Participamos do

Justiça cearense autoriza soltura de DJ Ivis, preso há três meses

Ele é investigado pelo crime de lesão corporal contra a ex-esposa, a arquiteta Pamella Holanda
20:05 | Out. 22, 2021
Autor Leonardo Maia
Foto do autor
Leonardo Maia Estagiário
Ver perfil do autor
Tipo Notícia

Após pouco mais de três meses preso, Iverson de Souza Araújo, conhecido como DJ Ivis, teve pedido de liberdade aceito pela Justiça cearense. De acordo com o Tribunal de Justiça do Ceará (TJCE), a Vara Única de Eusébio proferiu decisão de soltura do músico. Por volta das 21h20min desta sexta-feira, 22, o alvará de soltura foi oficialmente expedido e encaminhado para a unidade prisional.

O cantor deixou o local por volta de 22h20. Ele estava preso no Centro de Triagem e Observação Criminológica (CTOC), em Aquiraz, na Região Metropolitana de Fortaleza (RMF). A saída foi confirmada pela assessoria de imprensa da Secretaria de Administração Penitenciária (SAP). 

O artista está preso preventivamente desde o dia 14 julho, três dias após a divulgação dos vídeos em que ele aparecia agredindo sua ex-esposa, a arquiteta Pamella Holanda.

Seja assinante O POVO+

Tenha acesso a todos os conteúdos exclusivos, colunistas, acessos ilimitados e descontos em lojas, farmácias e muito mais.

Assine

Após conclusão do inquérito policial que investiga as agressões, no fim de julho, o músico foi indiciado pelos crimes de lesão corporal, ameaça e injúria no âmbito da violência doméstica. No caso da primeira infração, a pena pode variar de três meses a um ano de detenção. Já em relação às outras duas, a legislação fixa detenção de um a seis meses ou multa.

LEIA TAMBÉM | Latino refaz clipe com DJ Ivis e tem prejuízo de R$300 mil

+ Veja linha do tempo entre os vídeos com as agressões e a prisão do músico

Ainda em julho, Ivis teve habeas corpus negado pelo Supremo Tribunal Federal (STF). O pedido foi rejeitado pelo ministro Gilmar Mendes, que alegou, entre outros motivos, a falta de apreciação do habeas corpus pelo Superior Tribunal de Justiça (STJ), o que caracterizaria, na visão de Mendes, uma supressão de instância.

Conforme argumentação dos advogados de defesa do músico, ele não foi indiciado pelo crime de tentativa de homicídio e os outros delitos devem resultar em pena de detenção e não de reclusão. “Em nenhum momento Iverson descumpriu as medidas protetivas e apresentou risco ao andamento do processo criminal”, considerou a defesa.

Após a divulgação do vídeo com as agressões, o caso ganhou repercussão, com diversos artistas e políticos demonstrando apoio a Pamella, o contrato de Ivis com a produtora Vybbe, de Xand Avião, sendo rescindido, e rádios e plataformas de streaming removendo o músico de suas programações. Xand e Zé Felipe também apagaram as parcerias com DJ Ivis do Youtube, Deezer e Spotify.

Atualizada às 23h31min

Dúvidas, Críticas e Sugestões? Fale com a gente

Tags