PUBLICIDADE
Coronavírus
Noticia

68,5% das hospitalizações por Síndrome Respiratória Aguda Grave em janeiro foram por Covid-19

Conforme boletim epidemiológico do Estado publicado nesta terça-feira, 9, notificações por Srag em janeiro apresentam aumento de 2.330,7% com relação ao mesmo período de 2020

19:21 | 09/02/2021
FORTALEZA, CE, BRASIL, 08.02.2021: Hospital Leonardo da Vinci. Movimentação nos Hospitais de Fortaleza com aumento numeros de COVID-19. Em época de COVID-19. (Foto: Aurelio Alves/O POVO). (Foto: Aurelio Alves)
FORTALEZA, CE, BRASIL, 08.02.2021: Hospital Leonardo da Vinci. Movimentação nos Hospitais de Fortaleza com aumento numeros de COVID-19. Em época de COVID-19. (Foto: Aurelio Alves/O POVO). (Foto: Aurelio Alves)

Em janeiro, 68,5% dos casos de hospitalização por Síndrome Respiratória Aguda Grave (Srag) já investigados confirmaram infecção por Covid-19. Foram notificados 2.455 casos, o que representa um incremento de 2.330,7% no número de casos notificados casos do tipo em relação ao mesmo período de 2020. Os dados são do boletim epidemiológico semanal publicado nesta terça-feira, 9, pela Secretaria da Saúde do Estado (Sesa), com dados até o dia 30 de janeiro.

Do total de casos notificados com a forma grave da síndrome respiratória, 1.148 (46,8%) já foram investigados e 1.307 (53,2%) encontram-se em investigação. Além dos 786 casos diagnosticados com Covid-19, 362 (31,5%) não foram especificados.

Na semana epidemiológica 4 (24 a 30 de janeiro), Ceará registrou 4.713 novos casos e 56 novos óbitos pela doença. O que representa redução de 8% e aumento de 3,7% nos casos e óbitos, respectivamente. Conforme o documento, foram registrados óbitos por Covid-19 em 83 (45,1%) municípios do Estado. É possível observar aumento de 20,2% na última semana do mês em relação à semana anterior.

A taxa de mortalidade acumulada no Estado, considerando 2020 e 2021, é de 116,2 por 100 mil habitantes. A taxa de positividade dos exames laboratoriais para Covid-19 foi de 29,2% nos laboratórios públicos e de 23,9% nos particulares.

Dos casos confirmados de Covid-19 em janeiro, o número de casos foi maior entre pessoas adultas, grupo responsável pela disseminação do vírus na segunda onda da infecção, iniciada em meados de outubro. A distribuição dos casos foi: menos de 1 ano (0,6); 1 a 9 anos (3,5%), 10 a 19 anos (7,4%); 20 a 29 anos (22,6%); 30 a 39 anos (23,4%); 40 a 49 anos (16,5%); 50 a 69 anos (19,3%); e 70 anos ou mais (6,7%).