PUBLICIDADE
Brasil
NOTÍCIA

Condomínio de Valinhos coloca faixa de repúdio a morador que ofendeu motoboy

Nesta segunda-feira, 10, o motoboy prestará depoimento à Polícia Civil de Valinhos

14:58 | 10/08/2020
Motoboy é vítima de racismo por morador de condomínio de São Paulo (Foto: REPRODUÇÃO DE VÍDEO)
Motoboy é vítima de racismo por morador de condomínio de São Paulo (Foto: REPRODUÇÃO DE VÍDEO)

O condomínio Vila Bela Vista, em Valinhos (SP), onde um motoboy foi ofendido e sofreu racismo de um morador do local, instalou uma faixa ao lado da portaria afirmando que a administração não compactua com a atitude do condômino. O caso aconteceu no dia 31 de julho, mas viralizou nas redes sociais na semana passada.

A faixa foi colocada após a situação gerar revolta, e muitas pessoas passarem no local gritando contra o morador. A administração do local pediu à polícia que fizesse um monitoramento da área. No último sábado, 8, alguns motoboys da região se reuniram para fazer um buzinaço no local, fazendo uma manifestação contra o acontecido.

LEIA MAIS | 

Entregador é humilhado, sofre racismo e registra BO contra morador de condomínio em SP

Entregadores protestam em frente a condomínio de agressor de Matheus Pires, em São Paulo

Em entrevista ao programa Fantástico, o motoboy Matheus Pires Barbosa revelou mais detalhes da situação, explicando que o problema aconteceu por que ele pediu ao morador que buscasse a encomenda na portaria. Ele conta que o morador agiu de um jeito selvagem, dizendo que ele tinha obrigação de ir até a casa, fez uma brincadeira, e ele começou a ofendê-lo. Então, de acordo com o entregador, ele fez uma expressão como se estivesse se fazendo de macaco. “Quando ele falou que eu era preto, eu percebi que ele tinha cometido um crime”.

Em um vídeo que circulou pela internet, o mesmo morador já havia se envolvido em uma outra confusão no condomínio, em que ele destruía o carro de uma vizinha. A ex-vizinha afirmou que se mudou por ter medo do que ele poderia fazer.

Márcio Santos Abreu, advogado do entregador, afirma que o morador será processado criminalmente e civilmente. Nesta segunda-feira, 10, o motoboy prestará depoimento à Polícia Civil de Valinhos. O pai do morador, Mateus Almeida Prado, afirmou que o filho sofre de esquizofrenia, apresentando um atestado médico na delegacia. A família também pediu desculpas ao motoboy e a todos os trabalhadores que se sentiram ofendidos.

Alguns internautas se organizaram para promover uma vaquinha on-line para ajudar o entregador, com o intuito de auxiliar na compra de uma casa e investimentos em estudos futuros. O aplicativo IFood se pronunciou sobre o assunto afirmando que o usuário será excluído da plataforma de pedidos delivery, afirmando que preconceito e discriminação são atitudes contra os termos de uso do aplicativo. A empresa afirma também estar em contato para oferecer ao entregador apoio jurídico e psicológico.