Participamos do

Eclipse lunar ao vivo: como assistir ao fenômeno hoje, 19 de novembro

A madrugada desta sexta-feira (19) será marcada por um fenômeno astronômico: um eclipse lunar parcial, que esconderá 97% do satélite natural
03:33 | Nov. 19, 2021
Autor Jornal do Commercio
Foto do autor
Jornal do Commercio Autor
Ver perfil do autor
Tipo Notícia

A madrugada desta sexta-feira (19) será marcada por um fenômeno astronômico: um eclipse lunar parcial, que esconderá 97% do satélite natural. O evento será o mais longo do século e poderá ser visto a olho nu na Austrália, nas Américas do Norte e do Sul e em parte da Ásia e Europa.

Além disso, o canal da plataforma "Time and Date" no YouTube irá transmitir ao vivo o eclipse. O horário da transmissão da live varia de acordo com a região do usuário. No Brasil, a exibição na rede social de vídeos terá início por volta das 4h

Seja assinante O POVO+

Tenha acesso a todos os conteúdos exclusivos, colunistas, acessos ilimitados e descontos em lojas, farmácias e muito mais.

Assine

Quando o assunto é ver o fenômeno a olho nu no País, será possível ver cerca de 2 horas do fenômeno. Os horários irão variar de acordo com a localização de cada estado. Quanto mais ao Oeste do país, mais tempo terá o evento. A observação também dependerá das condições climáticas das regiões.

Por que ocorrem os eclipses?

Os eclipses lunares ocorrem quando a Lua, o Sol e a Terra se alinham brevemente, bloqueando os raios solares que costumam chegar à superfície do satélite natural do planeta. Isso gera uma sombra que encobre a Lua pouco a pouco. Na madrugada do dia 19, a sombra terrestre esconderá 97% da Lua Cheia, por isso o fenômeno é chamado de "eclipse parcial".

Também é possível que o satélite natural fique vermelho, fenômeno conhecido como "Lua de Sangue". A tonalidade do vermelho dependerá da poluição, das nuvens e detritos na atmosfera da Terra. Quando um eclipse total ocorre logo após uma erupção vulcânica, por exemplo, as partículas na atmosfera farão a Lua parecer mais escura do que o normal.

Do Jornal do Commercio para a Rede Nordeste

Dúvidas, Críticas e Sugestões? Fale com a gente

Tags