PUBLICIDADE
Coronavírus
NOTÍCIA

Sobre compra de vacina chinesa, Camilo Santana diz que não se pode colocar ideologia acima de vidas

Governador criticou decisão de Bolsonaro, que informou em rede social que governo brasileiro não comprará vacina Coronavac, produzida por laboratório chinês

Gabriela Feitosa
12:13 | 21/10/2020
Camilo tomou decisão em reunião com Comitê (Foto: REPRODUÇÃO FACEBOOK)
Camilo tomou decisão em reunião com Comitê (Foto: REPRODUÇÃO FACEBOOK)

 

O governador do Ceará, Camilo Santana (PT), criticou decisão do Governo Federal de não comprar vacina Coronavac, produzida por laboratório chinês, destacando que decisão precisa ser técnica e não pode colocar ideologia acima de vidas. O presidente Bolsonaro havia anunciado informação ainda nesta quarta, 21, no Facebook. O comentário do presidente foi em resposta à uma postagem onde alguém pedia para que a vacina não fosse comprada de um país que vive uma ditadura. 

O Ministério da Saúde confirmou a informação de Bolsonaro através de nota. 

Um tempo depois, dessa vez no Twitter, Bolsonaro reforçou posição de que não comprará vacina, mas explicando que "não se justifica um bilionário aporte financeiro num medicamento que sequer ultrapassou sua fase de testagem". Disse também que brasileiro "não será cobaia de ninguém" e ainda alfinetou o governador de São Paulo, João Dória, que defende a Coronavac: "A vacina chinesa de Joao Doria", escreveu presidente.

Veja a postagem completa:


Também no Twitter, Camilo Santana compartilhou notícia onde Bolsonaro diz que não comprará vacina e comentou que o Governo Federal deve guiar suas decisões sobre a vacina contra Covid-19 em critérios unicamente técnicos. Disse que lutará para que uma vacina segura e eficaz chegue o mais rápido possível para os brasileiros. "Não se pode jamais colocar posições ideológicas acima da preservação de vidas", comentou o governador.

Veja:


LEIA TAMBÉM | Especialistas dizem que Governo tem poder de tornar vacinação obrigatória e dever de incentivá-la 

TAGS