Logo O POVO+

Jornalismo, cultura e histórias em um só multistreaming.

Participamos do

Hias transfere 30 crianças após aumento de 128% em atendimentos de urgência

Hospital Infantil Albert Sabin (Hias) teve aumento de 128% na procura por atendimento no Centro de Emergência Pediátrica da unidade, com crianças e adolescentes apresentando sintomas respiratórios

Desde sexta-feira, 29, 30 crianças e adolescentes foram transferidos do Hospital Infantil Albert Sabin (Hias) para o Hospital da Mulher, em Fortaleza, em virtude do aumento de 128% na procura por atendimento no Centro de Emergência Pediátrica do Hias. A alta foi percebida quando feita uma comparação de março deste ano com o mesmo período de 2021.

A medida foi tomada para garantir que todo o público que procurasse atendimento emergencial na unidade fosse atendido, informou o Hias. Além das avaliações, a unidade também forneceu insumos, infraestrutura e mobilização de equipamentos de atendimento para o Hospital da Mulher. A grande maioria dos transferidos apresentou sintomas gripais respiratórios.

Seja assinante O POVO+

Tenha acesso a todos os conteúdos exclusivos, colunistas, acessos ilimitados e descontos em lojas, farmácias e muito mais.

Assine

A coordenadora médica do Centro de Emergência do Hias, Dra. Liduína Jalles, explica que os pacientes que procuram atendimento na unidade apresentam tosse e desconforto respiratório, onde a maioria precisa de oxigênio. "O que a gente tem observado este ano é um aumento muito grande de crianças menores de dois anos com bronquiolite viral aguda", pontua.

Os sintomas, segundo a coordenadora, se devem à época de sazonalidade, que afeta crianças em todos os anos, apresentando um aumento de casos neste ano. Além das infecções respiratórias, a unidade tem recebido pacientes com gastroenterite aguda, demanda que também tem sido frequente. Em casos de sintomas gripais leves, a recomendação é que postos de saúde sejam procurados.

"Quando essas crianças pioram, com dificuldade para se alimentar pelo desconforto respiratório e fazem esforço para respirar, aí, sim, tem que procurar as emergências. Nesse caso, a gente avalia como está a saturação, que também começa a cair, sendo um fator complicador. Além disso, foi observado também o aumento de pneumonias", explica a coordenadora. 

Outros 30 leitos para crianças e adolescentes estão sendo providenciados, totalizando em 60 leitos de enfermaria pediátrica no Hospital da Mulher. As transferências continuam sendo realizadas também para as unidades de retaguarda, correspondentes ao Hospital Geral Dr. Waldemar de Alcântara, Hospital Infantil Filantrópico (Sopai) e Hospital Infantil de Fortaleza.

Dúvidas, Críticas e Sugestões? Fale com a gente

Tags

Os cookies nos ajudam a administrar este site. Ao usar nosso site, você concorda com nosso uso de cookies. Política de privacidade

Aceitar