados do Brasil:

Norte

  • No Acre, o governador Gladson Cameli (PP) decretou nessa quarta-feira, 10, medidas restritivas. Nos fins de semanas, feriados e pontos facultativos, é permitida apenas a abertura de serviços essenciais, como hospitais, farmácias e funerárias. O toque de recolher segue vigente das 22h às 5 horas.
  • Amapá tem toque de recolher entre as 21h e as 5 horas, válido até o dia 15 de março. Consumo de bebida alcóolica está proibido em via pública e locais privados. Estabelecimentos comerciais não essenciais passaram a poder funcionar entre as 6h e as 20h. No fim de semana (13 e 14), só poderão abrir atividades essenciais, ficando proibidos comércios em geral e shoppings.
  • Em Roraima, o governo recomendou aos municípios para decretarem toque de recolher foi aceita por diversos municípios, inclusive pela capital, Boa Vista, segundo o governo. Também está suspenso o transporte coletivo intermunicipal e interestadual com o Amazonas.
  • Em Rondônia, o governo determinou toque de recolher de segunda-feira a sexta-feira, entre 21h e 6 horas. Nos fins de semana, e no fim de semana a entre 21h de sexta-feira e 6h de segunda-feira.
  • No Amazonas foi estabelecido toque de recolher entre 21h e 6h, com restrições de circulação em espaços e vias públicas em todos os municípios do estado até 21 de março. Supermercados de médio e pequeno porte abrem de 6h às 20 horas, assim como restaurantes, lanchonetes e bares (com 50% da capacidade, e com entrega liberada o dia todo). Comércio e shopping operam em horário reduzido.
  • No Pará, o toque de recolher foi ampliado na quarta-feira, 10, passando a valer das 21h às 5 horas. Academias e cinemas ficarão fechados pelos próximos sete dias. Shoppings e comércio tiveram horário reduzido.
  • No Tocantins, a definição sobre lockdown fica a cargo das prefeituras. Na capital, Palmas, atividades não essenciais e eventos foram suspensos entre 6 e 16 de março, além de proibição de algumas atividades entre as 20h e as 6 horas, mantido funcionamento apenas de hospitais, farmácias e postos de combustíveis. Colinas, Gurupi e Porto Nacional adotaram toque de recolher. 


Nordeste

  • A Paraíba tem toque de recolher das 22h às 5 horas até o dia 26 de março nos municípios sem situação mais crítica (bandeiras Laranja e Vermelha). Bares, restaurantes e lanchonetes poderão ficar abertos entre as 6h e as 16h e funcionar, após esse horário, apenas com delivery e take away até as 21h30 durante a semana.
  • Em Pernambuco, as atividades não essenciais estão proibidas, das 20h às 5 horas durante a semana, e das 17h às 5h nos fins de semana. Aos sábados e domingos, somente serviços essenciais podem funcionar. Medidas iniciaram no dia 3 de março e valem até o dia 17 de março para todo o Estado.
  • No Piauí, há toque de recolher em todo o Estado das 22h até o dia 15 de março, restringindo a circulação de pessoas em espaços e vias públicas. Nos fins de semana, funcionam somente atividades essenciais.
  • Na Bahia, a medida que restringe as atividades não essenciais em Salvador e região metropolitana foi prorrogada até o dia 15 de março. Toque de recolher, das 20h às 5 horas, segue até 1º de abril. Nas demais cidades do interior, as medidas restritivas valem das 18h do dia 12 de março até as 5h do dia 15. Contudo, atos religiosos litúrgicos estão liberados com o distanciamento social, uso de máscaras e capacidade máxima de lotação de 30%.
  • No Rio Grande do Norte, foi determinado toque de recolher das 20h às 6 horas, de segunda-feira a sábado, e horário integral aos domingos e feriados até o dia 17 de março. Há recomendação aos municípios para que suspendam as atividades de restaurantes e lanchonetes aos finais de semana e feriados e que proíbam o acesso a praias e cachoeiras.
  • Em Alagoas, até o próximo dia 16 de março, as cidades nas regiões do Agreste e do Sertão do Estado têm  funcionamento do comércio não essencial mantido no Agreste e no Sertão, com exceção dos finais de semana. A capital Maceió e os demais municípios permanecem na Fase Laranja, tendo que fechar bares e restaurantes aos fins de semana. Os prefeitos de cada cidade têm autonomia e podem tomar as medidas que julgarem necessárias.
  • No Maranhão, academias, centro de treinamentos, escola de esportes, estúdio de pilates, panificadoras e supermercados, que podem funcionar das 6h às 21 horas. Atividades comerciais na Ilha de São Luís devem funcionar das 9h às 21 horas. As medidas entraram valem até dia 14 de março. Órgãos públicos suspenderam atividades presenciais.
  • Em Sergipe, atividades não essenciais estão proibidas de funcionar entre 22h e 5 horas. Nos finais de semana, bares, restaurantes e similares estão fechados entre as 18h de sexta-feira e 5 horas de segunda-feira, com permissão somente para serviços de entrega. As deliberações são válidas até o dia 21 de março.


