PUBLICIDADE
Economia
NOTÍCIA

Hub de hidrogênio verde terá investimento de US$ 5,4 bilhões de dólares

Em cerimônia virtual transmitida nas redes sociais, o governador Camilo Santana, assinou protocolo de intenções com a empresa australiana Enegix Energy para o empreendimento. Também firmou acordos com Federação das Indústrias (Fiec), Complexo do Pecém e Universidade Federal do Ceará (UFC) para estruturar nos próximos anos uma cadeia produtiva do hidrogênio

Irna Cavalcante
11:54 | 19/02/2021
O hub de hidrogênio verde ficará localizado no Complexo do Pecém  (Foto: Complexo do Pecém / Divulgação)
O hub de hidrogênio verde ficará localizado no Complexo do Pecém (Foto: Complexo do Pecém / Divulgação)

O governador Camilo Santana assinou nesta sexta-feira, 19, protocolo de intenções com a empresa australiana Enegix Energy para montar uma planta de hidrogênio verde no Complexo do Pecém. O investimento é na ordem de US$ 5,4 bilhões de dólares. Também firmou parceria com o próprio porto, a Federação das Indústrias do Ceará (Fiec) e a Universidade Federal do Ceará (UFC) para viabilizar uma estruturação da cadeia produtiva do setor no Estado. A ideia é que, a partir desta planta, seja montando no Estado um hub da tecnologia com capacidade de abastecer a indústria local e exportar o produto para vários outros países. 

O hidrogênio, apesar de ser o elemento abundante na natureza, não é encontrado em seu estado puro. Ele é considerado verde quando o seu processo de separação é todo feito a partir de fontes de energias renováveis.

No caso do projeto cearense, deve ser montado no Complexo do Pecém uma planta de eletrólise que vai usar como insumos a energia eólica e solar. O método utiliza corrente elétrica para separar o hidrogênio do oxigênio que existe na água.

"É a única energia verde que pode ser transportada. E com o potencial que temos no Estado, podemos transportar essa tecnologia para o mundo inteiro”, afirmou o governador Camilo Santana.

Ele destacou que o potencial eólico e solar do Ceará, localização geográfica privilegiada e a estrutura logística do Complexo do Pecém, colocam o Estado em condição diferenciada neste mercado. “O objetivo é transformar o Ceará em um grande hub de hidrogênio verde. Nós estamos aqui dando o pontapé inicial para um momento que considero histórico para o Ceará".

Na ocasião, também foi firmado parceria para criação de um grupo de trabalho com o Complexo do Pecém, a Federação das Indústrias do Ceará (Fiec) e a Universidade Federal do Ceará (UFC) para viabilizar a estruturação da cadeia produtiva do hidrogênio no Estado.

Confira reportagem especial publicada no OP+ que mostra o potencial deste negócio para o Ceará

O presidente da Fiec, Ricardo Cavalcante, destacou que o hidrogênio verde é uma realidade no mundo desde 2013. E que, em muitos países, toda a base industrial já está sendo modificada para operar com a tecnologia. “E o Ceará com toda essa capacidade pode se tornar grande produtor mundial de hidrogênio verde. É um momento histórico. Não tenho dúvidas de que isso poderá mudar sim o perfil socioeconômico do Estado”.

O reitor da UFC, Cândido Albuquerque, ressaltou que as pesquisas que hoje já são realizadas na Universidade têm muito a agregar para o desenvolvimento do projeto do hub no Estado. “Este hub significa que, ao contrário de esperar que outros países produzam para que nós importemos, estamos criando, inovando e empreendendo. Isso é fundamental para alavancar a economia do Estado".

Com o hub, o secretário de desenvolvimento econômico e trabalho (Sedet), Maia Junior, ressaltou que o Estado pode dar um salto também na geração de empregos e renda de maior valor agregado. “É uma nova economia, limpa, descarbonizada, em linha com o meio ambiente e os cenários mundiais, e que vai proporcionar grandes riquezas e oportunidades para o povo cearense”.