PUBLICIDADE
Fortaleza
NOTÍCIA

Justiça nega liberdade a mulheres acusadas de três homicídios no Vila do Mar

Outras três pessoas ficaram feridas. Um dos corpos foi deixado em frente a um centro terapêutico. Os homicídios ocorreram em uma festa clandestina de Carnaval

18:11 | 04/04/2021
BOMBEIROS utilizaram cães farejadores nas buscas de um corpo  (Foto: FABIO LIMA)
BOMBEIROS utilizaram cães farejadores nas buscas de um corpo (Foto: FABIO LIMA)

O Tribunal de Justiça do Ceará, por meio da 1ª Vara do Júri de Fortaleza, negou o pedido de liberdade provisória e de prisão domiciliar a duas mulheres acusadas de matar três pessoas e ferirem outras três, em uma festa clandestina ocorrida em fevereiro deste ano, no período do Carnaval, no Vila do Mar, em Fortaleza. Os pedidos da defesa de Isabelly de Souza Silva e Joicilane Nascimento Ferreira foram indeferidos pela juíza da 1ª Vara, Danielle Pontes de Arruda Pinheiro, no dia 23 de março deste ano. A decisão foi publicada no Diário da Justiça Eletrônico da última quarta-feira, 31 de março.

Nos autos, a juíza afirma que, após análise dos autos, a prisão cautelar das duas mulheres foi decretada com base na "garantia da ordem pública, considerando a gravidade dos fatos imputados". A decisão da magistrada se baseou considerando a gravidade da ação das acusadas, que se "aliaram em comunhão de vontades e designos para matar Rebeca Nicolle de Lima Silva, Bruno Evangelista dos Santos e Mateus Evangelista dos Santos, com o uso de arma de fogo e de espancamento e tentativa de homicídio contra outras duas pessoas. A juíza considerou, ainda, o depoimento das duas pessoas sobreviventes.

LEIA MAIS| Motorista de aplicativo é preso suspeito de levar vítimas ao local do crime no Vila do Mar

No dia seguinte ao crime e após corpos terem sido encontrados, cães farejadores realizaram busca de corpo desaparecido no Vila do Mar, mas nada foi encontrado. Ainda de acordo com a juíza, na decisão, o decreto de prisão preventiva das acusadas se fundamenta na gravidade da conduta e na periculosidade que elas evidenciaram. "Eventuais condições pessoais favoráveis como primariedade, bons antecedentes, residência fixa e profissão definida não se afiguram suficientes, por si sós, para concessão de liberdade, se presentes os requisitos da prisão", informa, também nos autos.

A 1ª Vara do Júri de Fortaleza acolheu denúncia do Ministério Público do Ceará (MPCE) contra cinco acusados de participarem da tentativa de chacina no Vila do Mar. Viraram réus por três homicídios, três tentativas de homicídio e organização criminosa: Isabelly Silva, Joicilane Ferreira, Ewerton Martins da Silva, Nailson Andrade dos Santos e Antônio Mariano Neto.