Participamos do

Apagão da Twitch: entenda a paralisação de usuários da plataforma

Durante o Apagão da Twitch, os organizadores e participantes pediram que os espectadores também não acessassem o site. Uma redução na taxa de inscrição paga pelo público tem sido combustível para o movimento
00:08 | Ago. 25, 2021
Autor Mateus Brisa
Foto do autor
Mateus Brisa Estagiário
Ver perfil do autor
Tipo Notícia

Criadores de conteúdo do Twitch realizaram uma paralisação de suas atividades na plataforma nessa segunda-feira, 23, em protesto por determinadas condições de trabalho. Durante o 'Apagão da Twitch', os organizadores e participantes pediram que os espectadores também não acessassem o site. O movimento ganhou notoriedade nas redes sociais.

Uma conta criada no Twitter para divulgar informações sobre o apagão pede à plataforma mais transparência quanto às taxas aplicadas aos criadores de conteúdo, uma solução para os ataques de ódio destilados em chats e uma revisão da associação com a Amazon.

Uma redução na taxa de inscrição paga por espectadores do Twitch tem sido combustível para o movimento. Essa inscrição, conhecida como “sub” (abreviação para “subscription”, em inglês), garante benefícios exclusivos e caiu de R$ 22,99 para R$ 7,90 (no nível mais básico) no início de agosto. A alteração afetou diretamente os criadores de conteúdo em crescimento, que notaram redução de até 60% em seus ganhos.

Seja assinante O POVO+

Tenha acesso a todos os conteúdos exclusivos, colunistas, acessos ilimitados e descontos em lojas, farmácias e muito mais.

Assine

Segundo o vice-presidente de monetização da empresa, Mike Minton, os novos preços são adequados ao mercado brasileiro. Em entrevista ao portal Globo Esporte, ele explicou que a mudança considera valores de outros serviços no País, como a assinatura da Amazon Prime, conjunto de benefícios premium da Amazon. Minton argumenta que foi notado um aumento de receita em países onde essa transição de valor já aconteceu, pois houve um crescimento no número de inscritos devido ao custo mais baixo.

A Twitch anunciou, após a mudança, um pacote de compensações para acalentar o impacto nos criadores. Será calculada uma média de ganhos dos últimos três meses; com isso, serão compensados os streamers que apresentaram redução de receita no último ano - de forma integral no primeiro trimestre, 75% no segundo, 50% no terceiro e 25% no quarto.

Quanto recebe um streamer do Twitch?

Com os novos valores, um criador de conteúdo da plataforma, ou streamer, recebe em média US$ 0,40 (R$ 2,10) por cada inscrito. Antes da nova taxa, o repasse se aproximava de R$ 6,80 por cada inscrito. Ainda, a Twitch fica com uma parcela do valor pago em cada inscrição e aplica um imposto de 30% em cima dos ganhos totais dos produtores de conteúdo.

Ao portal Canaltech, o streamer Gamer de Esquerda mensurou que produtores precisam de 523 inscritos para alcançar o salário mínimo de R$ 1.100 por mês. A quantidade demanda investimento de tempo, material e criatividade. O perfil calculou ter levado mais de um ano para gerar cerca de R$ 536,13 na plataforma. Seus seguidores chegam a 15 mil atualmente.

Pix como alternativa no Twitch

Frente às questões de renda, os streamers esbarraram em uma alternativa de captação: transferências por Pix. Essa forma de contribuição se junta aos “bits”, um tipo de gorjeta do Twitch, como possíveis pedidos que os produtores de conteúdo fazem aos seus espectadores.

Transferir uma quantia por Pix não garante os benefícios de uma inscrição, mas favorece um ganho aos streamers sem descontos na plataforma. Com isso, a frase “não dê sub, faça um Pix” tem sido encontrada em títulos de lives, enquanto o comando “!Pix” é usado em chats para divulgar as chaves Pix.

Dúvidas, Críticas e Sugestões? Fale com a gente

Tags