Participamos do

Vídeo: Touro de Ouro é retirado após decisão da comissão de urbanismo de SP

Hoje mais cedo, a Prefeitura de São Paulo (SP) havia decidido que o Touro de Ouro da Bolsa de Valores (SP) seria removido e multado por falta de licença urbanística para a instalação. Veja vídeo; atualizada às 23h10min
22:52 | Nov. 23, 2021
Autor Redação O POVO
Foto do autor
Redação O POVO Autor
Ver perfil do autor
Tipo Notícia

estátua do Touro de Ouro, exposta em frente ao prédio da Bolsa de Valores (B3) de São Paulo (SP), foi removida na noite de hoje, 23. Veja o vídeo no player abaixo ou clique aqui para assistir no Twitter.

Seja assinante O POVO+

Tenha acesso a todos os conteúdos exclusivos, colunistas, acessos ilimitados e descontos em lojas, farmácias e muito mais.

Assine

“Diante da decisão da CPPU (Comissão de Proteção da Paisagem Urbana), a B3 e a Dmaisb, empresa responsável pelo desenvolvimento do projeto da escultura Touro de Ouro, removerão a obra do local instalado, no menor prazo possível, dada a necessidade de logística para a operação de retirada”, havia informado a B3. 

Mais cedo, nesta terça, 23, a CPPU, órgão da Secretaria Municipal de Urbanismo e Licenciamento (SMUL) de SP, tinha decidido que a estátua seria removida e multada por falta de licença urbanística do órgão para a instalação.

A exposição do monumento na calçada infringiu os artigos 39 e 40 da Lei Cidade Limpa. O valor da multa, segundo a CPPU, deve ser estipulado pela Subprefeitura da Sé, responsável pela zona em que a estátua foi colocada.

 

Além disso, a CPPU, por considerar que ela possui elementos de peça publicitária, decidiu que efetuaria a remoção da estátua. A votação terminou em cinco votos favoráveis, quatro votos contrários e uma abstenção.

O órgão é consultivo e, por isso, não pode aplicar penalidades diretamente. No entanto, foi deliberado que houve uma inserção irregular do monumento na paisagem urbana sem anuência do órgão, sendo, assim, necessária a aplicação de sanções.

Touro de Ouro da B3 de SP: o que disse cada órgão sobre a retirada da estátua 

Regina Monteiro, presidente da CPPU, disse em debate que houve alertas de vários órgão da Prefeitura de São Paulo para que a estátua obtivesse o aval do órgão para efetuar a instalação legalmente. Os alertas, no entanto, foram ignorados pela empresa responsável pelo licenciamento, a DMAISB Arquitetura e Construção.

“É inequívoco que houve uma infração à Lei Cidade Limpa quando a obra foi instalada sem o aval inicial da CPPU, uma vez que a própria Subprefeitura da Sé pede essa aprovação. Mais do que nunca, todo mundo vai aprender. A cidade não tem leis demais, como o prefeito falou. A gente é muito claro. Mas a gente vai aproximar com subprefeitos e subprefeituras para mostrar que qualquer elemento colocado na paisagem tem que passar pela CPPU”, afirmou ao G1.

Rafael Brancatelli, arquiteto idealizador da estátua, participou da reunião e disse que não sabia da necessidade de aprovação para instalação da estátua na rua.

“Procurei os dispositivos legais que estavam ao meu alcance.Não foi por desrespeito ou porquê queria passar por cima de nada. Tá aprendida a lição. Numa outra iniciativa nós com certeza vamos procurar a CPPU. Conversei até com o secretário César Azevedo [da SMUL] e ele mesmo ficou surpreso e falou:‘olha, realmente eu não tinha certeza’”, argumentou o arquiteto.

Viviane Rubio, representante acadêmica do Mackenzie na comissão, disse que o caso mostra a importância de seguir a regra, devido a existência de uma lei que regulamenta isso.

“Nós temos que buscar seguir a regra antes de executar. Executou-se criando uma enorme polêmica. A CPPU precisava ser convocada antes da instalação. Os órgãos municipais também tinham que conversar. Houve uma falha na comunicação dentro da Prefeitura de SP”, afirmou.

Touro de Ouro da B3 de SP: relembre a polêmica

O touro de ouro foi inaugurado no último dia 16 de novembro e tem como padrinho o empresário e influenciador digital Pablo Spyer, conhecido na internet como "Vai tourinho", que é o seu bordão na internet. Spyer, que ocupou o cargo de diretor de importantes corretoras no Brasil, hoje é sócio da corretora XP na empresa que leva o nome do seu bordão.

Um dos pontos que o CPPU utilizou para dizer que a peça é publicitária é o vínculo que Pablo tem com o "touro de ouro". Afinal, ele apresenta um programa com esse nome na rádio e na TV Jovem Pan. Procurado, Spyer não respondeu às mensagens.

A peça vem criando polêmica desde a sua inauguração. O touro é o símbolo do mercado financeiro em todo o mundo, pois simboliza os períodos de alta das bolsas já que o ataque dele é de baixo para cima. Do outro lado fica o urso, que ataca de cima para baixo, representando os períodos de queda dos ativos de renda variável.

A peça mais simbólica, o "Charging Bull feito pelo arista ítaloamericano Arturo Di Modica, fica localizado em Nova York e fez com que diversos touros fossem espalhados pelo mundo.

Touro de Ouro da B3 de SP: chuva de críticas

Mas a instalação do touro em frente à Bolsa em São Paulo não agradou movimentos sociais, que consideram o momento econômico inapropriado, já que o País está com a inflação e o desemprego em alta e é esperada uma recessão para o ano que vem. Com isso, o touro amanheceu diversos dias avariado com mensagens de reprovação ou lembrando da situação econômica, como a palavra "fome".

A peça foi inaugurada no último dia 16, com a presença de nomes ilustres do mercado financeiro, como o fundador da XP, Guilherme Benchimol, e o presidente da plataforma, Thiago Maffra.

Na cerimônia de inauguração da estátua, no dia 16, o presidente da B3, Gilson Finkelsztain, afirmou que o touro, presente nos principais mercados financeiros do mundo, é um presente para a cidade de São Paulo e, em especial, para o centro, região que marca a história do mercado financeiro do Brasil.

Dúvidas, Críticas e Sugestões? Fale com a gente

Tags