Logo O POVO+

Jornalismo, cultura e histórias em um só multistreaming.

Participamos do

Ainda com restrições de atendimento, Meac aguarda disponibilidade de leitos

Seis dias após o comunicado de superlotação da Unidade, a Meac registra uma ocupação mais baixa, mas permanece com número de bebês acima da capacidade

Seis dias depois de anunciar restrição nos atendimentos por causa de superlotação, a Maternidade-Escola Assis Chateaubriand (Meac) teve redução na ocupação, mas informa que permanece com uma quantidade de bebês internados acima da capacidade. Após reunião junto à Secretaria Municipal da Saúde (SMS), Secretaria da Saúde do Ceará (Sesa) e Ministério Público do Estado (MPCE), houve sinalização, por parte da Prefeitura de Fortaleza, de que seis leitos seriam disponibilizados no Hospital da Mulher. Porém, como ainda não houve definição de prazo, a Meac continua com restrições de atendimento

A restrição consiste no atendimento de um perfil específico de pacientes (gestantes com menos de 20 ou mais de 37 semanas de gravidez, e mulheres necessitando de urgência ginecológica) via regulação da Central de Leitos. "Mas a Meac segue as negociações com as autoridades e o esforço incansável para estabelecer as condições adequadas de assistência e ensino que lhe são características", informou a maternidade por meio de nota. A ocupação na UTI Neonatal da Meac é de 27 bebês, quando a capacidade máxima é de 21.

Na rede estadual, conforme informações da Secretaria da Saúde do Ceará (Sesa), a taxa de ocupação dos leitos neonatais é de 90% — a quantidade de leitos não foi especificada. A pasta afirmou ainda, por meio de nota, que foram criados leitos no Hospital Geral Dr. César Cals (HGCC) e solicitadas mais vagas nas demais unidades com alas desse perfil. 

Seja assinante O POVO+

Tenha acesso a todos os conteúdos exclusivos, colunistas, acessos ilimitados e descontos em lojas, farmácias e muito mais.

Assine

A SMS informou que está em fase preparatória dos seis leitos que serão disponibilizados.

Ação Civil Pública

O MPCE afirma que avalia a possibilidade de ingressar com uma Ação Civil Pública (ACP) com o objetivo de resolver o problema na Rede Obstétrica e Neonatal de Fortaleza. Porém, destaca que, após a reunião da quinta-feira, 26, recebeu informações da Sesa e da SMS de que haveria aumento de leitos na rede pública e privada conveniada complementar.

Participaram do encontro ainda representantes da Fundação Regional de Saúde (Funsaúde), do Hospital Geral de Fortaleza (HGF) e do Hospital Geral Dr. César Cals (HGCC). 

Infecção

O anúncio da Meac de restrição considerou ainda a existência de um processo de infecção entre as crianças internadas. Das cinco unidades neonatais de alto e médio risco, duas permanecem bloqueadas por ainda terem recém-nascidos em tratamento de infecção. 

De acordo com Edson Lucena, gerente de Atenção à Saúde da Meac, uma parcela dos bebês internados está apresentando sintomas de infecção causada por um patógeno chamado Clostridium difficile. O surto é registrado em recém-nascidos que apresentam quadros de diarreia. “Infelizmente, nestas condições, a Maternidade encontra-se impossibilitada de prestar assistência a mais recém-nascidos prematuros que necessitem de internamento nas unidades neonatais até que se controle o processo infeccioso”, afirmou a nota da Meac.

De acordo com informações da unidade hospitalar, a restrição à entrada de novos pacientes é uma forma também de frear essa contaminação. “No passado, houve graves problemas por causa das lotações, e isso acarreta o risco da infecção. Em virtude dessa superlotação ter se tornado perene, nós estamos com um quadro de um surto infeccioso. Por precaução nós não podemos receber nenhum bebê prematuro adicional, nem podemos transferir os nossos sobre risco de contaminar outros espaços”, destaca a nota.

Atendimento em Fortaleza

Em nota, a Secretaria Municipal da Saúde (SMS) informa que acompanha, junto ao Governo do Estado do Ceará e os órgãos de controle, a ocupação da Meac e a rede municipal de atendimento materno-infantil: atendimento de consultas de pré-natal ocorre nos 116 postos de saúde de Fortaleza e, a depender da situação de risco da gestação, é encaminhada para a unidade hospitalar para ser acompanhada. 

Na rede municipal, de acordo com a SMS, existem 59 leitos neonatal entre Unidade de Terapia Intensiva Neonatal (UTIN) e Unidade de Cuidado Intermediário Neonatal (UCIN). Atualmente, os atendimentos ocorrem nas unidades municipais Hospital Nossa Senhora da Conceição (HNSC), Hospital Distrital Gonzaga Mota Barra do Ceará (Gonzaguinha Barra Do Ceará), Hospital Distrital Gonzaga Mota Messejana (Gonzaguinha Messejana).

 

Dúvidas, Críticas e Sugestões? Fale com a gente

Tags

Os cookies nos ajudam a administrar este site. Ao usar nosso site, você concorda com nosso uso de cookies. Política de privacidade

Aceitar