Homem condenado por matar e esquartejar vendedor em Fortaleza é preso novamente

Suspeito estava há quase sete meses como foragido da Justiça e foi detido em flagrante, no último dia 1° de julho, após ameaçar e agredir um desafeto

Bryan Santos Barroso, um dos homens condenados por matar e esquartejar o vendedor Eduardo Lima, 20, em Fortaleza, no ano de 2020, voltou a ser preso. O homem estava há quase sete meses como foragido da Justiça e foi detido em flagrante, no último dia 1° de julho, após ameaçar e agredir um desafeto.

No geral, oito pessoas foram condenadas pela morte do comerciante. Vítima vendia produtos de limpeza quando foi capturada no bairro Barra do Ceará e levada para uma área de mangue, onde foi executado.

Seja assinante O POVO+

Tenha acesso a todos os conteúdos exclusivos, colunistas, acessos ilimitados e descontos em lojas, farmácias e muito mais.

Assine

Em novembro de 2023, Bryan foi posto em liberdade junto a outros acusados, com aplicação de medidas cautelares, mas rompeu o sinal do aparelho eletrônico e desde então estava foragido. As informações constam no Auto de Prisão em Flagrante (APF).

Ele foi localizado há pouco mais de uma semana, quando agrediu um homem no bairro Meireles. Na ocasião, suspeito foi preso em flagrante por ameaçar de morte e bater na vítima com uma corrente

A prisão em flagrante foi convertida em provisória após ser constatado que o homem já tem condenação definitiva por tráfico de drogas e que há uma ação penal em andamento relativa à morte do vendedor, na qual ele é acusado por integrar organização criminosa, homicídio qualificado e ocultação de cadáver. 

"Entendo que tais medidas não surtiriam o efeito almejado para a proteção da ordem pública, pois nenhuma delas é capaz de impedir a escalada criminosa do custodiado. A monitoração eletrônica, única medida mais eficaz para evitar a prática de novos delitos, não se mostra adequada ao presente caso, eis que o autuado estava usando tornozeleira eletrônica e violou o equipamento da monitoração", destaca a juíza Adriana da Cruz Dantas, da 17ª Vara Criminal, em auto de prisão. 

 

Dúvidas, Críticas e Sugestões? Fale com a gente

Os cookies nos ajudam a administrar este site. Ao usar nosso site, você concorda com nosso uso de cookies. Política de privacidade

Aceitar