Participamos do

Após receber transplante, noiva convida pai da doadora para levá-la ao altar

Dianna recebeu os órgãos de Heather, que faleceu poucos dias antes do próprio casamento
17:50 | Out. 29, 2021
Autor Pedro Igor/Especial para O POVO
Foto do autor
Pedro Igor/Especial para O POVO Autor
Ver perfil do autor
Tipo Notícia

Doar salva vidas. E foi o que o norte-americano Daniel Donnelly fez ao autorizar a doação dos órgãos da sua filha, Heather Donnelly, morta em um acidente de carro. Anos depois, Dianna Donnarumma Keher, uma das pessoas salvas pela doação, fez um convite a Daniel que o deixou emocionado: que ele entrasse com ela na igreja e a levasse para o altar, onde casaria com o noivo, Conlan Keher. 

O caso aconteceu em Buffalo, no estado de Nova York,  Estados Unidos, onde a noiva recebeu órgãos transplantados e realizou o casamento com a presença do pai da doadora. Mas antes deste enlace feliz, Dianna precisou enfrentar uma série de dificuldades.

Dianna foi diagnosticada com disautonomia ou neuropatia autonômica, uma disfunção dos nervos que regulam as funções involuntárias do corpo - como a frequência cardíaca, por exemplo - pouco antes do seu casamento.Com o progresso da doença, a noiva descobriu que precisaria realizar um transplante de intestino, segundo o jornal britânico Daily Mail. 

Seja assinante O POVO+

Tenha acesso a todos os conteúdos exclusivos, colunistas, acessos ilimitados e descontos em lojas, farmácias e muito mais.

Assine

Encontrar um doador foi árdua. Até que um dia, Dianna e seu noivo receberam a informação de que havia sido encontrado um doador compatível. Em poucas semanas, ela estava na sala de cirurgia realizando o procedimento. Um ano após o transplante, a noiva fez questão de conhecer a família da doadora e começou sua busca.

Dianna enviou uma carta através do Centro de Transplantes de Washington, que intermediou sua operação, para o Centro de Doações do Texas, que então entrou em contato com Daniel Donnelly, que autorizou a doação dos órgãos da sua filha, Heather. 

Nos Estados Unidos, os parentes dos doadores podem ou não aceitar o pedido dos transplantados para entrar em contato, conforme Daily Mail. Dianna conseguiu um resposta de Daniel e entrou em contato por telefone.

Elaconta que apósa primeira ligação, chorou por três dias ao conhecer a história de Heather e "o quão maravilhosa" sua doadora era. Dianna e Daniel eventualmente se encontraram depois em Illinois, onde Daniel vive. Ele contou à Dianna que sua filha faleceu poucos dias antes de casar, motivo pelo qual decidiu autorizar a doação.

Ao saber disso, Dianna convidou Daniel, impedido de levar sua única filha ao altar, para a acompanhá-la no seu casamento. Daniel aceitou prontamente. O casamento ocorreu no dia 13 de agosto e história de Daniel, Dianna e Heather ganhou as redes sociais recentemente, após entrevista a uma série de jornais e revistas.

“Ele (Daniel) me disse que estava honrado de me acompanhar ao altar e que está tão feliz por ter outra filha agora” relembra Dianna. “Eu disse ao Dan que o espírito de Heather estava lá connosco e que ela estava mais feliz do que nunca”, completou a recém-casada.

Colunistas sempre disponíveis e acessos ilimitados. Assine O POVO+ clicando aqui

Dúvidas, Críticas e Sugestões? Fale com a gente

Tags