PUBLICIDADE
Fortaleza
Noticia

Conselho de Arquitetura e Urbanismo encaminha denúncia ao MPCE por demolição de Casarão

Fiscais do CAU/CE estiveram presentes, na manhã desta segunda-feira, 19, no local onde ocorreu a demolição do prédio

15:39 | 19/07/2021
Casarão localizado na rua General Sampaio, no Centro de Fortaleza, estava em processo de tombamento (Foto: Thais Mesquita)
Casarão localizado na rua General Sampaio, no Centro de Fortaleza, estava em processo de tombamento (Foto: Thais Mesquita)

Apenas entulho restou da antiga estrutura do Casarão dos Gondim, localizado na rua General Sampaio, próximo ao cruzamento com a Duque de Caxias, no Centro de Fortaleza. O prédio, construído em 1912, foi ao chão durante o último fim de semana. Um velho cadeado enferrujado ainda está no portão, que já não guarda mais nada. Após visita ao local nesta segunda-feira, 19, fiscais do Conselho de Arquitetura e Urbanismo do Ceará (CAU/CE) afirmaram que o Conselho encaminhou denúncia ao Ministério Público do Estado sobre a demolição. O imóvel passava por um processo de tombamento provisório.

De acordo com a fiscal Sarah Bastos, foi constatado que a obra possuía uma engenheira civil responsável, assim como a autorização de demolição por parte da Prefeitura de Fortaleza. Os destroços do casarão dividem espaço com os carros que ocupam o estacionamento localizado no mesmo terreno em que estava o prédio histórico. As paredes coloridas e alguns azulejos, que sinalizam o antigo local do banheiro do casarão, são os únicos vestígios que restam.

O casarão, que estava próximo de completar 110 anos, em 2022, foi construído por Arlindo Granjeiro Gondim. Por anos, a estrutura foi utilizada pela família Gondim, onde se mantinha a tradição de reunir os familiares em torno de um piano que era conduzido pela compositora e pianista Maria de Lourdes Hermes Gondim.

Tombamento provisório

A estrutura estava em processo de tombamento provisório e já não poderia sofrer alterações estruturais. Desde 2017, a estrutura já não pertencia à família Gondim, mas a um comerciante que adquiriu o terreno.

O casarão mantinha a sua estrutura preservada tal como fora projetado de 1912, um símbolo histórico no Centro da capital cearense, que, em apenas três dias, viu a sua história centenária ruir.

Ainda no último sábado, 17, a Secretaria Municipal da Cultura de Fortaleza (Secultfor) informou que a instrução do tombamento da edificação já estava concluída e com aprovação do Conselho Municipal de Proteção do Patrimônio Histórico e Cultural de Fortaleza (Comphic).

O órgão destacou, ainda, que um ofício seria enviado nesta segunda-feira, 19, para a Agência de Fiscalização de Fortaleza (Agefis), órgão responsável pela fiscalização do Patrimônio Histórico-Cultural da capital cearense, para que sejam realizadas as devidas averiguações e aplicação de sanções.

A Agefis informou que o processo de averiguações está em andamento, e que ainda não possui resultados sobre a análise do caso.

LEIA TAMBÉM| Políticos cearenses prestam solidariedade a padre Lino após perseguição