Participamos do

Governo do Ceará e Neoenergia assinam memorando para transporte público movido a hidrogênio verde

Assinatura do documento foi transmitida pelo governador Camilo Santana nas redes sociais
16:56 | Set. 20, 2021
Autor Redação O POVO
Foto do autor
Redação O POVO Autor
Ver perfil do autor
Tipo Notícia

Atualizado às 21h40 do dia 20 de setembro de 2021

O governo do Ceará assinou mais um memorando de entendimento para instalação de um projeto de transporte público movido a hidrogênio verde. A parceira neste empreendimento é a Neoenergia, empresa controlada pelo grupo espanhol Iberdrola.

No projeto “Corredor Verde”, Fortaleza será a primeira cidade no Brasil a utilizar hidrogênio verde em mobilidade urbana. O projeto piloto será feito em Fortaleza, e a meta é chegar a 18 pontos de abastecimento de energia limpa. Depois o projeto será ampliado para 70 municípios, seis capitais nordestinas, atendendo um total de 66% dos estados do Nordeste para beneficiar até 37 milhões de pessoas, segundo comunicado do governo do Estado.

Seja assinante O POVO+

Tenha acesso a todos os conteúdos exclusivos, colunistas, acessos ilimitados e descontos em lojas, farmácias e muito mais.

Assine

Na companhia de secretários e representantes da empresa, o governador Camilo Santana assinou nesta segunda-feira, 20, o memorando. "Eles (Iberdrola) já estão construindo a sua usina de hidrogênio verde lá na Espanha, e por isso estamos assinando agora o memorando, muito felizes por essa iniciativa aqui no Ceará, e colocamos aqui toda a equipe do governo à disposição para poder construir esse projeto”, explicou Camilo Santana.


"Estamos ansiosos e colocamos toda a equipe do governo para que a gente possa construir esse projeto o mais rápido possível no Estado do Ceará", declarou Camilo.

A primeira a manifestar interesse e que será uma das âncoras do hub de hidrogênio verde projetado pelo Estado do Ceará é a australiana Enegix Energy, que projeta investimento de US$ 5,4 bilhões no Complexo.

Outra empresa que também já possui memorando assinado é a Qair do Brasil, cujo investimento soma US$ 6,8 bilhões na planta de hidrogênio verde e também em um parque eólico offshore, onde as torres são instaladas no mar.

Já a EDP anunciou o investimento de R$ 41,9 milhões na construção de uma planta piloto de hidrogênio verde no Pecém. Com aplicação já definida dentro dos planos da empresa portuguesa, esta será a primeira em operação no Estado, se o cronograma seguir o prazo de operação em dezembro de 2022.

Assinatura do documento foi transmitida por Camilo Santana nas redes sociais.

Confira a transmissão feita pelo governador:

O Economia na Real também tratou sobre o tema. Veja as análises sobre o projeto do hidrogênio verde no Ceará:

Dúvidas, Críticas e Sugestões? Fale com a gente

Tags