Centro-Oeste

  • No Mato Grosso, 13 municípios estão em alta classificação de risco para o novo coronavírus, mas nenhuma cidade do estado se encontra na fase mais restritiva. Toque de recolher foi anunciado das 21h até às 5 horas, com proibição de circulação. De segunda à sexta, há proibição de todas as atividades econômicas das 19h às 5 horas. Aos sábados e domingos, a proibição será após o meio-dia.
  • No Mato Grosso do Sul, o governo prorrogou e ampliou o toque de recolher em todo o Estado, valendo das 20h às 5 horas a partir de domingo, 14, até 27 de março. Segundo Governo, lockdown foi descartado "para atender reivindicações de diversos setores da cadeia produtiva de Mato Grosso do Sul e dar segurança aos empresários neste momento crítico." Aos sábados e domingos, serviços não essenciais só poderão abrir e atender o público entre 5 e 16 horas.
  • Em Goiás, o governo não definiu restrições ou medidas de distanciamento social, o que está a cargo das prefeituras. As aulas presenciais na rede estadual foram mantidas, mas as escolas só podem operar com 30% da capacidade de alunos em sala de aula.
  • O Distrito Federal chegou a decretar lockdown até o dia 15 de março, mas depois flexibilizou as restrições para várias atividades, como academias de ginástica e cultos religiosos. Na prática, a proibição ficou sobretudo bares e restaurantes. Foi decretado toque de recolher entre as 22h e as 5 horas até o dia 22 de março. 


Sudeste

  • Em Minas Gerais, 194 cidades mineiras estão, desde o dia 7 de março, na chamada "Onda Roxa", que vai durar 15 dias, na qual só é permitido o funcionamento de serviços essenciais. A circulação de pessoas é limitada para funcionários e usuários desses estabelecimentos com toque de recolher das 20h às 5 horas, inclusive nos finais de semana. Municípios da região metropolitana de Belo Horizonte também aderiram ao toque de recolher.
  • São Paulo anunciou que vai adotar a fase emergencial do dia 15 ao dia 30 de março, restringindo ainda mais setores comerciais. Rede estadual de educação terá recesso de 15 dias, bares e restaurantes só podem funcionar com delivery e eventos religiosos estão suspensos. O toque de recolher foi ampliado e fica valendo entre 20h e 5 horas. 
  • No Rio de Janeiro, a prefeitura prorrogou as restrições ao horário de funcionamento de comércio, serviços, bares e restaurantes até o dia 22 de março. Esses serviços só poderão funcionar, com atendimento presencial, até as 21h. Depois apenas com entrega em domicílio, drive-thru ou retirada no local
  • No Espírito Santo, regiões de risco moderado para Covid-19 podem ter bares e restaurantes abertos de segunda-feira até sábado, às 22h e aos domingos, até às 16h. Já nas regiões de risco alto, shoppings, bares e escolas precisam ser fechados. Somente o município de Ibatiba foi classificado como risco alto na última atualização.

Sul

  • Em Santa Catarina, a partir das 23h desta sexta, 12, até as 6h da próxima segunda-feira, 15, apenas algumas atividades estão liberadas, entre estabelecimentos médicos, postos de combustíveis e igrejas (com até 25% da capacidade). Do dia 15 ao dia 19 de março, transporte e comércio funcionam com horários restritos.
  • No Paraná, desde ontem, 11, a circulação de pessoas está restrita nas cidades entre as 20h e as 5 horas. Medida dura por sete dias e também proíbe a comercialização e o consumo de bebidas alcoólicas em espaços de uso público ou coletivo durante esse horário. Restaurantes, bares e lanchonetes, por exemplo, podem funcionar das 10h às 20 horas, com 50% de ocupação.
  • No Rio Grande do Sul, até o dia 21 de março, todas as regiões do estado serão na fase mais restritiva.  Restaurantes e bares só podem funcionar por delivery ou drive-thru. Comércio não essencial também só é permitido com entrega. Templos religiosos vão poder funcionar com limite de pessoas de 10% da capacidade máxima, não podendo ser superior a 30 pessoas.

Com informações da Agência Brasil