Participamos do

Crato anuncia Patrulha Maria da Penha para combater violência contra mulheres

Programa deve iniciar operação ainda neste mês com dedicação exclusiva de 16 guardas municipais, que atuarão 24h por dia; iniciativa similar já existe em Juazeiro do Norte
06:08 | Out. 22, 2021
Autor Luciano Cesário
Foto do autor
Luciano Cesário Autor
Ver perfil do autor
Tipo Notícia

O município do Crato, na região do Cariri, deve implantar até o fim deste mês uma nova política pública para garantir proteção a mulheres vítimas de violência física e psicológica. Trata-se do Programa Patrulha Maria da Penha, iniciativa já em funcionamento na cidade vizinha, Juazeiro do Norte. A ação institucionaliza patrulha especializada 24h por dia, através de agentes da Guarda Municipal, para prevenir e combater violência de gênero.

Antes do projeto sair do papel, a Prefeitura promove capacitação dos profissionais que serão designados a participar do serviço. A ação terá dedicação exclusiva de 16 guardas municipais. Eles participam, desde a última segunda-feira, 18, do Curso “Operador Guardião da Mulher”, que segue até esta sexta-feira, 22.

Seja assinante O POVO+

Tenha acesso a todos os conteúdos exclusivos, colunistas, acessos ilimitados e descontos em lojas, farmácias e muito mais.

Assine

Ministrado nas dependências do Tiro de Guerra, o curso tem metodologia organizada a partir de textos reflexivos, debates, análises de casos, interações tecnológicas e e avaliações individuais e em grupos. Os participantes também assistiram a aulas sobre a legislação Federal, Estadual e Municipal referente à violência contra a mulher. Foram abordados, ainda, aspectos específicos sobre medidas protetivas; tipologias de violência; e perfil dos agressores.

O secretário de Segurança Pública do Crato, Coronel Jarbas Freire, afirmou em entrevista ao jornalista Farias Júnior, da Rádio CBN Cariri, que o serviço de patrulhamento será ancorado em duas frentes principais: prevenção e repressão. “Nós agiremos de forma preventiva, através da fiscalização e do acompanhamento de medidas protetivas, e para isso vamos ter todo um contato com o Judiciário, Ministério Público e com os órgãos de defesa da mulher. Mas atuaremos também em medidas emergenciais, de forma repressiva, se for necessário, para garantir a proteção imediata da integridade da mulher que estiver sendo ameaçada”, detalhou Freire, responsável pela coordenação do programa.

A implantação do projeto envolve toda a rede de proteção às mulheres do município. Os debates pré-início de operação contam com o participação do Centro de Referência da Mulher (CRM); OAB Subsecção Crato; Conselho Municipal dos Direitos da Mulher Cratense (CMDMC); Secretaria Municipal de Desenvolvimento Social (SMDS); e do Núcleo de Enfrentamento à Violência contra a Mulher (NUDEM).

As ocorrências de agressões e ameaças às mulheres serão atendidas pelo Centro de Informações e Operações Emergenciais do Município (Cioem), através do telefone 153. A expectativa é que o serviço esteja disponível já a partir da próxima semana, após a conclusão da etapa de capacitação dos agentes.

Ensino da Lei Maria da Penha

Desde abril deste ano o Crato adota o ensino de noções básicas da Lei Maria da Penha na grade curricular das escolas da rede municipal. O objetivo é conscientizar crianças, jovens e adolescentes sobre o combate à violência doméstica contra a mulher. A legislação é trabalhada como conteúdo transversal, ou seja, dentro de uma disciplina já ofertada aos alunos.

Com a abordagem do tema em sala de aula, os alunos são provocados à reflexão sobre condutas agressivas contra mulheres dentro e fora do ambiente doméstico. A iniciativa prevê atividades, pesquisas e ações ao longo de todo o ano letivo para incentivar práticas de prevenção e combate a este tipo de crime.

O ensino da Lei Maria da Penha nas escolas do Crato se tornou Lei Municipal ainda em setembro de 2018, mas desde então não havia sido colocado em prática. A proposta foi aprovada pela Câmara de Vereadores poucos dias após a morte da professora Silvany Inácio, 25, assassinada a tiros pelo seu ex-companheiro no dia 19 de agosto de 2018, na Praça da Sé, área central da cidade.

Mais notícias do Cariri

Dúvidas, Críticas e Sugestões? Fale com a gente

Tags