Termo de Uso Política de Privacidade Política de Cookies Conheça O POVO Trabalhe Conosco Fale com a gente Assine Ombudsman
Participamos do

Juliette anuncia lançamento de primeiro EP com músicas inéditas

O álbum de Juliette contará com seis faixas inéditas e estarão disponíveis em todas as plataformas digitais ainda neste semestre
17:58 | Ago. 05, 2021
Autor - Clara Menezes
Foto do autor
- Clara Menezes Autor
Tipo Noticia

Depois de obter sucesso por participar no Big Brother Brasil, Juliette anuncia seu primeiro projeto musical. Ela terá um EP com seis faixas inéditas, com lançamento previsto ainda para este semestre.

“Eu sempre gostei de música e de cantar. A arte tem um espaço especial no meu coração. É uma emoção gigante criar esse projeto, meu primeiro, ao lado de pessoas tão importantes e talentosas. Construir todo esse meu universo é um sonho. Estou contando as horas para poder dividir isso com todo mundo”, disse a influenciadora em material divulgado para a imprensa.

O trabalho está sendo produzido pela Rodamoinho Records, em parceria com a Virgin Music Brasil. No disco, haverá músicos conhecidos do cenário musical, mas os nomes ainda não foram revelados.

Juliette ganhou proeminência no meio após cantar várias músicas diferentes no reality show deste ano. Depois de vencer a edição do programa, já se apresentou ao lado de Gilberto Gil, Wesley Safadão e outros.

Podcast Vida&Arte

O podcast Vida&Arte é destinado a falar sobre temas de cultura. O conteúdo está disponível nas plataformas Spotify, Deezer, iTunes, Google Podcasts e Spreaker.

Dúvidas, Críticas e Sugestões? Fale com a gente

Tags

Festival de blues reúne artistas brasileiros neste fim de semana

Três cearenses
18:00 | Ago. 05, 2021
Autor Clara Menezes
Foto do autor
Clara Menezes Autor
Ver perfil do autor
Tipo Noticia

Disseminar ainda mais o blues no território brasileiro. Esse é o principal objetivo do 1º Festival União Brasileira de Blues, que começa neste sábado, 7, e dura dois dias.

Com 26 atrações confirmadas, o evento será transmitido por meio do canal do Youtube do Mercado das Artes e trará bandas e solistas de várias regiões do Brasil.

Entre os artistas que marcam presença, estão três cearenses: Marília Lima, Cláudio Oliveira e Roberto Lessa. Esses músicos, já recorrentes no cenário local, se apresentarão no sábado, a partir das 16 horas.

Além deles, haverá grupos como Big Blues, Bêbados Habilidosos, Big Bat Blues Band, Ablusadas, Brazilian Blues Band, Distintivo Blue, Whisky de Segunda, Restgate Blues, entre outros.

A iniciativa também arrecadará doações para a entidade sem fins lucrativos Apnesor, que promove os direitos das pessoas com deficiências físicas. Mais informações sobre como doar estarão disponíveis on-line.

A primeira edição do festival está sendo promovida pela recém-criada União Brasileira do Blues (UBB). A associação busca encontrar estratégias para facilitar a colaboração entre artistas nacionais.

Programação completa

sábado 7, a partir das 16 horas
- Big Blues
- Marília Lima
- André de Sousa
- Carla Mariane
- Alexandre E. Campos
- Caru de Souza
- Ismael Carvalho
- Mandu Blues
- Big Bat Blues Band
- Cláudio Oliveira,
- Bêbados Habilidosos
- Roberto Lessa
- Jefferson Gonçalves

domingo, 8, a partir das 16 horas
- Eric Assmar
- Ablusadas
- Brazilian Blues Band
- Leo Maier
- Distintivo Blue
- Rhay’s Soul Project
- Blues da Casa Torta
- Allan House & Mississip Jr.
- Rodrigo Morcego
- Danny Boy Bizzy
- Whisky de Segunda
- Restgate Blues
- Blues Etílicos

1º Festival União Brasileira do Blues

Quando: entre sábado, 7, e domingo, 8, a partir das 16 horas
Onde: no canal do Youtube do Mercado da Arte
Mais informações: no perfil do Instagram @uniaobrasileiradoblues e no site oficial

Podcast Vida&Arte

O podcast Vida&Arte é destinado a falar sobre temas de cultura. O conteúdo está disponível nas plataformas Spotify, Deezer, iTunes, Google Podcasts e Spreaker.

