Participamos do

Poeta cearense Mailson Furtado lança "Nômade" nesta sexta, 3

Após ganhar o Prêmio Jabuti com "À Cidade" (2018), o escritor reescreve as primeiras obras em novo livro de poesia
18:25 | Set. 03, 2021
Autor Lara Montezuma
Foto do autor
Lara Montezuma Autor
Ver perfil do autor
Tipo Notícia

Em 2004, por volta dos 13 anos, o escritor Mailson Furtado descobriu a poesia. Os versos surgiram ao lado de outras tantas novidades, como o teatro, rock'n roll e a filosofia, no ambiente de uma nova escola na cidade de Varjota, no Ceará. Apenas em 2011, depois de assimilar a referência de nomes como Paulo Leminski, o autor estreou na literatura com o livro “Sortimento” (2011), antecedente ao “Versos Pingados” (2014). Dez anos depois destes experimentos, ele revê os dois primeiros trabalhos em “Nômade”, lançado nesta sexta, 3, às 20 horas, no canal da Casa de Arte CriAr no Youtube.

A obra compila 43 trabalhos de Mailson, sendo cinco inéditos, todos escritos entre 2007 e 2014. "São poemas que me dizem muito, na verdade, e até me desnudam enquanto autor nesse primeiro momento do meu tentar poético", reflete o poeta. A necessidade de revisitar os escritos cresceu após a conquista do 60º Prêmio Jabuti por “À Cidade”, em 2018, que impulsionou a procura pelos livros. “Como eles já se esgotaram, não tinha motivo para trazer novamente, vendo com os olhos de hoje”, explica.

Seja assinante O POVO+

Tenha acesso a todos os conteúdos exclusivos, colunistas, acessos ilimitados e descontos em lojas, farmácias e muito mais.

Assine

Ele começou a metodologia de reler e selecionar os poemas para dar forma ao novo projeto. A edição minuciosa, reconhece Mailson, foi adquirida durante os anos de experiência e, agora, os traços de cada obra ficam mais claros. “Sortimento” é influenciada pela fala e o pré-modernismo, enquanto “Versos Pingados” ecoa as influências do neoconcretismo. Ambas são constituídas por críticas sociais e, juntas, configuram uma poesia nômade: “uma característica é a pluralidade, não está nem aqui, nem ali”, delineia o escritor.

"Eu tentei ao máximo tentar deixar o cerne, o objetivo é manter a ideia inicial dos poemas. A partir disso, fui tentando trazer novas imagens, que fossem possíveis para cada poema, algumas questões linguísticas que acho importante. É muito desta busca de alicerçar ainda mais aquela ideia que eu tinha naquele momento, há dez anos", complementa Mailson. Agora, as palavras ganham o peso do “trilhar literário” depois da publicação de trabalhos como "Passeio pelas ruas de mim [e de outros]" (2018).

Também se une ao repertório o aprofundamento, já mais recente, na escrita do ensaio literário, Gonçalo Tavares e Octavio Paz, sem esquecer da poesia mimeógrafa e de Ferreira Gullar, que acompanham desde o início as atividades literárias do poeta. “Passa muito dessa questão metalinguística, onde a brincadeira como palavra é poema, até alguns poemas mais políticos, poemas crônicos. Esse livro diz em si muito do meu primeiro momento para dizer o que sou hoje”, complementa.

“Nômade”, previsto para ser lançado inicialmente em 2020, é disponibilizado agora devido à pandemia causada pelo novo coronavírus. O público entra em contato com outras versões de Mailson após um período em que cada pessoa, circunstancialmente, teve que rever os próprios trajetos. Por enquanto, a venda do livro em formato físico e digital será feita virtualmente, mas o plano é que, com a flexibilização das medidas, o autor possa realizar eventos de lançamento em algumas cidades do Estado.

Lançamento do livro "Nômade"

Quando: Hoje, às 20 horas
Onde: No youtube da Casa de Arte Criar.

Como adquirir
Quanto: R$ 25
Onde: No site e na Amazon

Podcast Vida&Arte
O podcast Vida&Arte é destinado a falar sobre temas de cultura. O conteúdo está disponível nas plataformas Spotify, Deezer, iTunes, Google Podcasts e Spreaker. Confira o podcast clicando aqui

Dúvidas, Críticas e Sugestões? Fale com a gente

Tags