Logo O POVO+

Jornalismo, cultura e histórias em um só multistreaming.

Participamos do

Servidores do Detran de Pentecoste são afastados por denúncia de corrupção

Eles são suspeitos de cobrar valores indevidos a clientes na venda de placas de veículos

A Justiça de Pentecoste atendeu o pedido do Ministério Público do Estado do Ceará (MPCE) e determinou o afastamento cautelar de dois servidores que desempenham funções públicas no Departamento Estadual de Trânsito (Detran) no município, localizado a 95,8 km de distância de Fortaleza. As duas pessoas afastadas dos cargos são investigadas por corrupção passiva em procedimento de investigação criminal.

A apuração do MPCE revelou que os dois servidores estariam obtendo vantagens financeiras de consumidores atendidos no Detran de Pentecoste. Os dois cobravam valores indevidos dos clientes na venda de placas de veículos.

Segundo o promotor de Justiça Jairo Pequeno Neto, titular da Promotoria de Justiça de Pentecoste, a investigação começou após denúncias dos cidadãos locais. "A pessoa procurava o Detran para efetuar a troca da placa por outra placa padrão Mercosul. Em vez de eles entregarem os boletos de pagamentos das taxas cobradas, os dois solicitavam diretamente quantias aos consumidores, que eram pagas em espécie".

Seja assinante O POVO+

Tenha acesso a todos os conteúdos exclusivos, colunistas, acessos ilimitados e descontos em lojas, farmácias e muito mais.

Assine

Nesse momento, os funcionários públicos cobravam o valor da taxa de emplacamento do veículo acrescido de quantia superfaturada referente ao valor da placa, não comercializada pelo órgão. Após os pagamentos, os dois compravam placas de veículos em empresas licenciadas por preço menor do cobrado aos consumidores, e se apropriavam da diferença do valor pago. Tudo no exercício da função pública, lucrando com a venda ilegal superfatura desses produtos.

O promotor Jairo Pequeno Neto contou que as denúncias começaram a serem feitas ao MPCE há três meses. Os servidores executavam esses atos ilícitos diariamente, lucrando cerca de R$ 100,00 por placa. A decisão foi deferida pelo juiz de Direito da Vara Única da Comarca, Luiz Guilherme Silva, na última quinta-feira, 28.

Promotor de Justiça Jairo Pequeno Neto, titular da Promotoria de Justiça de Pentecoste.
Promotor de Justiça Jairo Pequeno Neto, titular da Promotoria de Justiça de Pentecoste. (Foto: Arquivo Pessoal)

 

Atualizada às 17h30min

Dúvidas, Críticas e Sugestões? Fale com a gente

Tags

Os cookies nos ajudam a administrar este site. Ao usar nosso site, você concorda com nosso uso de cookies. Política de privacidade

Aceitar