PUBLICIDADE
Mundo
NOTÍCIA

Trump volta ao Twitter após ter conta suspensa e garante transição pacífica para Biden

O 45º presidente americano utilizou a rede social para divulgar um discursos de tom conciliador afirmando querer uma "transição tranquila" para o governo de Joe Biden

Alan Magno
00:20 | 08/01/2021
As declarações de Trump foi publicada no Twitter, como primeira publicação após ter a conta suspensa por declarações falsas (Foto: MANDEL NGAN / AFP)
As declarações de Trump foi publicada no Twitter, como primeira publicação após ter a conta suspensa por declarações falsas (Foto: MANDEL NGAN / AFP)

Nesta quinta-feira, 7, um dia após ter sua conta bloqueada no Twitter por postagens falsas, o então presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, retornou às redes sociais com um discurso conciliador. Diante das cenas de ataque à democracia protagonizadas por republicanos apoiadores de Trump extremistas na invasão do Capitólio e no Congresso dos EUA, ele pediu “reconciliação”.

Trump ainda se referiu aos episódios como algo chocante e pontuou que aqueles que participaram ou incentivaram atos de violência e de desordem, não representam os Estados Unidos. Trump garantiu que aqueles que tiverem violado alguma lei, irão pagar por isso. “América é e sempre será uma nação da lei e da ordem”, afirmou, garantindo que irá conduzir uma transição “tranquila” para a gestão do presidente eleito, Joe Biden, da base democrata.

LEIA TAMBÉM | Morre policial ferido no Capitólio; invasão já totaliza cinco mortos

“Nós vivenciamos um tenso processo eleitoral e nossas emoções estão exaltadas, mas, agora, a situação está mais amena e pede por um recomeço”, pontuou Trump. Pela primeira vez, desde o embate nas urnas, o presidente não acusou de fraude o processo eleitoral americano de 2020.

Apesar da ausência de acusações inflamadas e sem provas, comuns até então, Trump afirmou categoricamente que acreditava já ter passado da hora das lei eleitorais americanas serem revistas, bem como o sistema de votação. “Para assegurar a legalidade e o sigilo das futuras eleições”, conforme completou.

LEIA TAMBÉM | Entenda o que é o Capitólio dos EUA, invadido nesta quarta por extremistas pró-Trump

Sobre as acusações anteriores, o republicano afirmou apenas que “estava lutando para defender a democracia americana", mas que com o reconhecimento final do Congresso, iria trabalhar em cooperação com Biden, para a nova gestão dos EUA. “2021 será um momento desafiador para nosso povo”, afirmou convocando todos os cidadãos do país a “trabalharem juntos como uma única família”.

LEIA MAIS | Biden diz que Trump incitou multidão e que 'presidente não está acima da lei'

Encerrando o pronunciamento, Trump agradeceu pelo tempo que ocupou na gestão da Casa Branca e falou diretamente com apoiadores: “Sei que vocês estão desapontados, mas nossa jornada apenas começou”, finalizou pedindo benção de Deus para todos e para os Estados Unidos