PUBLICIDADE
Coronavírus
NOTÍCIA

Médicos cearenses repudiam acusações de manipulação de número de mortes por coronavírus

Carlos Wizard, alvo da nota, anunciou saída do Governo Federal neste domingo, 6

Ítalo Cosme
23:25 | 07/06/2020
Médicos do Ceará repudiam acusações de manipulação no total de mortos por Covid-19 (Foto: Miguel SCHINCARIOL / AFP)
Médicos do Ceará repudiam acusações de manipulação no total de mortos por Covid-19 (Foto: Miguel SCHINCARIOL / AFP)

Documento assinado por 182 médicos cearenses repudia as declarações de Carlos Wizard, que defendeu a recontagem do número de mortos por Covid-19 no Brasil. O empresário chegou a dizer que os dados eram "fantasiosos ou manipulados". Neste domingo, 7, o fundador da escola de idiomas anunciou a saída do Governo Federal e pediu desculpa aos familiares dos mortos e profissionais da saúde. Wizard chegou a ser anunciado como secretário de Ciência, Tecnologia e Insumos Estratégicos do Ministério da Saúde.

O movimento suprapartidário, iniciado pela Associação Cearense de Gastroenterologia (ACG), conta com apoio de outros especialistas e do Coletivo Rebento, que atua em defesa do Sistema Único de Saúde (SUS). Um dos organizadores da nota, o secretário-geral da ACG, Sérgio Pessoa, afirma que há "profunda desorganização e passividade" no Ministério da Saúde frente à pandemia do novo coronavírus, "por isso, agora desejam encobrir os números reais da tragédia da COVID-19".

Segundo ele, a nota pretende se contrapor à "falta de transparência, obscurantismo e ao descompromisso com a ciência". A nota dos profissionais cearenses soma-se a outros manifestos, como o do Conselho Nacional dos Secretários de Saúde (CONASS), que vê "tentativa autoritária, insensível, desumana e antiética de dar invisibilidade aos mortos pela Covid-19".

Confira a nota dos médicos cearenses na integra:

Eu, como médico e médica, cidadão e cidadã brasileiro/a e testemunha da tragédia que a pandemia da covid 19 trouxe a várias famílias, apoio a nota do CONASS e repudio veemente as declarações do senhor Carlos Wizard sobre a mortalidade da doença. Tais declarações demostram despreparo, leviandade e desrespeito às vítimas, familiares e profissionais da saúde.