Faccionados rendem e agridem 3 pessoas em casos distintos em Fortaleza

Casos foram registrados nos bairros Pedras e Bonsucesso. Em uma das ocorrências, as vítimas foram salvas pela PM, enquanto, na outra, a vítima conseguiu fugir

Nove pessoas foram capturadas no último domingo, 7, suspeitas de render, agredir e ameaçar três pessoas, em dois episódios distintos, a partir da desconfiança de que as vítimas integravam facção criminosa rival à deles. Os casos ocorreram nos bairros Bonsucesso e Pedras, em Fortaleza.

O primeiro episódio ocorreu na rua Carlos Chagas, no Bonsucesso. Conforme Auto de Prisão em Flagrante (APF), por volta das 7h10min, a Polícia Militar foi acionada para uma ocorrência em que duas pessoas estavam sendo mantidas em cárcere privado por integrantes da facção criminosa Comando Vermelho (CV).

Seja assinante O POVO+

Tenha acesso a todos os conteúdos exclusivos, colunistas, acessos ilimitados e descontos em lojas, farmácias e muito mais.

Assine

No local, os policiais encontraram um homem e dois adolescentes mantendo as duas vítimas amarradas e sentadas no chão.

"As vítimas relataram que foram levados à força para aquela casa pelo conduzido e pelos inimputáveis, sendo fotografados e ameaçados de morte durante o período em que estavam no imóvel. Alegaram, ainda, que o trio indagou se eles eram faccionados e aguardavam orientação de uma terceira pessoa sobre o que deveriam fazer com as duas vítimas", consta na decisão da audiência de custódia à qual foi submetido Ralison Galdino de Lima, de 22 anos, o suspeito maior de idade que foi preso.

Autuado por ameaça, cárcere privado, integrar organização criminosa e corrupção de menores, ele teve a prisão preventiva decretada pela Justiça. Ralison era monitorado por uma tornozeleira eletrônica.

Na casa onde as vítimas foram feitas reféns, os PMs encontraram um simulacro de arma de fogo. No imóvel, que estava abandonado, ainda havia uma pichação da sigla CV.

O segundo caso foi registrado durante a tarde, por volta das 14 horas, na rua Teodorico Cruz, em Pedras. Conforme APF, a vítima havia ido a um sítio na região para uma confraternização de torcedores do Ceará, quando, ao sair para comprar cigarros, foi cercada por integrantes do CV.

O grupo levou o homem para uma casa, onde passaram a perguntar se ele tinha envolvimento com facções criminosas, o que era negado. Mesmo assim, os criminosos fotografaram o rosto da vítima e enviaram para a averiguação de outros integrantes da organização criminosa.

Enquanto isso, a vítima era agredida com chutes nas costelas e coronhadas na cabeça. Após a análise, foi ordenado que o homem fosse levado para um rio, provavelmente, para ser executado, mas ele homem conseguiu desvencilhar-se dos criminosos e fugir por um matagal.

“Após o ocorrido, os imputados ainda invadiram o sítio no qual ocorria a mencionada confraternização com a finalidade de investigar a existência de integrantes de facção rival naquele local, passando a ameaçar os presentes, momento no qual foram surpreendidos com a chegada dos policiais militares, tendo o autuado Glauber Sampaio empreendido fuga em poder de uma arma de fogo (que se desfez no percurso), mas logo foi capturado e preso em flagrante delito”, consta em decisão de audiência de custódia.

Os suspeitos presos foram identificados como: Rodrigo do Nascimento Rodrigues, Francisco Daniel Coelho dos Santos, José Welder Vital, Glauber Sampaio Moura, João Vitor Furtuna de Oliveira e Lucas Marinho Rodrigues.

Eles foram autuados por tentativa de homicídio, associação criminosa e tortura. Todos tiveram prisão preventiva decretada.

Dúvidas, Críticas e Sugestões? Fale com a gente

Tags

Facções Criminosas

Os cookies nos ajudam a administrar este site. Ao usar nosso site, você concorda com nosso uso de cookies. Política de privacidade

Aceitar