PUBLICIDADE
Brasil
NOTÍCIA

Primeiro 7 de Setembro de Bolsonaro tem quebra de protocolo, "carona" e protestos

Segundo o pesselista, a decisão de quebrar o protocolo e descer do palanque foi para estimular o sentimento patriótico das pessoas

20:07 | 07/09/2019
O presidente Jair Bolsonaro durante o desfile de 7 de Setembro, em Brasília.
O presidente Jair Bolsonaro durante o desfile de 7 de Setembro, em Brasília.(Foto: Marcelo Camargo/Agência Brasil)

A celebração dos 197 anos da proclamação da Independência do Brasil começou a ser celebrada por volta das 9 horas deste sábado, 7, na Esplanada dos Ministérios, com a abertura do desfile cívico-militar. O presidente Jair Bolsonaro (PSL) participou de seu primeiro desfile de 7 de Setembro como chefe de Estado. A celebração foi marcada por quebra de protocolo por parte do presidente e protestos contra o governo em várias cidades do País.

Assista ao desfile de 7 de setembro:

Logo no início do desfile, a primeira quebra de protocolo: Bolsonaro deixou um menino entrar no carro usado por ele. O garoto Ivo César Gonzales, 9, corria pelo gramado da Biblioteca do Senado tentando acompanhar o Rolls-Royce presidencial quando foi chamado para subir a bordo do conversível. O garoto usava uma camisa amarela número 10 do Brasil e foi levado até o presidente por um policial. Bolsonaro estendeu a mão para cumprimentar o menino e, em seguida, o puxou para dentro do veículo.

Mais tarde, com o desfile em andamento, Bolsonaro decidiu descer da tribuna e caminhar pela Esplanada dos Ministérios, acenando e cumprimentando o público. Cercado por dezenas de seguranças, Bolsonaro foi acompanhado por alguns ministros, como Sérgio Moro (Justiça e Segurança Publica), Onyx Lorenzoni (Casa Civil) e Augusto Heleno (Gabinete de Segurança Institucional). Em razão da quebra de protocolo, o desfile chegou a ser interrompido por alguns minutos.

Na chegada à residência oficial, o presidente desceu do carro para cumprimentar as pessoas presentes e falou brevemente com jornalistas que estavam no local. Segundo ele, a decisão de quebrar o protocolo e descer do palanque foi para estimular o sentimento patriótico das pessoas.

"Os seguranças ficam um pouco preocupados aqui, mas é um pequeno risco que a gente corre, porque a gente acha que pode despertar o sentimento patriótico do povo brasileiro", afirmou.

Ministros de Bolsonaro cantam hino em vídeo:

Protestos

O 7 de Setembro também foi marcado por manifestações contrárias ao governo em algumas cidades do País. Organizada por grupos de esquerda e movimentos estudantis, a marcha do Grito dos Excluídos ocorre tradicionalmente todos os anos no Dia da Independência.

Em Fortaleza, a concentração começou por volta das 8 horas na Praia do Futuro. Ao longo do trajeto, os manifestantes realizam três paradas, enfatizando os três "Ts" destacados nos discursos do Papa Francisco: Terra, Teto e Trabalho. O lema deste ano foi “Este sistema não Vale!”.

Com informações da Agência Brasil