Participamos do

Bolsonaro afirma que poderes podem pedir que Forças Armadas "intervenham para restabelecer a ordem no Brasil"

Durante o encontro, Bolsonaro minimizou ainda a participação dos apoiadores em ato antidemocrático contra o Congresso e o Supremo Tribunal Federal (STF)
22:16 | Mai. 22, 2020
Autor O Povo
Foto do autor
O Povo Autor
Ver perfil do autor
Tipo Notícia

Vídeo de reunião ministerial de 22 de abril, que teve sigilo levantado por Celso de Mello nesta sexta-feira, 22, revela que o presidente defendeu a participação dele em ato antidemocrático contra o Congresso e o Supremo Tribunal Federal (STF) e disse que, "havendo necessidade", poderes podem pedir intervenção das Forças Armadas para "restabelecer a ordem no Brasil".

“E havendo necessidade, qualquer dos poderes, pode, né? Pedir às Forças Armadas que intervenham para restabelecer a ordem no Brasil, naquele local sem problema nenhum. Agora todos, né? Tem que se preocupar com a questão política, e a quem de direito, tira a cabeça da toca, porra”, disse Bolsonaro.

Durante o encontro, Bolsonaro minimizou ainda a participação dos apoiadores no ato antidemocrático. "Quando o Partido Comunista do Brasil faz suas convenções e idolatram lá Fidel Castro, entre outros, não tem problema nenhum. Quando um coitado levanta uma placa de Al-5, que eu tô me lixando para aquilo, porque não existe AI-5. Não existe.”

Seja assinante O POVO+

Tenha acesso a todos os conteúdos exclusivos, colunistas, acessos ilimitados e descontos em lojas, farmácias e muito mais.

Assine

O vídeo da reunião ministerial é apontado pela defesa do ex-ministro Sergio Moro como pertinente à investigação que apura interferência ou não do presidente Bolsonaro na Polícia Federal (PF). A divulgação não ocorre na íntegra e trechos mais delicados foram excluídos.

Dúvidas, Críticas e Sugestões? Fale com a gente

Tags