Dúvidas, Críticas e Sugestões? Fale com a gente

Tags

Banda cearense de reggae OutraGalera lança álbum de estreia nesta sexta, 6

Música
00:30 | Ago. 05, 2021
Autor Miguel Araujo
Foto do autor
Miguel Araujo Autor
Ver perfil do autor
Tipo Notícia

Em 2020, o Prêmio Dynamite de Música Independente viu entre os indicados às suas 19 categorias 14 nomes da música cearense. Rock, punk e heavy metal foram alguns dos gêneros musicais contemplados com artistas locais. Outra vertente também teve representantes do Ceará: o reggae. Com a faixa “Dub da Tapioca”, em uma versão ainda caseira, a banda de reggae OutraGalera marcou seu nome nas indicações do prêmio. Nesta sexta-feira, 6, o grupo lança “Original Fortal”, seu álbum de estreia, explorando elementos da cultura jamaicana, da urbanidade de Fortaleza e levantando discussões fora das centralidades na Capital.

O disco será lançado após mais de um ano e meio do início das gravações. Caiô (vocal), Agno Cesar (teclado e trompete), Glauber Alves (baixo) e Beto Gibbs (bateria) se reuniram no início do ano passado para desenvolver o álbum. De maneira colaborativa e independente, começaram o processo com as gravações das bases instrumentais e esperavam lançar o trabalho final em julho de 2020, mas a pandemia atrasou o planejamento e precisaram dar uma pausa nas etapas. Em abril deste ano foi publicado o videoclipe oficial de “Dub da Tapioca”, dirigido pelo artista Fluxo Marginal. Neste fim de semana “Original Fortal” será conhecido na íntegra pelo público.

Com dez faixas, o álbum reúne composições com influências da música reggae, da vertente dub e do hip hop e traz influência da cultura urbana de Fortaleza. No trabalho, são incorporados também “elementos periféricos” ao se explorar o reggae e o rap. A imersão na cultura jamaicana para Caiô o acompanha há bastante tempo, pois parte de sua família tinha o hábito de consumir músicas do gênero.

“Existe uma relação bem próxima com o ritmo. Eu comecei a compor muito novo e havia uma relação intuitiva, mas por volta de 2012 eu comecei a me desenvolver e a pesquisar mais. É um ritmo que marca muito Fortaleza. Existe uma ligação com a Jamaica, a juventude consome muito esses espaços onde a galera vai para escutar reggae. Então, a influência vem de tudo isso, desse corpo periférico que se encontra para o lazer”, destaca o vocalista.

Leia também | "Tinha tanta necessidade de me expressar", diz Maria Bethânia sobre Noturno

As músicas do “Original Fortal” tratam de “indivíduos negros e periféricos” e também de espaços da Capital, contemplando aqueles que “veem uma Fortaleza não só pela ótica centralizada”. Há também um “percurso visual a partir da lírica” na linguagem do álbum. Na faixa “Dobaba”, por exemplo, é possível perceber citações à Praia de Iracema, ao bairro do Pirambu e à Avenida Leste-Oeste.

“É como se nós estívessemos criando uma linguagem inteira para falar sobre Fortaleza, dessa geração de jovens da periferia, negros e não-brancos. Essa galera está sendo representada não só em corpo físico ou no visual da cidade, mas também nos lugares que nós frequentamos e costumamos compartilhar nossas vibes”, acrescenta Caiô.

Na trajetória da banda também são inseridas influências de elementos culturais do Nordeste: “Existe muita influência de coisas daqui, do forró e de elementos da cultura popular. Nós tentamos explorar isso não só de maneira musical, mas também no trabalho visual. É a música jamaicana com coisas da cultura pop”, afirma Caiô.

É possível encontrar referências a elementos locais na faixa “Dub da Tapioca”, por exemplo, que menciona o carro da tapioca. “É algo que pode parecer pequeno, mas isso regionaliza algo maior, um gênero que é escutado no mundo todo. Então, nós tentamos trabalhar essas regionalidades e universalidades dentro da nossa música”, acrescenta.

Leia também | Centro Cultural Bom Jardim recebe propostas artísticas até domingo, 8

O nome do trabalho que será lançado nesta sexta-feira tem inspiração em um “bordão” frequentemente visto em músicas de reggae: o termo “Original”. Aliando a sonoridade do álbum já “voltada para música jamaicana” com uma outra palavra que tem sido bastante usada por jovens de Fortaleza (ou melhor, “Fortal”), a banda consegue introduzir seu desejo de falar sobre o cotidiano da Capital e da relação com os espaços urbanos e de unir referências da linguagem do reggae com a de Fortaleza.

A banda de reggae cearense OutraGalera é formada por Caiô, Agno Cesar, Glauber Alves e Beto Gibbs (Foto: Divulgação)
Foto: Divulgação A banda de reggae cearense OutraGalera é formada por Caiô, Agno Cesar, Glauber Alves e Beto Gibbs

O álbum de estreia da banda conta também com participações de outros artistas. Entre as parcerias está a da cantora Luiza Nobel, que compartilha vocais com Caiô na faixa “Dub da Vovó”. Na música “Eu e Eu”, do rapper paraibano Sacal, há remix inspirado no estilo de dança jamaicano dancehall e a contribuição do artista sonoro cearense Eric Barbosa ao tocar percussões com Rami Freitas.

Para Caiô, o envolvimento de outros artistas no trabalho da banda é muito importante para “a movimentação que está sendo feita dentro da cultura do Estado”. “Tudo isso é feito de maneira independente, muitas vezes sem recursos financeiros para conduzir os projetos, pedindo ajuda e contando com uma rede de apoio. Então, é um movimento muito maior do que só o que está impresso, e é de extrema importância porque é isso que nos faz continuar e permanecer, porque não é algo fácil”, comenta o músico.

Caiô espera que o álbum funcione como um registro significativo para “as pessoas para o qual o disco fala”, gere identificação e que sejam absorvidas as mensagens transmitidas pelas faixas do disco. “Minha expectativa é também de passar um dia em um lugar como a Beira-Mar ou alguma ruazinha do Centro e ouvir o disco tocando, que toque por Fortaleza e que ele seja realmente ‘Fortal’, que seja forte e permaneça tocando”, complementa.

Leia também | 8 anos do Porto Iracema das Artes: confira programação especial de agosto

Dúvidas, Críticas e Sugestões? Fale com a gente

Tags

Juliette conta motivo da viagem a Fortaleza e gera especulações dos fãs

Juliette
00:00 | Ago. 05, 2021
Autor O Povo
Foto do autor
O Povo Autor
Ver perfil do autor
Tipo Notícia

Após o fim das gravações do documentário do Globoplay “Você nunca esteve sozinha”, no Rio de Janeiro, a campeã do Big Brother Brasil 21 (BBB 21), Juliette Freire, embarcou para um novo compromisso profissional, em Fortaleza. Desde o anúncio da sua chegada às terras alencarinas, os cactos, como são conhecidos os fãs de Juliette, buscam descobrir o motivo de sua vinda e a sua exata localização.

Por meio de um story em seu Instagram, a paraibana comentou que vai participar da gravação de um programa, mas não deu detalhes. “Eu vou gravar um programa muito lindo e maravilhoso. Não posso falar ainda, mas já estou aqui toda pronta”, disse a ex-sister, de forma bem-humorada.

Nas redes sociais, diversas especulações sobre o assunto surgiram. A primeira dizia que as gravações seriam feitas no Beach Park, porém a assessoria do parque aquático negou a possibilidade. No Twitter, o poeta cearense Braúlio Bessa também foi alvo das especulações dos cactos após um tuíte. “Dia de gravar com alguém muito especial!”. A suposta parceria foi descartada após publicações no Instagram de Bráulio mostrarem que ele está no Rio.

Em busca do paradeiro de Juliette, fãs afirmaram que ela estaria hospedada em um hotel na Beira Mar, em Fortaleza. Já nesta noite, outra informação não confirmada surgiu. Segundo um morador do sertão cearense, a ex-BBB está em Quixadá e irá gravar um clipe na região nesta quinta-feira, 5.  A assessoria da ex-sister foi procurada para comentar sobre sua chegada a Fortaleza, mas até o momento não obtivemos resposta.

Dúvidas, Críticas e Sugestões? Fale com a gente

Tags