PUBLICIDADE
Coronavírus
NOTÍCIA

"Não haverá lockdown", afirma prefeito de Iguatu sobre medidas mais rígidas

De acordo com Ednaldo Lavor (PSD), não há previsão de que o município siga o exemplo de Fortaleza e adote medidas mais rígidas

Gabriela Almeida
22:03 | 05/03/2021
Um total de 80% dos leitos de UTI do município seguem ocupados com pacientes com Covid-19 (Foto: Foto: Asscom/Corpo de Bombeiros Militar)
Um total de 80% dos leitos de UTI do município seguem ocupados com pacientes com Covid-19 (Foto: Foto: Asscom/Corpo de Bombeiros Militar)

O município de Iguatu, localizado a 361,4 km quilômetros de Fortaleza, não deve adotar medidas de isolamento social mais rígidas nesta semana. De acordo com o prefeito da cidade, Ednaldo Lavor (PSD), em transmissão realizada por meio de suas redes sociais, não há previsão de que o município siga o exemplo de Fortaleza e entre em lockdown.

Segundo gestor, logo após a recomendação feita pelo governador do Ceará, Camilo Santana (PT), de que munícipios com alta de casos da Covid-19 adotassem medidas mais rígidas foi realizada uma reunião entre prefeitura e especialistas. Foram discutidas na ocasião medidas de segurança e de prevenção que poderiam ser adotadas para combater o avanço do vírus.

| LEIA MAIS |

O que muda do toque de recolher para lockdown e veja onde medidas são adotadas

128 municípios do Ceará entram em consórcio para compra direta de vacinas

Crajubar não decreta lockdown e aposta em mais testes e fiscalização

"Continuo acreditando que o essencial para gerir um município como Iguatu é o diálogo, e é isso que estamos fazendo. Continuaremos trabalhando incansavelmente na luta contra o coronavírus. Em breve trarei novas notícias sobre as medidas que adotaremos, mas desde já adianto que, em Iguatu, nesse momento, por parte da gestão municipal, não haverá lockdown”, destacou o gestor.

De acordo com dados colhidos até às 15h03min desta sexta-feira, 5, pela Secretaria da Saúde (Sesa) e divulgados na plataforma IntegraSUS, o município tem 80% dos leitos de Unidade de Terapia Intensiva (UTI) ocupados por pacientes com Covid-19. Em relação às enfermarias, o índice é de 63,46%.

Confira publicação: