PUBLICIDADE
PREVENÇÃO

Por risco de rompimento de barragem, mais famílias são evacuadas em Ubajara

Nesta terça-feira, 19, haverá abertura do sangradouro da barragem do Granjeiro

19:11 | 18/03/2019
Movimento de veículos nas proximidades das comunidades (Foto: Aurélio Alves/O POVO)
Movimento de veículos nas proximidades das comunidades (Foto: Aurélio Alves/O POVO)

A secretaria de Ação Social de Ubajara, município da região Norte do Ceará, realiza na noite desta segunda-feira, 18, a remoção preventiva de dezenas de famílias que moram ao longo do rio Jaburu, balneário do Boi Morto e sítio Trizidela. Há risco de rompimento da barragem do Granjeiro e nesta terça-feira, 19, haverá abertura do sangradouro.

Listen to "#33 - Ubajara: barragem em risco de rompimento" on Spreaker.

De acordo com o secretário de Ação Social de Ubajara, Jairo Araújo, voluntários, servidores, ônibus de transporte e ambulância participam da operação. Estão sendo removidas cerca de 30% das famílias restantes na região possivelmente afetada.

Há relutância de alguns moradores em deixar as residências. Contudo, até a manhã deste domingo, 17, mais de 250 famílias já foram retiradas, conforme o Corpo de Bombeiros do Estado. O número representa aproximadamente a metade das famílias habitantes da área.

Segundo a corporação, "neste momento, está sendo feita uma redução controlada do nível açude, que se encontra bastante elevado. Por precaução, as comunidades ribeirinhas estão sendo realocadas temporariamente, até o fim desta etapa do processo".

O maquinário pesado em uma das margens do Granjeiro tenta solucionar às pressas o risco de rompimento. A estimativa da Defesa Civil do Estado é de que, em caso de ruptura, mais de 500 famílias ribeirinhas seriam atingidas. Entre as ações de contenção está o fechamento de fenda na parede do reservatório, a limpeza do vertedouro e a construção de novo sangradouro. 

"Quem não saiu de casa ainda, por favor, saia", pediu prefeito de Ubajara

Famílias

Pelo menos 40 pessoas foram removidas desde a noite do último sábado, 16, para o Santuário Mãe Rainha, mantido pela Diocese de Tianguá. Outras famílias buscaram a casa de parentes.  

Morador da localidade da Cachoeira do Boi Morto, Ednilson Pereira, 25, é um dos que optaram por buscar abrigo no santuário, chegando ao local na noite de sábado, 16, com a esposa gestante. “Espero que dê tudo certo. Vamos pedir força a Deus e que voltemos logo pra nossa casa em paz”, projetou.

Antonio Gomes, 41, também está abrigado. Ele chegou ao santuário no fim da noite de sábado, com a esposa e os filhos. “Eu tomei a decisão em cima da hora, por caso de segurança. Fiquei muito preocupado em dar tranquilidade pra minha família. E aqui a gente tá sendo bem acompanhado”, conta.

A Prefeitura de Ubajara afirma que tem disponibilizado material de higiene pessoal para os moradores abrigados no santuário, além de alimentação e assistência de saúde. O trabalho de realojamento das famílias "é de caráter preventivo", informaram os Bombeiros.

Em novembro de 2018, relatório da Agência Nacional das Águas (ANA), referente a 2017, indicava que outro reservatório na região da Ibiapaba apresentava danificações. O Jaburu I, entre Tianguá e Ubajara, estava com infiltração e erosão.

Com informações da repórter Eduarda Talicy, enviada a Ubajara

O Povo