PUBLICIDADE
Fortaleza
NOTÍCIA

MPCE abre processo para investigar demolição do Casarão dos Gondim

O prédio histórico, localizado na rua General Sampaio, no Centro de Fortaleza, foi demolido ilegalmente durante o último final de semana

Gabriela Almeida
21:13 | 19/07/2021
Casarão localizado na rua General Sampaio, no Centro de Fortaleza, estava em processo de tombamento (Foto: Thais Mesquita)
Casarão localizado na rua General Sampaio, no Centro de Fortaleza, estava em processo de tombamento (Foto: Thais Mesquita)

Logo após receber uma denúncia do Conselho de Arquitetura e Urbanismo do Ceará (CAU/CE), nesta segunda-feira, 19, o Ministério Público do Ceará (MPCE) deu abertura a um processo para investigar e tomar medidas a respeito da demolição do Casarão dos Gondim. O prédio histórico, localizado na rua General Sampaio, no Centro de Fortaleza, foi demolido ilegalmente durante o último final de semana.

A estrutura foi construída por Arlindo Granjeiro Gondim, em 1912, e completaria 110 anos em 2022. O prédio centenário abrigou por anos a família de seu construtor e estava em tombamento provisório, o que significa que já não poderia sofrer mudanças estruturais. Nesta manhã, contudo, uma equipe da CAU se deparou com o imóvel demolido, estando a antiga e histórica construção reduzida a entulhos.

Os fiscais encaminharam uma denúncia ao MPCE e logo depois o órgão abriu um processo, distribuindo ele para a 136ª Promotoria de Justiça da Capital - onde será analisado. A demolição da estrutura já havia sido notada na última sexta-feira, 16, e no dia posterior a Secretaria Municipal da Cultura de Fortaleza (Secultfor) tomou conhecimento do ato, afirmando à época que a demolição era ilegal.

LEIA MAIS | Vacinômetro: Ceará tem 15,66% da população vacinada contra a Covid-19

Governo Federal vai repassar R$ 46,9 milhões para o Cinturão das Águas do Ceará

"É lamentável, mais um descaso com o patrimônio histórico cultural. Eu costumo dizer que o fortalezense vai acabar ficando desmemoriado, porque o patrimônio histórico é nossa referência. Nós vamos acabar sem saber quem somos no futuro", destaca Ann Celly Sampaio, secretária-executiva das Promotorias de Justiça do Meio Ambiente e Planejamento Urbano de Fortaleza, e quem recebeu a denúncia.

Agora o caso será averiguado por uma promotora, que deve tomar medidas a respeito. "É algo criminoso, feito na calada de um fim de semana, de modo que qualquer tomada de decisão fica muito mais difícil. A ganancia pelo dinheiro, pelo lucro, tá destruindo a nossa história", completa ainda Celly.