Participamos do

Em reunião, Bolsonaro chama Doria de "bosta" e Witzel de "estrume"

Na gravação, Bolsonaro chega a associar as medidas de isolamento a uma "ditadura", e defende armar a população para evitar esse tipo de postura
22:22 | Mai. 22, 2020
Autor Carlos Mazza
Foto do autor
Carlos Mazza Repórter de Jornalismo de Dados
Ver perfil do autor
Tipo Notícia

Vídeo de reunião ministerial de 22 de abril, que teve sigilo levantado por Celso de Mello nesta sexta-feira, 22, inclui trecho em que o presidente Jair Bolsonaro faz pesadas críticas a prefeitos e governadores que implementaram medidas de isolamento social em suas administrações.

Em um momento da gravação, o presidente chega a chamar o governador de São Paulo, João Doria (PSDB), de “bosta” e o do Rio de Janeiro, Wilson Witzel (PSC), de “estrume”. O presidente faz críticas também ao prefeito de Manaus, Arthur Virgílio Neto (PSDB).

“O que esses caras fizeram com o vírus, esse bosta desse governador de São Paulo, esse estrume do Rio de Janeiro, entre outros, é exatamente isso. Aproveitaram o vírus, tá um bosta de um prefeito lá de Manaus agora, abrindo covas coletivas. Um bosta”, diz.

Seja assinante O POVO+

Tenha acesso a todos os conteúdos exclusivos, colunistas, acessos ilimitados e descontos em lojas, farmácias e muito mais.

Assine

Na gravação, Bolsonaro chega a associar as medidas de isolamento a uma “ditadura”, e defende armar a população para evitar esse tipo de postura. “"É por isso que eu quero armar a população, para evitar que venha um filho da puta e imponha uma ditadura aqui. Porque é facílimo impor uma ditadura nesse País, facílimo, só ver os prefeitos, governadores”.

Dúvidas, Críticas e Sugestões? Fale com a gente

Tags