Participamos do

Eclipse lunar parcial de mais de 3 horas acontece nesta sexta; veja imagens

A madrugada desta sexta-feira foi marcada por um fenômeno astronômico: um eclipse lunar parcial, que esconderá 97% do satélite natural
09:33 | Nov. 19, 2021
Autor Redação O POVO
Foto do autor
Redação O POVO Autor
Ver perfil do autor
Tipo Notícia

A madrugada desta sexta-feira, 19, foi marcada por um fenômeno astronômico: um eclipse lunar parcial, que escondeu 97% do satélite natural. O evento é o mais longo do século e foi visto a olho nu na Austrália, nas Américas do Norte e do Sul e em parte da Ásia e Europa.

Segundo a agência espacial americana Nasa, foi o eclipse lunar parcial mais longo em 580 anos. O fenômeno durou 3 horas, 28 minutos e 23 segundos.

Veja imagens do momento ao redor do mundo:

Seja assinante O POVO+

Tenha acesso a todos os conteúdos exclusivos, colunistas, acessos ilimitados e descontos em lojas, farmácias e muito mais.

Assine

A previsão da Nasa é de que um eclipse lunar parcial tão longo só aconteceu em 18 de fevereiro de 1440 (3 horas, 28 minutos e 46 segundos) e acontecerá novamente em 8 de fevereiro de 2669 (3 horas, 30 minutos e 2 segundos). Mas um eclipse total é esperado em menos de um ano, em 8 de novembro de 2022, com duração de 3 horas e 40 minutos.

Por que ocorrem os eclipses?

 

Os eclipses lunares ocorrem quando a Lua, o Sol e a Terra se alinham, bloqueando os raios solares que costumam chegar à superfície do satélite natural do planeta. Isso gera uma sombra (chamada umbra)que encobre a Lua. Existem três tipos de eclipses, em ordem crescente de "desaparecimento" da lua: penumbral, parcial e total.

Por que tão longo?

 

A Nasa explica que este é um longo eclipse por duas razões principais: 1) a velocidade orbital da Lua e 2) a quase totalidade do eclipse.

A órbita da Lua em torno da Terra não é um círculo perfeito e a Terra está fora do centro dentro da órbita, então às vezes a Lua está mais perto da Terra e às vezes está mais longe. Esta mudança na distância afeta a velocidade orbital da Lua. Mais perto da Terra, a Lua se move mais rápido; e quanto mais longe, ela viaja mais devagar. Hoje a Lua está perto de seu ponto mais distante em sua órbita ao redor da Terra e, portanto, se move lentamente através da sombra da Terra.

Em segundo lugar, uma vez que este eclipse é quase total, a Lua passa mais tempo na umbra da Terra do que em um eclipse "mais parcial".

Dúvidas, Críticas e Sugestões? Fale com a gente

Tags