Participamos do

Vacinação contra gripe encerra com mais de 820 mil doses aplicadas em Fortaleza

No total, foram aplicadas 822.484 mil doses na Capital cearense em 2021, sendo dividida em três fases principais. Doses remanescentes foram utilizadas para vacinação da população em geral
18:21 | Jan. 04, 2022
Autor Marília Serpa
Foto do autor
Marília Serpa Autor
Ver perfil do autor
Tipo Notícia

A campanha de vacinação de 2021 contra a gripe, que protege contra Influenza A (H1N1), H3N2 e Influenza B, foi finalizada pela Prefeitura de Fortaleza nessa segunda-feira, 3. No total, foram aplicadas 822.484 mil doses, sendo o processo dividido em três fases, contemplando fortalezenses a partir de seis meses de vida. Doses remanescentes foram utilizadas para imunização do público em geral.

LEIA MAIS | Influenza H3N2: veja o que se sabe sobre o vírus e como se prevenir da doença

A campanha teve início no dia 12 de abril de 2021, contemplando inicialmente grupos prioritários, onde 84,4% do público-alvo foi vacinado. O uso de doses remanescentes para o público em geral foi uma recomendação do Ministério da Saúde, em 12 de junho, onde os lotes ficaram disponíveis até o encerramento do estoque.

Seja assinante O POVO+

Tenha acesso a todos os conteúdos exclusivos, colunistas, acessos ilimitados e descontos em lojas, farmácias e muito mais.

Assine

Apesar de proteger contra a Influenza A (H1N1), H3N2 e Influenza B, os imunizantes não garantem proteção contra a variante Darwin, do vírus H3N2. Ainda, a Prefeitura aguarda determinações e orientações federais e estaduais sobre o início da Campanha Contra a Gripe de 2022, assim como o envio de lotes de imunobiológico para operacionalização.

LEIA MAIS | Influenza A H3N2: Ceará registra 18 crianças entre 0 e 9 anos com a gripe

 

Fases da campanha em 2021

1ª fase: crianças (6 meses de idade a menores de 6 anos), gestantes, puérperas e trabalhadores da saúde;

2ª fase: idosos a partir de 60 anos e professores;

3ª fase: portadores de comorbidades, pessoas com deficiência permanente, caminhoneiros, trabalhadores de transporte coletivo, rodoviário, urbano e de longo curso, trabalhadores portuários, forças de segurança e salvamento, forças armadas, funcionários do sistema de privação de liberdade, população privada de liberdade e adolescentes e jovens em medidas socioeducativas;

Doses remanescentes: público em geral.

 

Aumento de casos de síndrome gripal

Fortaleza registrou grande aumento no número de síndromes gripais no final de 2021, onde foram registrados mais de mil atendimentos de pessoas com sintomas da doença por dia em 12 Unidades de Pronto Atendimento (UPAs) da Capital, caracterizando uma epidemia de gripe.

LEIA TAMBÉM | Em duas semanas, Unimed Fortaleza tem aumento de 543% de pacientes com síndromes gripais

No mês de dezembro, mais da metade dos atendimentos nas unidades (51,75%) foram de casos na classificação de risco verde (pouco grave). Outra parcela, de 27,09% dos casos, foram atendimentos da categoria amarela (urgente), seguido de 11,93% laranja (muito urgente) e 0,17% azul (não urgente).

Ainda, em 7,64% dos atendimentos, não constam classificação de risco. Conforme a Secretaria da Saúde do Estado (Sesa), as prioridades são atribuídas a uma cor que define um tempo resposta, ideal para primeira avaliação médica.

LEIA MAIS | Aumento de síndromes gripais causa falta de testes para Influenza nas farmácias de Fortaleza

O POVO entrou em contato com a assessoria de comunicação da Secretaria Municipal da Saúde de Fortaleza (SMS) a fim de saber se a procura pelo imunizante contra a gripe teve um aumento no final de 2021. Foi informado que não foi realizado um balanço para estipular a quantidade de pessoas vacinadas em cada mês. A informação concreta é que 84,4% do público-alvo da campanha foi imunizado.

Conteúdo sempre disponível e acessos ilimitados. Assine O POVO+ clicando aqui

Dúvidas, Críticas e Sugestões? Fale com a gente

Tags